CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Palavras Sentidas

E olhando para ti
O brilho no olhar
São estrelas em céu limpo!
O meu olhar persegue-te,
Nem que não estejas presente,
O mais surpreendente
É sentir-te lentamente
Invadir os meus sonhos
Sem que nada na minha mente
Atravesse friamente!
E assim escrevo
O que o meu coração sente
Nada o mente
Durmo tranquilamente!

Tento combater a dor,
Neste momento impossível,
Fico em casa a sofrer
A ver passar a vida!..
A vida de verdade,
Deixo de trabalhar,
Bate a saudade,
Finca a necessidade
De sair e retomar
Tudo aquilo que a dor
Está a matar:
Uma vida saudável!
Trabalhar, conviver,
Chegar ao fim do mês
E com orgulho receber
Aquilo que nos ajuda a viver!..

Algo entristece o meu ser
Sinto no meu profundo
Que estou a morrer!
O corpo vive desesperadamente
Há espera do momento,
Que seja rapidamente!
Vivo na estranheza
Dos meus actos,
Sinto que não vale a pena!
Algo entristece o meu ser,
Sei que um dia vou morrer!..

Desistir

Só quando a tristeza
Me sufocar;
Só quando a lágrima
Inundar o meu coração;
Só quando a solidão
Matar a verdadeira razão;
Só quando não conseguir
Lutar pelo sonho;
Só quando morrer
Dentro de mim
Tudo que é bom sentir,
O Amor-próprio!
Desistir?
Só quando sufocar!

Olhei-te nos olhos
E sorri!
Toquei-te nos ombros
E senti serenidade!
O meu pensamento
Tocou-te na alma,
Que pureza
Que calma!
Senti o bater do teu coração
Senti-me viva!

Há momentos em que gostaria
De não ser ninguém!..
Gostaria de não chorar
Quando todos querem que chore!
Não gostaria de sentir solidão
Quando todos querem que sinta!
Não queria estar triste
Quando todos fazem por isso!
Não queria dar um passo
Quando me decidem o futuro!
Não queria sentir arrependimento
Quando me despertam a desilusão!
Não queria um novo sentimento
A despertar o meu coração!

25-07-o8
04h 08m

Queria estar só!
Gostaria de nada ouvir,
Queria não sentir,
Desejava não Amar,
Morreria para não chorar,
Sangrava para não sofrer,
Apunhalava-me para não sentir medo
Deste meu viver!

Nesta vida só dou valor
A todo o meu amor
Que tenho pelos filhos!
Ser Mãe, ser Pai,
É algo orgulhoso
Cria-nos cansaço
Nada monstruoso!
Ser Mãe, ser Pai,
Etapa a batalhar
Para que no futuro
Me possa orgulhar!
E com um sorriso nos lábios
Dou um passo com futuro
A minha alma está calma,
Sinto tudo “seguro”!

Em menos de um segundo
Percorro o mundo
Para que possa escrever
Tudo o que se passa bem lá no fundo Não dorme nunca
Sem expressar o que na realidade
Se está a passar...
...outras vidas,
Vidas tristes e sombrias
Que os meus olhos alcançam
E a minha mão “sente”!
E tudo o que vejo
Tem uma razão,
O escrever e sentir
Sem que a razão tenha um senão!

Acordo assustada
Sem saber onde estou
Penso no sonho
Que acabo de sonhar!
Que tormento
Que angustia
Deixa-me tão desanimada
Que fico inanimada,
E os segundos contam,
E a vida vai passando
O sonho é um tormento,
Um tormento do passado,
Que foi realidade
Hoje é um sonho,
Um sonho,
De verdade!..

E no silêncio da noite
A solidão interioriza o meu ser,
Assim do nada!..
Dormindo sozinha
Os sonhos são invadidos,
Invadidos pela solidão
Despertando no meu coração
Um enorme vazio
Se é bom ou mau
Eu nada sei!..
Só sei que a solidão
Apoderou-se do meu coração
Enquanto tranquilamente
Dormia o meu sono!
...e assim acordo triste!

E neste mesmo instante,
Uma paz invade o meu espírito,
A serenidade reina na minha alma,
O amor nasce no meu peito!
...De um lado para o outro
Encontro a verdade,
Temida do meu coração
Escondida da própria realidade!
...E assim vou crescendo
Pensando nos meus filhos,
Por vezes sinto um vazio
Por mim muito temido!

