CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

A tristeza pode esperar...! (Carta de despedida)

O que aconteceria se subisse a ponte Vasco da Gama e me atirasse para o rio Tejo?

- Será que finalmente me transformaria numa gaivota como tanto apregoo à laia de bêbado obcecado? Ou quem sabe se no cântico dolente de uma traineira que regressa da faina sem peixe, mais cambaleante do que um barco encalhado no cais!?
Será que ao cair nas águas geladas do Tejo, o meu coração inteiro, mas aparentemente despedaçado, passaria a pulsar nas vísceras de um golfinho?
Que dilema! - Ah... a morte, a morte, também nos ressuscita?

...Ter coração muitas vezes é pouco mais do que sentir o batuque ritmado de um órgão no nosso corpo, a bombear saudades como quem puxa agua de um poço sem fundo, a relembrar tristezas irreparáveis, inundando todas as artérias do corpo com uma melancolia pegajosa. O vazio, agiganta-se quando se ausenta alguém que muito amamos.
Sem ti nada faz sentido, raios, coriscos, mas é o que de facto sinto!
E mesmo sabendo que as palavras se gastam, como as rochas que são esbofeteadas pelos temporais, eis que me ponho a gritar como quem reza.
- Amo-te! Juro que não o queria, mas amo-te!
Logo agora que a minha prioridade era esquecer-te e embalsamar todas as recordações com o gesso da minha indiferença. Ah...! amo-te,que estupidez!
Porque te amo se te quero esquecer?
Porque te procuro se te escondeste nas sombras de um gigantesco muro, onde eu tentei subir e escorreguei?
Sinto-me exausta e desfeita. As lágrimas já não caem porque as sequei com arame farpado do muro que nos separa.

- Hoje só me apetecia voar… voar… mas pensando melhor, talvez em direcção ao horizonte, transformada num papagaio de papel, nas mãos de uma qualquer criança extasiada com o vento e os efeitos desse esvoaçar estonteante.
Se estou triste? Não amor, apenas me apetece desistir!

- A tristeza pode esperar!

Hoje só queria encontrar uma borboleta e falar-lhe com os meus olhos incrédulos de ti. Hoje só queria que o meu anjo da guarda, me desse as mãos e me contasse um história com um final feliz! Só que já não acredito em milagres!

(VÓNY FERREIRA)

Submited by admin

domingo, março 21, 2010 - 11:20

Poesia :

No votes yet

admin

imagem de admin
Offline
Título: Administrador
Última vez online: há 2 semanas 21 horas
Membro desde: 09/06/2010
Conteúdos:
Pontos: 44

Comentários

imagem de Craudeci

Re: A tristeza pode esperar...! (Carta de despedida)

Bonito poema gostei!

imagem de Henrique

Re: A tristeza pode esperar...! (Carta de despedida)

- A tristeza pode esperar!

E que espere eternamente!!!

:-)

imagem de Dianinha

Re: A tristeza pode esperar...! (Carta de despedida)

Mas que lindo Vóny...
Uma linda carta, não diria de despedida, mas sim de descobertas...

Sabe o que aconteceria de subisse para a ponte Vasco da Gama e se atirasse ao rio Tejo?
Deixariamos de poder ler as coisas maravilhosas que escreve, e isso seria uma grande perda...

Lindo Vóny, triste, mas lindo!
Amei... E sim, a tristeza pode esperar...

Favoritoooos! :-)
Beijinho com carinho...

imagem de Anonymous

Re: A tristeza pode esperar...! (Carta de despedida) p/ Dianinha

Dianinha que palavras tão gentis.
Deixaste-me muito sensibilizada, sabias?
Beijinhos e muito obrigada.

Agradeço igualmente ao Henrique as palavras e o comentário.
Vóny Ferreira

imagem de robsondesouza

Re: A tristeza pode esperar...! (Carta de despedida)

Vony,

As histórias com finais felizes possui duas vertentes: ou são inventadas para com seu conteúdo depositar alguma crença no porvir ou, simplesmente existem, embora não seja possível vislumbrá-la por conta do próprio porvir.

Fico com a segunda opção!

Milagres existem - assista a uma competição esportiva: ginática, basquetebol, natação; todos os movimentos do ser humano são provenientes do milagre da vida.

Abraços fraternos, Robson!

imagem de Anonymous

Re: A tristeza pode esperar...! (Carta de despedida)

Ângela e Robson
obrigada aos dois por se disponibilizarem
a deixarem a vossa opinião.
Valeu, mesmo!!
Abraço
Vóny Ferreira

imagem de angelalugo

Re: A tristeza pode esperar...! (Carta de despedida)

Olá querida amiga Vóny

Aiii...Que poema triste, mas incrivelmente
belo em seu teor...Milagres!Creio que existam
desde que se abra o coração e deixe nele a
esperança voar em sua plenitude...Parabéns!

Beijinhos no coração

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of admin

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Gótico Não me olhes 7 913 11/27/2012 - 23:50 Português
Poesia/Geral Não fui eu 5 832 03/24/2012 - 13:25 Português
Poesia/Amizade PORTUGAL 5 20.408 03/22/2012 - 18:56 Português
Pintura/Paisagem PORTO 4 4.006 11/23/2011 - 11:36 Português
Poesia/Geral Quem sabe acender uma fogueira sabe amar uma mulher 4 1.661 02/18/2011 - 11:27 Português
Videos/Perfil 1153 0 1.439 11/24/2010 - 22:10 Português
Videos/Perfil 794 0 1.585 11/24/2010 - 22:03 Português
Videos/Perfil 793 0 1.808 11/24/2010 - 22:03 Português
Videos/Perfil 791 0 1.851 11/24/2010 - 22:03 Português
Videos/Perfil 740 0 1.956 11/24/2010 - 22:02 Português
Videos/Perfil 697 0 1.884 11/24/2010 - 22:02 Português
Videos/Perfil 732 0 1.527 11/24/2010 - 22:01 Português
Videos/Perfil 587 0 1.412 11/24/2010 - 22:00 Português
Videos/Perfil 585 0 1.649 11/24/2010 - 22:00 Português
Videos/Perfil 580 0 1.382 11/24/2010 - 22:00 Português
Videos/Perfil 553 0 1.571 11/24/2010 - 22:00 Português
Videos/Perfil 552 0 1.276 11/24/2010 - 22:00 Português
Videos/Perfil 551 0 1.686 11/24/2010 - 22:00 Português
Videos/Perfil 550 0 1.451 11/24/2010 - 22:00 Português
Videos/Perfil 549 0 1.866 11/24/2010 - 22:00 Português
Videos/Perfil 548 0 1.750 11/24/2010 - 22:00 Português
Videos/Perfil 547 0 1.269 11/24/2010 - 21:59 Português
Videos/Perfil 495 0 2.138 11/24/2010 - 21:58 Português
Videos/Perfil 494 0 1.337 11/24/2010 - 21:58 Português
Videos/Perfil 493 0 1.245 11/24/2010 - 21:58 Português