SOMÍTICO CORPO DE SILÊNCIO

Somítico
corpo de silêncio,
esta saudade lapidada
com tremor num caderno de escuro.

Um muro de escuro
onde vejo sombras de amargura.

Sombras onde ouço
a discordância dos meus sentidos
num espólio de frases imoderadas.

Desabafos de solidão
incendeiam fogos de esperança.

Comovente espera
ao fundo de ecos longínquos.

Acordo do sono da água,
que se vinga em lágrimas salgadas
na geografia triste do meu rosto,
rescrito de letras clandestinas
que deixei de compreender.

Irónico,
o ar que respiro vampiro do vento.

Assassino-me
atravessadamente
na geometria dos sentimentos.

Choro,
chocalho em pirâmide
as esferas de sensações de vazio.

Amasso cores desesperadas
com a linguagem do meu olhar.

Esfacelo os olhos
sobre a ponta de um lápis,
desbastado em sebentas de lamúrias
que riam de mim.

Ah ah ah ah ah ah ah

Malditas!

Ao despique
com as esculturas do tempo
no areal da alma alquebrada,
procuro-me nos perigos do Sol
em deserto sisudo com o meu tacto mudo.

Na lama
que me vejo ao espelho,
rabisco caricaturas de ninguém.

Cuspo metamorfoses
do meu reflexo na penumbra
de uma ponte caída entre mim e o sonho.

Medonho,
levo-me em verso
pela mão inversa da realidade.

Teimo esconder-me em mim,
de mim soslaio do Eu.

Maldito!

Submited by

Miércoles, Febrero 10, 2010 - 01:40

Poesia :

Sin votos aún

Henrique

Imagen de Henrique
Desconectado
Título: Membro
Last seen: Hace 5 años 15 semanas
Integró: 03/07/2008
Posts:
Points: 34817

Comentarios

Imagen de marialds

Re: SOMÍTICO CORPO DE SILÊNCIO

Saudades e tristezas cantadas em versos com melancolia.
Belo poema.

Imagen de vitor

Re: SOMÍTICO CORPO DE SILÊNCIO

Belo poema Henrique.

Vitor

Imagen de MarneDulinski

Re: SOMÍTICO CORPO DE SILÊNCIO

LINDO E MEDITATIVO POEMA, GOSTEi!
Meus parabéns,
Marne

Imagen de danyfilipa

Re: SOMÍTICO CORPO DE SILÊNCIO

um "mermurio" de silencio, de desespero, de tristeza profunda...

adorei

realço:
"Assassino-me
atravessadamente
na geometria dos sentimentos.

Choro,
chocalho em pirâmide
as esferas de sensações de vazio."

:-)bjo

Imagen de ÔNIX

Re: SOMÍTICO CORPO DE SILÊNCIO

Um muro de escuro
onde vejo sombras de amargura.

A fuga da uma realidade para outra ainda maior, através dos ecos que te chegam vêm de longe. mas é onde te encontras lá nessa inquietude.
Poema forte como tu, como te sentes, homem, poeta, humanidade inquieta

Medonho,
levo-me em verso
pela mão inversa da realidade.

Em torno de outro eu te volves numa atmosfera densa, uma realidade que te é adversa.

Gostei muito Henrique

Beijo

Matilde D'Ônix

Imagen de Betofelix

Re: SOMÍTICO CORPO DE SILÊNCIO

O poema caminha em compasso célere e marcado.

A estrofe abaixo diz tudo, do revolto a incompreensão:

Acordo do sono da água,
que se vinga em lágrimas salgadas
na geografia triste do meu rosto,
rescrito de letras clandestinas
que deixei de compreender.

Aplausos a ti. :hammer:

Imagen de mariacarla

Re: SOMÍTICO CORPO DE SILÊNCIO

Henrique... bem sei que a tua poesia tem de ser lida e interpretada com alma, mas gostei especialmente desta... tudo encaixa...tudo soa de forma brilhante... tudo realça.
Repara:
Somítico … Muro
Sombras …Desabafos
Comovente …Acordo
Irónico…Assassino
Choro… Esfacelo
Ah ah ah ah ah ah ah

Malditas!
(e até ficaria por aqui) mas…
Ao despique… na lama
Medonho … teimo
Maldito!