Só eu e Deus
Sabemos a mágoas do passado
Que atormentam o coração!
É uma desilusão constante
As lembranças que em mim
Caem a cada segundo do dia!
Eu perdoei
Mas em mim ficaram
Todas as feridas saradas!
Só eu e Deus sabemos
O quanto lamento
Momentos do passado!

Um dia surgiu um problema,
Parei e reflecti:
Será mesmo um problema
Ou será um capricho?!
Então não sabendo a razão
Tudo o que fiz não foi em vão!
A voz ficou serena,
O coração tranquilo,
Tudo se resolveu,
Pois na minha alma
Reinou a calma!
Assim aprendi
Que tudo na vida
É uma vírgula de muita reflexão
Onde a verdadeira razão
Surge sempre sem ilusão!
Com calma tudo se resolve,
Sem insultos sem maldade,
Tudo tem a sua tranquilidade!

Filhos!

Depressa cresceram!
E no meu olhar
Cada dia que passa
O orgulho brilha,
O meu sorriso
Ao vê-los crescer
Torna-se puro
Que é impossível deixar de ver!
O meu coração
É bombardeado
Com os seus miminhos
Com as suas brincadeiras
Com as suas palavras!

Radaid!

Em noite de verão
Com o céu um pouco estrelado
Corre o vento e diz baixinho:
Embalaram os pássaros
Com vários tons,
Com vários sons,
Deram vida a instrumentos
Que eu desconhecia,
Fizeram companhia
Aos corações vazios!
Uma música comovente
Tocou assim
Na alma,
No coração,
Será que era o vento?
Não, não era certamente
O vento falou ao ouvido
O que realmente foi a vossa actuação!

Fecho os olhos,
Mergulho no paraíso,
O cheiro tranquiliza-me a alma,
O som da água a cair
Relaxa o meu corpo,
O vento a soprar
Leva todos os maus pressentimentos,
E ao relento
Juntamente com o vento
Sinto-me livre,
Sinto-me pura,
Sinto-me feliz!
Pois afinal quando a vida
Não passa, fecha-se os olhos
E aí sim
A vida mergulha num poço
Poço a que eu chamo meditação!

Se Amar fosse odiar!

Se Amar fosse odiar
Então a vida seria:
A morte!
O coração explodia,
O sangue percorria
Todo o nosso corpo,
Chegando a uma conclusão total
A morte do sentido
De uma vida!

Por um acaso
O sorriso transparece
Toda a minha face!
Por um acaso
A alegria transborda
Todo o meu olhar!
Por um acaso
Eu senti-te
Nos meus braços
Senti toda a felicidade
Resolver todos os embaraços!

Amigo!

Sei que por mais que lute
Contra este sentimento
Jamais te esquecerei!
O teu sorriso finca no meu,
A tua maneira de ser
Desperta o meu coração
Para nunca te esquecer!
E com as tuas lembranças
Te lembrarei com saudade!

...e porque Natal é todos os dias, todos os segundos do ano contam!
...e se dermos o devido valor o nosso desejo realiza-se:

Em cada olhar uma esperança
Em cada gesto um carinho
Em cada passo um caminho
Em cada sorriso a felicidade
Em cada segundo um aprender
Em cada palavra a sinceridade
Em cada estrela cadente um desejo
De um Feliz Natal para toda a gente!

Aí saudade!

Que saudade!
Que saudade de te sentir,
De te ver sorrir!
Que saudade
De ouvir a tua voz
Que acalma a alma!
Que saudade
Que saudade bate no peito,
Que saudade é esta
Que não me deixa viver!
Que saudade!

Uma noite

Nos sonhos conquistas-te
Tudo aquilo que é bom sentir!
As tuas mãos
Enxaguar as minhas lágrimas
As tuas palavras
Alegrar a minha alma,
Os teus passos
A abrir um futuro,
A tua esperança,
Para a vida
Que antes era desgraça
E com a tua graça
Fui feliz nos sonhos!

A alegria dos meus passos
E com um sorriso no rosto
Venço a lágrima!
E com esperança
Ilumino a solidão!
E com a franqueza
Digo o que penso!
E com a sinceridade
Só digo a verdade!
E com os olhos
Vivo o que não viverei!
E com a família
Sou feliz todo o santo dia!

