Mesmo que ninguém me leia.

Quero escrever,
Mesmo que ninguém me leia,
Mas eu quero e preciso escrever.

Quero dar asas a pensamentos
E sentimentos que me invadem por completo.
Quero que as palavras saiam
De minha alma e alcem rumo
Ao voo da liberdade,
Quero a paz das palavras
Escritas com verdade.

Quero que madrugadas em claro
Virem poesias,
Quero que a alma de um poeta
Seja valorizada algum dia.
Quero poetizar tudo,
Inclusive as utopias.

Sonhos improváveis escreverei,
Situações inimagináveis descreverei,
Serei eu o poeta das aventuras e desventuras,
Mesmo que ninguém me leia,
Ainda assim, serei eu.

Ser lido não me faz poeta,
Dar vida as palavras
Que inquietantemente imploram
Por fuga, sim.

Submited by

Monday, July 19, 2010 - 07:48

Poesia :

No votes yet

Brunorico

Brunorico's picture
Offline
Title: Membro
Last seen: 4 years 13 weeks ago
Joined: 03/05/2009
Posts:
Points: 528

Comments

CostaDaSilva's picture

Re: Mesmo que ninguém me leia.

inicialmente, o silencio e uma folha em branco que reclama a alma do poeta e um momento que se sobrepõe à plateia. depois, a união das palavras que se impõem com o sentimento. por fim o poema que vive e permanecerá no tempo.

abraço

Add comment

Login to post comments

other contents of Brunorico

Topic Title Replies Views Last Postsort icon Language
Fotos/Profile 1025 0 1.079 11/24/2010 - 00:37 Portuguese
Poesia/Disillusion Sonhos envelhecidos. 0 705 11/18/2010 - 16:27 Portuguese
Poesia/Thoughts Cá entre nós. 0 703 11/18/2010 - 16:17 Portuguese
Poesia/General Vidas orquestradas. 0 587 11/18/2010 - 16:01 Portuguese
Poesia/General O saudosista 0 674 11/17/2010 - 23:41 Portuguese
Poesia/General Misantropo até a morte 0 727 11/17/2010 - 23:39 Portuguese
Poesia/General Medo de acordar. 0 584 11/17/2010 - 23:39 Portuguese
Poesia/Meditation Sapiência infantil. 0 523 11/17/2010 - 23:21 Portuguese
Poesia/Meditation Conselhos de um eremita. 0 829 11/17/2010 - 23:20 Portuguese
Poesia/Meditation Um morto perdido no tempo. 2 656 09/01/2010 - 01:45 Portuguese
Poesia/Meditation A bagagem da maturidade. 1 695 08/14/2010 - 11:03 Portuguese
Poesia/Love Desregrado e desafinado. 2 775 08/12/2010 - 18:14 Portuguese
Poesia/Fantasy Sonho efêmero. 3 853 08/05/2010 - 01:29 Portuguese
Poesia/General Mesmo que ninguém me leia. 1 864 07/19/2010 - 16:22 Portuguese
Poesia/Disillusion Sinuca. 1 575 07/02/2010 - 15:12 Portuguese
Poesia/Disillusion Dónde estás la revolución? 1 551 06/21/2010 - 22:37 Portuguese
Poesia/General Subsistência. 2 666 06/11/2010 - 04:47 Portuguese
Poesia/Disillusion Onde estão as flores? 1 562 06/07/2010 - 21:31 Portuguese
Poesia/Meditation Medíocres virtuosos. 0 641 05/29/2010 - 18:47 Portuguese
Poesia/Meditation Palavras vazias. 2 682 05/16/2010 - 19:25 Portuguese
Poesia/Sadness O novo envelheceu. 1 527 05/16/2010 - 19:21 Portuguese
Poesia/Meditation Esboço poético desvairado. 1 648 05/14/2010 - 21:38 Portuguese
Poesia/Dedicated Apolínea. 0 577 05/10/2010 - 01:57 Portuguese
Poesia/General Insanidade visceral. 1 641 05/05/2010 - 23:08 Portuguese
Poesia/Meditation Preciso dizer que... 1 517 04/26/2010 - 03:06 Portuguese