O Arrumar das Botas

Maria chamara Marta, para as coisas da avó, darem um destino,
Tinha tido uma cerimónia de pompa e circunstância, com banda e tudo à mistura,
Até o padre da aldeia, havia vestido o seu melhor hábito e tinha mandado tocar o sino,
Ela era acima de tudo, muito estimada e por todos considerada uma excelente criatura.

Deram toda a sua roupa à paróquia, aos mais necessitados,
Quanto aos seus pertences pessoais, decidiram repartir pelo seu herdeiro e herdeira,
Os seus netos, a sua família mais chegada, os seus postiços filhos amados,
Toda a sua vida, ali numa arca de madeira, de todo o seu passado, hospitaleira.

Jacinto estava inconsolável, Américo só pensava em vir embora,
Marta estava grávida e sentia-se muito cansada,
Maria, chorava cada vez que pensava nas suas palavras, naquela hora,
Se alguém aqui sofria, eram os dois irmãos, que estavam sozinhos, sem a sua avó amada.

Dias passaram e Maria, decidiu abrir a arca de madeira, onde guardara os pertences da finada,
Havia um vestido de finos trajes, que da avó, não seria certamente,
Uma data de livros antigos, velhos de grossa lombada,
Uma série de fotografias, dela e de uma data de gente.

Nunca havia visto aquelas fotografias, nem imaginava algum dia, encontrar tal coisa ali,
Tinha imagens dela, do seu casamento, com o seu marido, da sua filha quando era pequena,
De lugares lindos, de momentos de felicidade, de lugares e gentes que não eram dali,
Que vida tão alegre, era esta que desconhecera…porque teria a felicidade, saído de cena.

E os pequenos, também os encontrou, que eram tão bonitos,
Já imaginava se tivesse um filho de Jacinto, iria ter concerteza, aqueles cachos,
Que mãe teria sido aquela, que abandonara os seus filhos, tão formosos, sem defeitos,
Que tipo de mulher, ela seria, para a mãe, deixar tamanhos berbicachos.

Num pacote, enrolado por uma fita branca, estava um fino monte de papéis,
Uma carta escrita à mão, recebida há uns anos atrás,
Num envelope, estava um pedaço de cabelo e dois anéis,
E uma fotografia de uma moça grávida, com “Verónica” escrito por detrás.

Era a mãe do seu marido, mais nova, grávida, jovem,
Devia ter menos de dezasseis anos, porque tinha ainda um rosto de miúda,
Que mal havia deixado de sujar as cuecas, mas com um ar de desdém,
E possivelmente, estaria ali contrariada, pois estava com ar de trombuda.

Como que se fosse movida por algo superior a ela,
Decidiu abrir a carta, que alguém havia escrito a Josefa e enviado à sua morada…
Era uma carta da sua filha Verónica, onde contava o que havia sido dela,
E contava também, que um dia havia de voltar…voltar para os braços da sua família amada.

Submited by

Tuesday, December 6, 2011 - 01:02

Poesia :

Your rating: None (1 vote)

joanadarc

joanadarc's picture
Offline
Title: Membro
Last seen: 3 years 24 weeks ago
Joined: 07/18/2011
Posts:
Points: 1571

Comments

DouglasFagundesMurta's picture

Fiquei impressionado

fIQUEI IMPRESSIONADO COM O TEXTO. bELO TRABALHO!

apsferreira's picture

Poeta, romancista, com a

Poeta, romancista, com a imaginação à altura,

tu continuas a imprimir a tua história,

com muito interesse, e belamente.

Gosto de ler-te,

:-)

joanadarc's picture

Obrigado Caro Albano, Já

Obrigado Caro Albano,

Já havia sentido a tua falta por aqui, é sempre com um enorme gosto que recebo as tuas apreciações.

Joana

joanadarc's picture

Caro Rui, Tu nem sabes o

Caro Rui,

Tu nem sabes o quanto quero eu chegar ao fim, pois até a mim, esta história me envolve de tal forma, que muitas vezez abdico de até mesmo estudar, para escrever mais um episódio dela.

Até porque já tenho outra em mente, e não posso fazer tanta coisa ao mesmo tempo, como ja dizia o ditado: a pressa é inimiga da perfeição.

Beijo-te

Joana

RZorpa's picture

Aprecio-te imenso a coerencia

Aprecio-te imenso a coerencia e a vontade que cada vez mais se sente, de chegar ao fim... Mas realmente o que apetece é conhecer o próximo passo. Aguardo-te... 

Beijo imenso!

Add comment

Login to post comments

other contents of joanadarc

Topic Title Replies Views Last Postsort icon Language
Poesia/Passion ESPERO-TE 6 3.672 03/15/2018 - 11:14 Portuguese
Poesia/Dedicated OS HOMENS TAMBÉM CHORAM... 4 1.206 03/15/2018 - 11:13 Portuguese
Poesia/Passion O HOMEM COM MEDO 3 1.173 03/15/2018 - 11:12 Portuguese
Poesia/Thoughts DEMOCRACIA DA EXPRESSÃO 11 3.403 02/27/2018 - 12:13 Portuguese
Poesia/Passion FICA-TE A MATAR... 1 1.704 04/20/2013 - 01:07 Portuguese
Poesia/Passion FICA-TE A MATAR... 0 3.019 04/06/2013 - 01:55 Portuguese
Poesia/Passion FICA-TE A MATAR... 0 1.651 04/06/2013 - 01:50 Portuguese
Poesia/Passion DEBAIXO DA TUA PELE 1 2.689 03/28/2013 - 19:05 Portuguese
Poesia/Dedicated A SOMBRA DA SOLIDÃO 1 2.060 03/04/2013 - 12:47 Portuguese
Poesia/Passion DEVIA TER-TE... 2 1.280 03/01/2013 - 18:25 Portuguese
Poesia/Meditation DIZERES MUDOS 2 1.263 03/01/2013 - 18:15 Portuguese
Poesia/Thoughts DEIXAR O DESTINO TRABALHAR 3 1.296 03/01/2013 - 18:10 Portuguese
Poesia/Erotic SODOMIZO-TE…O Diabo do Corpo 5 1.671 10/04/2012 - 23:55 Portuguese
Poesia/Passion MORRES 8 1.623 07/03/2012 - 00:57 Portuguese
Videos/Private Bruno Mars - It Will Rain 0 2.203 07/01/2012 - 00:12 Portuguese
Videos/Music Lana Del Rey - Blue Jeans 0 2.007 07/01/2012 - 00:03 Portuguese
Poesia/Passion TARDO EM TI... 2 1.718 06/30/2012 - 23:59 Portuguese
Poesia/Passion A BELA E O MONSTRO 2 3.884 06/30/2012 - 23:38 Portuguese
Videos/Music Alejandro Sanz - y solo se me ocorre amarte 0 2.351 06/30/2012 - 23:31 Portuguese
Videos/Music Heartbeat City - The Cars 0 2.346 06/30/2012 - 23:11 Portuguese
Poesia/Dedicated ESTE COMBOIO NÃO VAI PARAR 4 1.275 06/24/2012 - 22:20 Portuguese
Videos/Music Pedro Abrunhosa - Tenho o Diabo no Corpo 0 3.312 06/22/2012 - 23:30 Portuguese
Videos/Music Susana Félix - Idade do Céu 0 2.620 06/16/2012 - 22:36 Portuguese
Poesia/Passion CAÍRAM AS PONTES ENTRE NÓS 0 1.530 06/10/2012 - 21:47 Portuguese
Videos/Music Madonna - JUSTify MY LOVE 0 1.617 06/08/2012 - 22:25 Portuguese