Viver

A razão de viver
Consola o coração!
A alma está abafada
Com tanto orgulho,
As lágrimas são sorrisos
A felicidade os filhos,
O futuro um pensar,
Que alegrar
Quem nos rodeia
Não é sufocar,
É simples viver eternamente!

Olhei para o céu
Que sossego que lá reina!
Na estranheza do momento
Penso que viver
É ter sossego nas acções,
É ter paz na alma,
É ter franqueza nas palavras!
Olhei para o céu
E pensei:
Viver é sossegar
Os maus pensamentos,
Os maus pressentimentos
Para que viver seja
Simplesmente viver!

Crime!

É cruel
Roubar momentos do dia
A uma criança
Que deveria estudar,
Deveria brincar,
Deveria aprender
Que a vida é alegria!
No canto do olho
De uma criança
A quem lhe roubaram
Únicos momentos
Caí uma lágrima
Na esperança de que o futuro
Lhe devolva tudo que no passado
Alguém lhe negou!

Soltam-se as palavras
Voam os sentimentos
Escrevem os pensamentos

E com o vento,
Apenas senti!
E com o vento,
Apenas ouvi!
E com o vento,
Palavras escreveram
Com sentimento!

Quero escrever
Os pensamentos fogem
Chego a uma certeza:
Escrever apenas
Quando o coração
Fala baixinho ao ouvido!

Pureza

Tocando na água
Mergulhando no oceano
Encontro o mais belo mundo!
Tudo é sereno
Tudo é magia
Tudo gira em volta da pureza
Tudo é riqueza!

Olhar encharcado!

E porque olhas assim?
Aí que raiva
Olhar cheio de ódio
Olhar encharcado de inveja!
E porque olhas assim?
O olhar é pureza
É o espelho
Do nosso interior!
Se no teu olhar
Escapa o ódio, a inveja
Então tudo na tua vida
Fraqueja!

Vida!

E pela noite
Ele caminhava
Caminhava pela rua
A iluminação dos seus passos
Era simplesmente a lua

Durante o dia
Ele tranquilamente dormia
O seu aconchego
Era surpreendimento o sol

No final do dia
A lua o sol
Foram calorosamente
O enriquecer da vida
Vida que Deus prometeu

Tu!

As lágrimas flutuam
Pela face,
A imensa dor
Abate o olhar,
A monstruosa tristeza
Toca no mais profundo,
Quebrou-se toda aquela
Duradoura magia
Que existia todo o dia,
O sorriso fugiu
A alegria partiu
A dor apoderou-se
Do seu interior!

Pai!

A ti do meu mais profundo:
Obrigada a Deus pela tua existência
Obrigada a ti pela tua presença
Pela tua dedicação
De actos mostrados com o coração!

Eu senti!

Ao olhar o sol
Senti o teu calor!
Ao olhar a lua
Percebi o teu esplendor
Ao sentir o vento
Ouvi a tua voz
Sussurrar-me ao ouvido
Ao tocar no mar
Senti a fúria
Das tuas lágrimas!

Falando para mim baixinho:
Todas as lágrimas
Desaguam no coração
Todos os sentimentos
Fincam no esquecimento
Todas as palavras sentidas
Tiveram um senão
A razão foi negada
Tudo foi em vão!

Em breves momentos
Senti tristeza
Dilatar os meus olhos
As pupilas quase
Que explodem
Breves momentos
Os meus olhos fecharam-se
Senti a alma enfraquecer
De tanta tristeza
Semeada no meu ser!

Pura magia!

Cautelosamente invadis-te
Os meus orgulhosos sonhos
Nada era perverso!
Foi uma invasão gloriosa
Onde a tristeza
Se tornou longínqua
Onde as nossas afinidades
Foram uma aproximação
De todos os sentimentos
Falados pelo coração!

Vagabundos do tempo!

Os meus pensamentos
Tornam-se vagabundos
Do tempo
Não têm onde parar
Não têm onde se alimentar
Não têm onde descansar
Os meus pensamentos
São vagabundos do tempo!

Um novo Eu!

Olhando para ti
Renasço subitamente
Ouvindo a tua voz
O meu sentido reage
Olhando no teu olhar
Todas as cores
Radiam a minha alma
E todas as minhas
Pequenas falhas
Somem-se!..

