A Hora no Relógio


Minha coletânea poética Meu Jardim Secreto na Amazon:

https://lnkd.in/dk7r-2z

O mundo está doente,
Na UTI da alma,
Também estou perturbada,
Sempre muda
Não revoluciono nada,
Minha mente está cansada.
 
O mundo está doente,
Desmoronando aos poucos,
Seres humanos loucos
Mendigando um do outro
Um sentimento quase morto.
 
A Terra ainda gira,
Mas eu nem sei por que.
Não tem amor, não tem prazer,
Só vejo olhares deprimentes
Tentando sobreviver.
 
Como é que pode alguém dizer
Com todas as letras que me ama
E depois me humilhar
Com tantas palavras medonhas?
 
Não tem amor, não tem prazer,
Só vejo olhares furiosos
Se der a hora no relógio
E eu não tiver nas mãos
O dinheiro pra ajudar
Nas despesas e no pão!
 
Não tem amor, não tem prazer,
Só vejo olhares deprimentes
Tentando sobreviver.
 
Desilusão é inevitável,
Nada é o que queremos,
E quando vem o inesperado
A dor é incomparável.
 
Eu tenho pena das crianças
Que nascem nesse mundo falido,
Algum dia chega a hora
De ver tudo destruído.
 
O mundo está doente,
Desmoronando aos poucos,
Seres humanos loucos
Mendigando um do outro
Um sentimento quase morto.
 
O mundo está doente,
Na UTI da alma,
E eu vou seguindo em frente
Na solidão que me devora.
 
Não tem amor, não tem prazer,
Só vejo olhares deprimentes
Tentando sobreviver.
 
Seres humanos loucos
Mendigando um do outro
Um sentimento quase morto.

A hora no relógio
É sempre traiçoeira,
Leva embora os bons momentos
E a solidão é a certeza. 

JM JAMILA MAFRA

Submited by

Tuesday, October 2, 2018 - 00:31

Poesia :

No votes yet

jamilamafra

jamilamafra's picture
Offline
Title: Membro
Last seen: 11 weeks 8 hours ago
Joined: 09/03/2009
Posts:
Points: 6049

Add comment

Login to post comments

other contents of jamilamafra

Topic Title Replies Views Last Postsort icon Language
Prosas/Teatro O Diálogo das Amigas Separadas 0 1.606 11/18/2010 - 23:05 Portuguese
Poesia/Sadness A ILUSÃO É UM PRATO QUE SE COME QUENTE 0 1.058 11/18/2010 - 15:42 Portuguese
Poesia/Acrostic E SE A MIM NÃO HOUVER MAIS RAZÃO DE EXISTIR 0 909 11/18/2010 - 15:42 Portuguese
Poesia/Sadness OS VERSOS QUE ESCREVI QUANDO NINGUÉM SABIA ONDE EU ESTAVA 0 1.251 11/18/2010 - 15:41 Portuguese
Poesia/Love ATÉ QUE O SOL APAREÇA 0 574 11/18/2010 - 15:41 Portuguese
Poesia/Sadness Hoje O Céu Chorou Comigo 0 847 11/18/2010 - 15:41 Portuguese
Poesia/Love Segredos Do Paraíso 0 723 11/18/2010 - 15:41 Portuguese
Poesia/Disillusion O SEU FINGIMENTO 0 798 11/18/2010 - 15:41 Portuguese
Poesia/Sadness Tarde de Sábado 0 683 11/18/2010 - 15:41 Portuguese
Poesia/Sadness Hora do Adeus 0 1.323 11/18/2010 - 15:41 Portuguese
Poesia/Love BRAZIL, Amo-te Mesmo Assim 0 860 11/18/2010 - 15:40 Portuguese
Poesia/Sadness A DOR QUE NÃO TERMINA 0 1.030 11/18/2010 - 15:40 Portuguese
Poesia/Comedy Quem ou o Que Você Mandaria Embora Pra Outro Planeta Bem Longe Daqui? 0 981 11/18/2010 - 15:39 Portuguese
Poesia/Love VOUS OU LA MORT 0 958 11/18/2010 - 15:39 Portuguese
Poesia/Sadness A PIADA QUE EU COMECEI 0 495 11/18/2010 - 15:39 Portuguese
Poesia/Love BENNETT MARRIAGE 0 1.150 11/18/2010 - 15:35 Portuguese
Poesia/Meditation Misérias Multinacionais ( Coca-Cola e a Nestlé ) 0 1.228 11/18/2010 - 15:32 Portuguese
Poesia/Meditation TESTAMENTO DE MORTE 0 821 11/18/2010 - 15:32 Portuguese
Poesia/Sadness Almoço de Cachorro 0 759 11/18/2010 - 15:32 Portuguese
Poesia/Disillusion O Amor Que Se Foi Com o Vento ( A Fúria da Natureza ) 0 900 11/18/2010 - 15:32 Portuguese
Poesia/Sadness Premonição Para O Futuro ( A Queda dos Asteróides ) 0 447 11/18/2010 - 15:32 Portuguese
Poesia/Meditation Controvérsias 0 433 11/18/2010 - 15:32 Portuguese
Poesia/Love A Morte do Amor 0 649 11/18/2010 - 15:31 Portuguese
Poesia/Meditation Massacre das Bonecas 0 400 11/18/2010 - 15:31 Portuguese
Poesia/Comedy Avós Maternos 0 711 11/18/2010 - 15:31 Portuguese