Beijo
Carla

Imagen de RobertoEstevesdaFonseca

Re: SOMÍTICO CORPO DE SILÊNCIO

Parabéns pelo belo poema.

Gostei.

Um abraço,
Roberto

Imagen de NunoCarvalho

Re: SOMÍTICO CORPO DE SILÊNCIO

Boa poesia, Henrique.

Poema sentido e bem estruturado.

Abraço

Add comment

Inicie sesión para enviar comentarios

other contents of Henrique

Tema Título Respuestas Lecturas Último envíoordenar por icono Idioma
Poesia/Pensamientos DA POESIA 1 5.746 05/26/2020 - 23:50 Portuguese
Videos/Otros Já viram o Pedro abrunhosa sem óculos? Pois ora aqui o têm. 1 37.591 06/11/2019 - 09:39 Portuguese
Poesia/Tristeza TEUS OLHOS SÃO NADA 1 1.790 03/06/2018 - 21:51 Portuguese
Poesia/Pensamientos ONDE O INFINITO SEJA O PRINCÍPIO 4 2.468 02/28/2018 - 17:42 Portuguese
Poesia/Pensamientos APALPOS INTERMITENTES 0 2.319 02/10/2015 - 22:50 Portuguese
Poesia/Aforismo AQUILO QUE O JUÍZO É 0 2.151 02/03/2015 - 20:08 Portuguese
Poesia/Pensamientos ISENTO DE AMAR 0 4.134 02/02/2015 - 21:08 Portuguese
Poesia/Amor LUME MAIS DO QUE ACESO 0 2.951 02/01/2015 - 22:51 Portuguese
Poesia/Pensamientos PELO TEMPO 0 1.813 01/31/2015 - 21:34 Portuguese
Poesia/Pensamientos DO AMOR 0 1.975 01/30/2015 - 21:48 Portuguese
Poesia/Pensamientos DO SENTIMENTO 0 2.526 01/29/2015 - 22:55 Portuguese
Poesia/Pensamientos DO PENSAMENTO 0 2.505 01/29/2015 - 19:53 Portuguese
Poesia/Pensamientos DO SONHO 0 1.791 01/29/2015 - 01:04 Portuguese
Poesia/Pensamientos DO SILÊNCIO 0 3.158 01/29/2015 - 00:36 Portuguese
Poesia/Pensamientos DA CALMA 0 2.451 01/28/2015 - 21:27 Portuguese
Poesia/Pensamientos REPASTO DE ESQUECIMENTO 0 1.998 01/27/2015 - 22:48 Portuguese
Poesia/Pensamientos MORRER QUE POR DENTRO DA PELE VIVE 0 1.999 01/27/2015 - 16:59 Portuguese
Poesia/Aforismo NENHUMA MULTIDÃO O SERÁ 0 2.013 01/26/2015 - 20:44 Portuguese
Poesia/Pensamientos SILENCIOSA SOMBRA DE SOLIDÃO 0 3.147 01/25/2015 - 22:36 Portuguese
Poesia/Pensamientos MIGALHAS DE SAUDADE 0 1.654 01/22/2015 - 22:32 Portuguese
Poesia/Pensamientos ONDE O AMOR SEMEIA E COLHE A SOLIDÃO 0 1.624 01/21/2015 - 18:00 Portuguese
Poesia/Pensamientos PALAVRAS À LUPA 0 2.565 01/20/2015 - 19:38 Portuguese
Poesia/Pensamientos MADRESSILVA 0 1.567 01/19/2015 - 21:07 Portuguese
Poesia/Pensamientos NA SOLIDÃO 0 1.852 01/17/2015 - 23:32 Portuguese
Poesia/Pensamientos LÁPIS DE SER 0 1.841 01/16/2015 - 20:47 Portuguese