Franzindo os lábios
Todas as palavras
São sentidas
Todas as palavras são mágicas
São a salvação da alma!
Franzindo as sobrancelhas
Todas as palavras
São pensadas
São a voz do coração!

Subitamente ouço um ruído
Um ruído assustador
Vozes gritantes
Atormentam a minha alma
Pela clareza dos sentimentos
Não são disparates
São vozes sufocadas
Ouvi-las é um conselho
Interliga-las um sentido!

Olhar triste daquele menino,
A obrigação roubou-lhe
O seu belo sorriso!
E porquê?
Não é justo!
A vida daquele menino
Deveria transbordar
De imensa alegria,
A magia dos brinquedos
Ocupar-lhe o dia...
...mas não,
Aquele menino vendia,
Vendia para não chorar
Quando chegasse ao seu lar!

Falar de Ti!

Por entre os meus lábios
Fogem palavras,
Palavras ternas,
Palavras sinceras!
No meu olhar transformam-se
Sentimentos puros
Que com o tempo
Fincam no céu azul!
Por entre os dedos
Das minhas mãos
Saiam palavras,
Palavras sentidas
Palavras ouvidas
Porque falar de Ti
É simplesmente sentir-me Feliz!

Hoje tudo bate
Bate á “porta”!
A saudade,
A tristeza!..
O dia de hoje
Traz lembranças inesquecíveis
Traz choros calados,
Traz lágrimas secas,
Traz uma tristeza profunda!
Não quero, não posso
Voltar a sentir
A saudade de quem
Á muito partiu!..

A dedicação demonstrada
É Amor de verdade!
A luta vencida
É uma realidade merecida!
Não a realidade de hoje
Mas sim até hoje!
Hoje a realidade
Magoa, chora
Dentro do peito,
Mas na vida nada é perfeito!
Tudo o que conta
É o que se fez
Quando possível!

Dedicado aos pais do João Paulo

E sempre que a saudade
Apertar o peito
Olharei para o céu...
Em cada raio de sol
Lá estarás Tu;
Em cada gota de chuva
Disfarçarás o nosso choro;
Em cada estrela cintilante
Sei que lá estarás tu
A iluminar os nossos passos;
Em cada tempestade
Sei que estarás a “dormir”!

Dedicado á família e Amigos do João Paulo

Como viver sem ti!

Não serei mais feliz,
Não serei mais rica,
Serei um pouco mais triste,
Serei um pouco insensível
Mas também sei:
Que terei o meu cantinho
Para que quando a saudade bater
Chorar baixinho
E dizer
Consigo viver sem ti!

Por vezes mergulho
Nas minhas lágrimas
Sei que não sou especial
...a lágrima vai correndo
Por cada sentimento!
Cada lágrima é um sofrimento
Escondido dos meus olhos
Sentidos no meu coração!..
...e mergulhando
Nas minhas lágrimas
Sinto que não vale a pena
Cada sofrimento,
Cada sentimento!

Partis-te!

Fizeste-me sorrir,
Fizeste-me sentir
Honradamente Amada!
...mas depressa tudo se foi,
Nos teus braços
Chorei, sofri,
Senti uma tortura imensa!
...mas hoje foste embora,
Embora para sempre,
Sinto-me triste,
Pois amei-te,
Deixas-te a terra que ilumines
Para sempre o céu!

Que as estrelas
Te façam sentir
Tudo que rejeitas-te
Na terra!
Que as nuvens
Te ajudem a sentir
A leveza das acções!
Que a lua
Te faça Amar,
Amar para sempre!
Que entre os encantos
do céu
Encontres a paz!
Descansa em Paz!

Dedicado a Hélder faleceu Agosto 2009 nas águas de Gaia (praia)

O que me sai da alma
Não me conforta,
Quero sair daqui,
E agora!
É impossível,
É doloroso de mais
Estar aqui,
A lutar pela vida
Que sei que vai ser infeliz!

Sei que vale a pena
Mas não quero!
Sei que te Amo
Mas esqueço!
Sei que me sinto triste
Mas sorrio!

Olhando para as pessoas
Tudo traz confusão!
As vozes altas
Roem-me os ouvidos
Os sorrisos
Fazem-me sentir mais triste!
Não podia ser assim...
Os passos atormentam o meu querer
De estar sossegada!
Não invejo nada
Apenas sinto-me só,
Triste, deprimida, angustiada.
Tudo na cabeça é uma bomba
Até mesmo uma pena de um pássaro a cair!

