PAINEIRA VELHA

N.A:
(este poema, pela simplicidade das palavras, foi considerado por vários escritores consagrados
um marco antológico na língua portuguesa brasileira atual)

***

Paineira velha
de beira de estrada
tanto fui e vim
tanto vou e volto
de tudo que eu sabia
de tudo me revolto
se já não sei de nada
nem duma nova jornada
nem mesmo de mim

Paineira velha
de beira de estrada
onde o pássaro faz morada
mora nos meus olhos
ó marco de encruzilhada

de frutos na caminhada
que não colhi
vendo tua copa florida
na vida encantada
sinto que por ti passo
tão só como tu
resistindo ao tempo
de um portal ao vento
ao relento
da lua apagada

que vai se abrir
luzir
se sei tudo que sei
já de saber de tudo
meu coração mudo
nas rédeas da esperança
nunca se cansa
de tantas viagens

desde tua sombra
a lúdicas paragens
dum corpo sofrido
que cansado descança
livre leve criança

ó incontida festança
estrada da paineira velha!

que minh'alma não fique calada
se eu um dia não regressar

estarei como tu esquecida
na primavera da vida
que daqui vejo noutro lugar

 

Submited by

Friday, June 8, 2012 - 16:32

Poesia :

Your rating: None (6 votes)

REHGGE

REHGGE's picture
Offline
Title: Membro
Last seen: 7 weeks 1 day ago
Joined: 06/08/2012
Posts:
Points: 225

Add comment

Login to post comments

other contents of REHGGE

Topic Title Replies Views Last Postsort icon Language
Poesia/Sadness vendavais. 0 298 12/30/2019 - 20:22 Portuguese
Poesia/Thoughts que poema tirar da cartola. 0 404 12/27/2019 - 01:32 Portuguese
Poesia/Text Files sr. Jones. 0 392 12/27/2019 - 01:21 Portuguese
Prosas/Others sr. Jones. 0 237 12/27/2019 - 01:19 Portuguese
Poesia/Love além da carne e dos sentidos. 4 1.132 12/22/2019 - 15:30 Portuguese
Ministério da Poesia/Dedicated homenagem a Júlio Saraiva, maluco, poeta e jornalista 2 3.473 12/13/2019 - 15:56 Portuguese
Poesia/General um toque de sensibilidade. 1 1.039 02/28/2018 - 19:20 Portuguese
Ministério da Poesia/Fantasy QUEM SABE SE EU TIVESSE O DOM 0 3.077 05/01/2013 - 00:17 English
Poesia/Erotic (in)CONCLUSO. 0 2.572 03/31/2013 - 21:11 English
Poesia/Erotic (in)CONCLUSO. 0 2.291 03/31/2013 - 21:11 English
Poesia/Intervention bananas, ó 0 3.331 02/12/2013 - 22:08 Portuguese
Poesia/General do tempo decrescente. 0 3.098 02/12/2013 - 16:59 Portuguese
Poesia/Erotic (in)concluso. 0 2.862 02/11/2013 - 22:38 Portuguese
Poesia/Dedicated nem só de poemas vive o poeta, mas de todo sonho possível. 0 3.014 12/15/2012 - 22:16 Portuguese
Poesia/Love AREALVA 0 3.300 12/01/2012 - 23:54 Portuguese
Ministério da Poesia/General mãos. 0 3.061 11/24/2012 - 16:30 Portuguese
Poesia/General águas passadiças. 0 3.228 11/24/2012 - 16:18 Portuguese
Poesia/Sonnet 2 sonetos ordinários numa noite não menos ordinária no Bairro do Bixiga, SP. 0 3.332 08/11/2012 - 23:34 Portuguese
Poesia/Intervention da corrupção. 1 3.447 08/01/2012 - 21:31 English
Ministério da Poesia/Sonnet à face do dia. 0 3.081 07/29/2012 - 22:07 Portuguese
Poesia/General O CANTO DO UIRAPURU 0 3.236 07/27/2012 - 22:27 Portuguese
Ministério da Poesia/Disillusion FLOR DE CACTO // flor de cactus 0 3.355 07/15/2012 - 23:42 Portuguese
Poesia/Dedicated CANÇÃO AO MEU QUERIDO BRASIL 1 2.724 07/09/2012 - 07:02 Portuguese
Poesia/General Que saudade de tudo que reside em mim 0 3.000 07/06/2012 - 22:46 Portuguese
Poesia/Sonnet POR QUE A VIDA É ASSIM 0 3.126 06/29/2012 - 22:57 Portuguese