Insanidade

Não sei quanto tempo disponho
e fracamente nada disso me preocupa.
O não viver a cada dia e um ocultar de emoções a cada hora
é que se torna uma verdade que não se sustenta.

Qual o verdadeiro preço a pagar?
O meu orgulho?- Nunca me deu o queria!
Os meus sonhos? - Nunca passaram de ar colorido.
A minha alma? - Essa nunca foi minha para dar.

Qual o poço ou subterrâneo que me permite o esquecimento
Qual montanha a escalar para que tenha fim o sofrimento?
Não sei quanto tempo mais disponho e que vida terei afinal
Apenas me pergunto qual o preço do deleite, qual a causa do meu mal?

Sinto-me um quadro sem cor, que facilmente se tinge de vermelho
Rubor e sobressalto, como se fosse infante,
Desejos proibidos, beijos roubados, pressionados, brincadeiras, sorrisos
Qual o preço a pagar por um instante?

A minha vida presa por um fio e de tal forma suspensa
é uma enorme lista do que gostaria de fazer,
maior é aquela do que poderia ter, entretanto, feito.
São escolhas...de certo nunca pensadas no meu prazer.

O caos e o vazio se confundem, ambos me disputam
mas nenhum me traz a paz que necessito,
nem sacia a fome que trago e que sinto!

Eu vou contigo! Grito devolvido pelo eco
enquanto me atiro nesse negro abismo,
sem para-quedas, sem corda de segurança.
Dá-me só o que preciso!

Se não me devolves a alma
pelo menos, cuida dela.

 

Publicado no Blog Broken Wings e no Blog da PEAPAZ

Submited by

Martes, Marzo 15, 2011 - 14:22

Ministério da Poesia :

Sin votos aún

Ema Moura

Imagen de Ema Moura
Desconectado
Título: Membro
Last seen: Hace 1 año 20 semanas
Integró: 03/15/2011
Posts:
Points: 317

Add comment

Inicie sesión para enviar comentarios

other contents of Ema Moura

Tema Títuloordenar por icono Respuestas Lecturas Último envío Idioma
Críticas/Varios "O mundo já não é das palavras" 2 896 04/13/2011 - 11:19 Portuguese
Poesia/Desilusión À deriva 2 632 05/05/2011 - 17:08 Portuguese
Ministério da Poesia/Amor A minha origem e o meu fim! 0 317 03/15/2011 - 00:52 Portuguese
Ministério da Poesia/Amor A Razão... 0 357 03/29/2011 - 14:03 Portuguese
Ministério da Poesia/Amor A verdade incómoda 0 288 03/15/2011 - 11:02 Portuguese
Prosas/Romance Acorda Clara... Por favor! 0 436 04/22/2011 - 12:22 Portuguese
Ministério da Poesia/Pasión Agarra-me! 0 414 03/15/2011 - 11:08 Portuguese
Prosas/Erótico Amar é levar o pequeno-almoço à cama 0 1.517 03/15/2011 - 15:13 Portuguese
Poesia/Erótico Amarro-te! 3 1.153 01/27/2013 - 15:45 Portuguese
Prosas/Erótico As noites da Pantera 0 652 04/15/2011 - 10:46 Portuguese
Ministério da Poesia/Pasión Assim se baila El Tango! 0 442 03/26/2011 - 17:54 Portuguese
Prosas/Contos Brilho 0 844 01/12/2013 - 22:20 Portuguese
Ministério da Poesia/Desilusión Claramente 0 524 03/15/2011 - 14:16 Portuguese
Ministério da Poesia/Amor Confesso 0 347 03/15/2011 - 10:36 Portuguese
Poesia/Pensamientos Confissões de um conquistador 0 757 09/22/2014 - 17:47 Portuguese
Prosas/Contos Cupido 0 664 03/15/2011 - 15:23 Portuguese
Ministério da Poesia/Desilusión Deixa-me ir! 0 328 03/19/2011 - 21:53 Portuguese
Ministério da Poesia/Pasión Delírio solitário 0 341 03/28/2011 - 15:13 Portuguese
Ministério da Poesia/Pasión Desejo Febril 0 456 03/15/2011 - 10:30 Portuguese
Ministério da Poesia/Pasión Desejo felino 0 317 03/25/2011 - 15:01 Portuguese
Prosas/Romance Doce arrepio 7 950 04/04/2011 - 15:13 Portuguese
Ministério da Poesia/Amor E o impossível acontece 0 414 03/15/2011 - 10:20 Portuguese
Ministério da Poesia/Intervención Em queda livre 0 478 03/15/2011 - 14:50 Portuguese
Prosas/Contos Esculpidos na pedra 0 645 01/12/2013 - 22:15 Portuguese
Poesia/Amor Espero 0 861 01/12/2013 - 22:10 Portuguese