Um dia eu serei
Um dia eu sentirei
Como ser especial para alguém!
Acredito nas pessoas mas não em mim!
Acredito que possa existir
Alguém que me contorne a tristeza
Por entre pulos de alegria,
Momentos ternos,
Um sentimento especial...
...que dure para sempre!

Olhar entristecedor
De algo escondido,
O brilho foge
Temendo que nunca
Mais volte
Não, não
Não pode ser
Esconder não é viver
É não sentir
É amarguradamente
Matar algo puro!

Sem querer
Sem mesmo poder
Sou quem não sou
Escondo o que não devo
Sinto-me só,
Sinto-me triste!
As mãos cruzam-se,
Nada a fazer,
Tudo a temer!

Gostaria de tocar nas nuvens
Para me sentir livre,
Livre para sempre
Da tortura semeada
No meu peito,
Na minha alma
Que falta de respeito!
Porquê?
Porquê hoje, agora?

24-02-09
17h 33m

Os meus pensamentos surgem
São simplesmente
O meu dicionário de todos os sonhos
De todos os desejos
De todas as mágoas
Que matam e apedrejam!
Pensamentos voam voam
Cruzando-se as letras
Escrevo o que vejo, o que sinto!

26-02-09
19h-02m

Doce beijo

Como recordar é tão terno!
Nos meus lábios ficou
O sabor do conforto,
O gesto de protecção
A alegria!
Como recordar é confortante!
Nos meus lábios
Tocou a serenidade
Exclamou algo forte
Como é bom saber
Que nada é impossível!

17-02-09
16h 00m

Porquê?

Sem nada prever
Tudo se sucedeu
E pergunto, porque o fizeste?
Na minha alma tudo está confuso
Nos meus pensamentos o medo!
E pergunto, porque o fizeste?
Na minha boca as palavras
Falam baixinho
Porquê?

18-02-09
16h 15m

Beijo silencioso!

Nunca pensei
Saborear um doce beijo
Sem infinito
Sem palavras
Sem murmúrios!
Apenas o corpo falava
Tremia, sentia!

17-02-09
16h 21m

Sinto a tua falta

Por todos os bons momentos
Guardo-te no meu coração!
Por todos os miminhos
Que demonstras-te
Tenho saudades!
Por teres sido
Quem eras
Eu Amo-te!
Por entre nuvens
Tu repousas-te
E eu aqui
Vou voando até a ti!
Tocando nos sorrisos
Mexendo nos bons momentos
Eu sou feliz!
Meu avô, meu Pai
Continuas aqui
Bem junto de mim!

A paixão...

... Tocou no sorriso;
... Agarrou a confiança;
... Cativou a esperança;
... Nasceu um Amor de verdade!

O Amor...

...despertou a auto-estima
...abateu a lágrima
...resistiu ás impurezas
...sobreviveu ao egoísmo
... Combateu a dor interior
Do passado.
...O Amor move o universo
Move sentimentos
Extingue as imperfeições!

24-02-09
23h 07m

Submited by moas

sábado, março 20, 2010 - 17:56

Ministério da Poesia :

No votes yet

moas

imagem de moas
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 1 ano 8 semanas
Membro desde: 03/20/2010
Conteúdos:
Pontos: 51

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of moas

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Fotos/ - me 0 179 05/13/2012 - 02:59 Português
Poesia/Alegria Um dia...! 1 165 03/31/2011 - 18:06 Português
Poesia/Amor O que eu sou para Ti!!! 0 189 03/31/2011 - 18:04 Português
Poesia/Pensamentos O ser "poeta"!!! 0 209 03/31/2011 - 17:58 Português
Poesia/Amor Sem Palavras! 0 196 03/31/2011 - 17:40 Português
Poesia/Tristeza Medo!!! 0 164 03/31/2011 - 17:37 Português
Poesia/Amor Noite!!! 0 204 03/31/2011 - 17:33 Português
Poesia/Amor Amor....Amar!!!! 0 176 03/31/2011 - 17:27 Português
Poesia/Paixão Aquele beijo! 0 150 03/31/2011 - 17:21 Português
Ministério da Poesia/Meditação Palavras Sentidas 0 364 11/19/2010 - 18:27 Português
Poesia/Soneto Sentimentos Ocultos 0 161 11/18/2010 - 14:56 Português