João Guimarães Rosa, Ave!

Eu acho que por ter nome de flor
e a justa conta da justa dor,
foi que o Matuto Doutor
espalhou tanta cor
nesse Mundo de incerto autor.

E tanto sentir foi,
que vazou das Minas
e encheu o Brasil.
E tanto sentir foi,
que vazou do Brasil
qual água de vazado barril.

E tanto sentir era
que curto o vocabulário era.
E para tanto dizer
pôs-se, presto, palavras fazer.

E foi com elas que cantou
o ciúme de Salustiano;
a dor do boi no carro decano
(jungidos na vida, ano após ano).

E foi com elas que pariu
Diadorim e Riobaldo,
cujo "L" secou o rio e impediu o bardo.
Enquanto carregava a primeira, o duro fardo
de viver num corpo errado.

E é tal o tal Drº João,
que salta do papel
a Vereda do Grande Sertão.
Tal e qual a marra do peão
que escora o boi bravo como o Cão.
Boi que se rechaça
num depois de farinha e cachaça.

Toma carne e forma a mulher que cheira
saudade, amor e flor de laranjeira.

E tanto se caminha nessas letras
que se sabe que as noites não são pretas.
Sente-se a Lua Cheia,
a terra de "à meia"
e o bruto desejo que tudo incendeia.

E mais se vai, no lombo do Burro Pedrês.
Cruza-se o muro chinês
sem que se dispa o paletó xadrez.

Tanta viagens, Guimarães.
Dores, amores e quase carinhos de mães.
Tantos caminhos, Mestre, que só se pode pensar
em qual caneta "Vosmicê" foi viajar.

Submited by

Miércoles, Julio 22, 2009 - 16:09

Poesia :

Sin votos aún

fabiovillela

Imagen de fabiovillela
Desconectado
Título: Moderador Poesia
Last seen: Hace 3 años 27 semanas
Integró: 05/07/2009
Posts:
Points: 6158

Comentarios

Imagen de KeilaPatricia

Re: João Guimarães Rosa, Ave!

"Sente-se a Lua Cheia,
a terra de "à meia"
e o bruto desejo que tudo incendeia."

:-)

Imagen de MarneDulinski

Re: João Guimarães Rosa, Ave!

fabiovillela!

Lindo poema de!

Tanta viagens, Guimarães.
Dores, amores e quase carinhos de mães.
Tantos caminhos, Mestre, que só se pode pensar
em qual caneta "Vosmicê" foi viajar.

Marne

Imagen de Tiger

Re: João Guimarães Rosa, Ave!

"Toma carne e forma a mulher que cheira
saudade, amor e flor de laranjeira.
"

mto bom ;-)

Add comment

Inicie sesión para enviar comentarios

other contents of fabiovillela

Tema Título Respuestas Lecturas Último envíoordenar por icono Idioma
Videos/Poesía As Cidades e as Guerras - A Canção de Saigon 0 5.347 11/20/2014 - 15:05 Portuguese
Videos/Poesía As Cidades e as Guerras - A Canção de Bagdá 0 5.030 11/20/2014 - 15:02 Portuguese
Videos/Poesía As Cidades e as Guerras - A Canção de Sarajevo 0 6.902 11/20/2014 - 14:58 Portuguese
Poesia/Dedicada Negra Graça Poesia 0 789 11/20/2014 - 14:54 Portuguese
Prosas/Otros Rousseau e o Romantismo - Final - O Contrato Social 0 706 11/19/2014 - 21:02 Portuguese
Poesia/Dedicada A Pedra de Luz 0 540 11/18/2014 - 15:17 Portuguese
Poesia/Amor Chegada 0 805 11/16/2014 - 15:33 Portuguese
Prosas/Otros Rousseau e o Romantismo - Parte XIX - A Liberdade Civil 0 464 11/15/2014 - 22:04 Portuguese
Prosas/Otros Rousseau e o Romantismo - Parte XVIII - A teoria da Vontade Geral 0 825 11/15/2014 - 22:01 Portuguese
Poesia/Dedicada Partidas 0 1.000 11/14/2014 - 16:13 Portuguese
Prosas/Otros Rousseau e o Romantismo - Parte XVII - A transição para a Liberdade Civil 0 391 11/14/2014 - 15:06 Portuguese
Poesia/Amor Diferenças 0 692 11/13/2014 - 21:25 Portuguese
Prosas/Otros Rousseau e o Romantismo - Parte XVI - A Liberdade Natural 0 880 11/12/2014 - 14:46 Portuguese
Poesia/Amor Tramas 0 692 11/11/2014 - 01:47 Portuguese
Poesia/General A mulher que anda nua 0 803 11/09/2014 - 16:08 Portuguese
Prosas/Otros Rousseau e o Romantismo - Parte XV - Emílio e a pedagogia rousseauniana 0 1.067 11/09/2014 - 15:21 Portuguese
Prosas/Otros Rousseau e o Romantismo - Parte XIV - A transição para o Estado de Civilização 0 555 11/08/2014 - 15:57 Portuguese
Prosas/Otros Rousseau e o Romantismo - Parte XIII - O homem no "Estado de Natureza" 0 475 11/06/2014 - 22:00 Portuguese
Prosas/Otros Rousseau e o Romantismo - Parte XII - As Artes e as Ciências 0 334 11/05/2014 - 19:47 Portuguese
Prosas/Otros Rousseau e o Romantismo - Parte XII - A Religião 0 644 11/03/2014 - 14:58 Portuguese
Poesia/General Os Finados 0 720 11/02/2014 - 15:39 Portuguese
Prosas/Otros Rousseau e o Romantismo - Parte XI - O amor e o ódio 0 382 11/01/2014 - 15:35 Portuguese
Poesia/General A Canção de Bagdá 0 638 10/31/2014 - 15:04 Portuguese
Prosas/Otros Rousseau e o Romantismo - Parte X - As grandes linhas do Pensamento rousseauniano 0 491 10/30/2014 - 21:13 Portuguese
Prosas/Otros Rousseau e o Romantismo - Parte IX - A estada na Inglaterra e a desavença com Hume 0 961 10/29/2014 - 14:28 Portuguese