A Invasão

A cidade se agita, ruas grandes gigantescas avenidas, vielas ruas e becos,o sol ilumina a grandiosidade das construções assinadas por arquitetos famosos, beleza para os olhos,a beleza do poder, áreas de grande valorização comercial que todos cobiçam e querem, ao lado terrenos vazios a espera de valorização e de investidores. A noite majestosa se impõe com escuridão, e as luzes se acendem são pequenos pontos de diamantes brilhando no manto negro de veludo do céu, bem juntinho das estrelas.
É, neste cenário de aparente tranqüilidade, que se ouve roncos de caminhões,sons de metais no asfalto são ferraduras apressadas que tem um destino levar alguém em algum lugar, martelos batendo apressados, palavreados nunca vistos no local.
_ Me dá um prego daí, o cara.
_Rápido, rápido.
_ Que merda arrebentei meu dedo.
_ Os homi tão passando ai.
_ Mais rápido.
_ Busca os porretes que o cara deu.
_ E a canha ta ai to cum frio. A ronda da polícia passa, ninguém esta obstruindo o transito, e a ordem é não interferir, vão embora. Todos estão arrumados e acampados. O sol nasce, a luz do dia trás clareza aos sons da noite, mais um terreno invadido. E agora o poderoso dono da terra irá disputar no tribunal a posse do que direito é seu comprou, pagou imposto ao poderoso estado, que não garantiu a sua propriedade. E, os invasores coitados que não tinham para onde ir, são agora poderosos Senhores de si tomaram posse do que queriam, e mais uma vez os pretensos poderosos, vêm se mover como marionetes nos tribunais nas mãos da lei que vai manipular as cordas.
A mesma lei que não consegui manter as marionetes do poder paralelo no palco o qual lhes coube na sociedade.
E mais uma vez, o mantenedor da sociedade com pagamento de seus impostos, vêm pagar custos de processos de reintegração de posse advogados etc..., a onde esta o poder concedido nas urnas aos governantes e legisladores?
A pergunta ficará para sempre nas nossas mentes indignadas e estupefatas diante das marionetes que somos na sociedade que nós mesmos criamos.Porque as desigualdades geram tanto poder?.
Quem se beneficia deste poder?. Pobres?. Ricos?. Ou Alguns tentáculos usurpadores que não vislumbramos no nosso curto horizonte do dia a dia.

Submited by

Lunes, Octubre 19, 2009 - 20:57

Prosas :

Sin votos aún

marialds

Imagen de marialds
Desconectado
Título: Membro
Last seen: Hace 1 año 29 semanas
Integró: 03/31/2009
Posts:
Points: 2887

Comentarios

Imagen de RobertoEstevesdaFonseca

Re: A Invasão

Penso que em ganha, nem aparece.

Excelente!

Parabéns,
Um grande abraço,
REF

Add comment

Inicie sesión para enviar comentarios

other contents of marialds

Tema Título Respuestas Lecturas Último envíoordenar por icono Idioma
Poesia/Tristeza Separação 0 713 07/22/2015 - 20:11 Portuguese
Poesia/General Veja 0 1.052 07/19/2014 - 03:55 Portuguese
Prosas/Pensamientos Pensamentos 0 833 03/02/2014 - 02:55 Portuguese
Prosas/Pensamientos Pensamentos 0 1.103 03/02/2014 - 02:47 Portuguese
Prosas/Pensamientos Pensamentos 0 689 03/02/2014 - 02:41 Portuguese
Prosas/Pensamientos Pensamentos 1 1.392 12/20/2013 - 21:17 Portuguese
Prosas/Otros Frase 0 918 11/28/2013 - 00:50 Portuguese
Fotos/Naturaleza Flores popularmente chamadas de "Damas da Noite" 0 1.492 11/28/2013 - 00:44 Portuguese
Poesia/General Noite de Solidão 0 1.244 11/27/2013 - 23:23 Portuguese
Poesia/General Fria Madrugada 2 1.388 11/27/2013 - 22:34 Portuguese
Poesia/General Cotidiano 2 969 11/18/2013 - 00:57 Portuguese
Poesia/Fantasía Ser em Sombras 0 835 05/12/2013 - 00:30 Portuguese
Poesia/General A Flor da Pele 2 1.109 06/24/2012 - 21:48 Portuguese
Poesia/General Solidão de nos Dois. 2 1.061 06/17/2012 - 20:39 Portuguese
Poesia/General Passagem 0 788 06/17/2012 - 02:57 Portuguese
Poesia/General Momentos 1 1.346 03/30/2012 - 10:04 Portuguese
Poesia/General Teu Perfume 0 1.304 03/30/2012 - 05:04 Portuguese
Poesia/General Espectro 0 1.086 03/30/2012 - 04:56 Portuguese
Poesia/General Na Face do Menino 2 1.140 01/22/2012 - 03:59 Portuguese
Poesia/General Tombados 0 872 01/21/2012 - 03:32 Portuguese
Fotos/Paisaje Estrada de nuvens. 0 2.629 01/15/2012 - 22:38 Portuguese
Poesia/Haiku Sem Titulo 0 1.124 01/15/2012 - 22:00 Portuguese
Poesia/Haiku Sem Título 0 1.006 01/15/2012 - 21:59 Portuguese
Poesia/Tristeza Apenas Lembranças 0 1.003 01/15/2012 - 21:56 Portuguese
Poesia/Soneto Livro de bolso 0 2.171 09/17/2011 - 05:15 Portuguese