CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Incólume quanto Ricardo Reis …

Incólume quanto Ricardo Reis …

Há quem diga que viu,
( tomando por reais as coisas que o não são)
um escritor de língua pátria nos soturnos passeios
duma rua da freguesia de Campo Grande

1700-190 Lx a 30 Novembro, pelas 5 horas
da madrugada,
– faz mais de um século, quase nada,
continuam magníficos, talhados, incólumes
quanto a cidade por onde ainda passam descalças
e calçadas,
pessoas pequenas e grandes, enormes

Nessas soturnas calçadas caladas
do Campo Grande ao Chiado por
onde passam grandes enormes pessoas e pequenas também,
ficaram descritas com cem palavras nos passeios
talhados desta cidade azulejo
que nem de azul ou anil tem, ou se veste do Tejo certo
nas cores ou sem elas bem,

Mas usa de palavras como se fossem
os céus sete e os desejos
mil pedaços certos, desta pátria incolor
e incólume ,
Ficou escrito como um grito de ar em luz crua
dessa cidade que dorme,

Há quem diga que foi por sentir correr
por si o rio como por seu leito a 30 Novembro de 1935,
tal e qual como no ano da morte de Ricardo Reis

Jorge Santos(10/2016)
http://namastibetpoems.blogspot.com

Submited by

segunda-feira, fevereiro 12, 2018 - 18:22

Poesia :

No votes yet

Joel

imagem de Joel
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 2 horas 2 minutos
Membro desde: 12/20/2009
Conteúdos:
Pontos: 2376

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Joel

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Ministério da Poesia/Geral Continua … 0 13 02/14/2018 - 10:19 Português
Ministério da Poesia/Geral Inteiro e completo 0 5 02/14/2018 - 10:18 Português
Ministério da Poesia/Geral Menor mundo 0 5 02/14/2018 - 10:17 Português
Ministério da Poesia/Geral Encanto teu 0 7 02/14/2018 - 10:15 Português
Ministério da Poesia/Geral Coração de boi 0 6 02/14/2018 - 10:14 Português
Ministério da Poesia/Geral (O SantoSobrou) 0 7 02/14/2018 - 10:13 Português
Ministério da Poesia/Geral Papagaio de cana, papel e gente 0 5 02/14/2018 - 10:11 Português
Ministério da Poesia/Geral Sonhar certo 0 7 02/14/2018 - 10:10 Português
Ministério da Poesia/Geral Ego 0 5 02/14/2018 - 10:08 Português
Ministério da Poesia/Geral Na beira d’onde moro 0 5 02/14/2018 - 10:07 Português
Ministério da Poesia/Geral A lembrança do que vou pensar 0 5 02/14/2018 - 10:05 Português
Ministério da Poesia/Geral Da paixão 0 5 02/14/2018 - 10:03 Português
Ministério da Poesia/Geral O salto 0 6 02/14/2018 - 10:02 Português
Ministério da Poesia/Geral Existem esferas 0 6 02/14/2018 - 10:00 Português
Ministério da Poesia/Geral Janela de sótão 0 4 02/14/2018 - 09:58 Português
Ministério da Poesia/Geral Tudo o que pudesse ter sido eu não … 0 4 02/14/2018 - 09:56 Português
Ministério da Poesia/Geral Por uma outra … 0 6 02/14/2018 - 09:54 Português
Ministério da Poesia/Geral Segmentos derosa 0 6 02/14/2018 - 09:52 Português
Ministério da Poesia/Geral Garças voam e não voltam … 0 6 02/14/2018 - 09:50 Português
Ministério da Poesia/Geral Tão tanto … 0 8 02/14/2018 - 09:49 Português
Ministério da Poesia/Geral O iniciado … 0 6 02/14/2018 - 09:47 Português
Ministério da Poesia/Geral Passagem … 0 7 02/14/2018 - 09:46 Português
Ministério da Poesia/Geral Gostaria de estar inspirado 0 4 02/14/2018 - 09:44 Português
Ministério da Poesia/Geral Pra que sirvo … 0 7 02/14/2018 - 09:42 Português
Ministério da Poesia/Geral Eu digo não … 0 4 02/14/2018 - 09:40 Português