"Coisas" 6ª história do livro: "Estrelas Apagadas"

"COISAS"

 

 

 

 


F
oram as mãos, que taparam o sol e é pelas mãos que o sangue chega há lua.
Ainda temos o antídoto para o veneno que contamina o mundo inteiro. “ Nós precisamos de abraçar as pessoas que amamos. Se escolher-mos, a boa parte, esta não nos será tirada . Porém, temos a tendência a acreditar de que amamos as coisas que fazemos com as nossas próprias mãos; então, andamos preocupados e inquietos com muitas coisas... – Podemos usar as nossas mãos para curar e, podemos, certamente, usar as nossas mãos para ajudar... Podemos usar as nossas mãos como antídoto, para levar ao mundo o espírito da Paz. “ Muitos, de entre nós, falam do amor, mas, não fazem muito para o mostrar. Esses deviam de pôr, suas mãos, para suas preces”.
Não continuemos a beber somente água: Tomemos, também, um pouco de vinho...
Podemos usar as nossas mãos para magoar.
- Então! Não é das nossas mãos que provém o verdadeiro amor?!
... A prova está no céu: O céu inspira o Homem e, o homem usa o rosto para afiar o Homem; o Homem usa as mãos, para mostrar ao Homem a inspiração do céu; que, suas mãos usou. O Homem foi feito pelo céu e com ele se elegeu um pouco da noção do verdadeiro amor. Mas, o amor! É apenas uma palavra que foi feita para explicar (rapidamente) “e sem sentido”, os actos desconhecidos do próprio amor.
O Homem construiu uma estátua nas memórias da recordação que o céu lhe enviou; expô-la ao mundo; mas... A estátua não tinha braços nem mãos... Mas, precisava de um nome. Como tudo tem que ter um nome... O Homem começou a dar nomes às coisas, como hás obras e, chamou a obra do céu, com um nome do céu... Para valorizar a obra das suas mãos, chamou-lhe: “ Deusa do amor ”.
Os Homens achavam, em si próprios, que, com as próprias mãos faziam o que eram e o que são; então, chamaram-se a si próprios (Coisas) Porque: “Uma Deusa do amor, acima de tudo, tinha que ter mãos ”.
- Pois que o Homem anda enganado: Quando olha suas mãos e as coloca numa estátua; ao amor.
“ Diz-me: Porque andas tão animado? Como podes amar sem as tuas mãos?!”
- Conheço a obra, sem obra das mãos e, o amor... O verdadeiro amor é assim: Sem mãos. (As pessoas temem aquilo que realmente acabam por ser: (Coisas) e, as coisas, não podem “ tocar umas nas outras” – Poder, até podem; mas: Não o sabem”).
As coisas não têm sentimentos; mas, as pessoas têm.
É preciso muita paciência e muita humildade para se ser humilhado com o amor que se dá hás pessoas...
- Então, Podes usar as tuas mãos para ajudar...
- Ou, podes usar as tuas mãos para magoar.
- Algumas pessoas falam do amor, mas, não fazem muito para o mostrar.
- Algumas pessoas não podem fazê-lo...
- Nós - precisamos abraçar as pessoas que amamos.
- Alguns de nós, não podemos abraçar as pessoas que amamos; porque: A distância nos corta os braços...
Mas, temos o amor: O VERDADEIRO AMOR.

FIM
 

Submited by

Lunes, Diciembre 20, 2010 - 02:01

Ministério da Poesia :

Sin votos aún

antonioduarte

Imagen de antonioduarte
Desconectado
Título: Moderador Poesia
Last seen: Hace 24 semanas 4 días
Integró: 01/09/2010
Posts:
Points: 2570

Add comment

Inicie sesión para enviar comentarios

other contents of antonioduarte

Tema Título Respuestas Lecturas Último envíoordenar por icono Idioma
Poesia/Soneto “Cheguei Tardio” 4 1.243 03/15/2018 - 10:17 Portuguese
Poesia/Poetrix “Quadra a ti” Acto 7º 1 788 06/13/2014 - 22:54 Portuguese
Poesia/Soneto “Delicado” 3 1.047 12/04/2013 - 21:15 Portuguese
Prosas/Lembranças “Tornado Pedra” 0 1.369 11/07/2013 - 01:30 Portuguese
Poesia/Soneto “Terra” 0 1.852 11/07/2013 - 01:02 Portuguese
Poesia/Soneto “Milagre de Flores” 0 776 04/03/2013 - 02:00 Portuguese
Poesia/Haiku Quadra a ti” Acto 5º 0 1.729 03/22/2013 - 04:17 Portuguese
Poesia/Soneto “Ecos Distantes” 0 1.219 02/22/2013 - 00:16 Portuguese
Poesia/Soneto “Tantos… Tantos” 0 916 01/10/2013 - 03:34 Portuguese
Poesia/Haiku “Quadra a ti” - ( Ato 6º ) 0 837 10/24/2012 - 14:11 Portuguese
Poesia/Haiku "Quadra a ti: ( Géneros Distraídos) 0 1.409 10/24/2012 - 13:56 Portuguese
Poesia/Amor “Numa lembrança de ti” 2 946 10/23/2012 - 15:35 Portuguese
Prosas/Pensamientos "Sobra de Mim" 0 1.337 10/22/2012 - 22:21 Portuguese
Poesia/Soneto “De Mim, Fundo No Olhar” 0 1.095 10/18/2012 - 22:47 Portuguese
Poesia/Soneto “Porte Belo” 0 755 10/07/2012 - 12:09 Portuguese
Poesia/Soneto “Míopes” 0 751 10/04/2012 - 20:55 Portuguese
Poesia/Soneto “Perto do Céu” 4 1.544 10/03/2012 - 22:52 Portuguese
Poesia/Archivo de textos “Quando estás longe de mim” 2 1.106 10/03/2012 - 22:35 Portuguese
Poesia/Soneto Ao despertar 0 2.003 10/03/2012 - 22:22 Portuguese
Poesia/Soneto “Na Praia” 0 976 09/30/2012 - 10:53 Portuguese
Poesia/Soneto "Caminho de Parecer" 1 1.754 09/27/2012 - 15:37 Portuguese
Poesia/Meditación “Do céu ao mar” 1 1.295 09/16/2012 - 17:06 Portuguese
Poesia/Archivo de textos Versão destrocida: "Numa Lembrança de ti" 0 1.775 09/12/2012 - 10:58 Portuguese
Poesia/Archivo de textos “Estrela Proibida” 0 930 09/09/2012 - 21:04 Portuguese
Poesia/Pensamientos “Teu rosto foi o primeiro” 0 1.416 08/04/2012 - 01:02 Portuguese