Amar é levar o pequeno-almoço à cama


Clara adormeceu no sofá, no colo folhas de papel e palavras com haste.

Esta semana é a terceira vez que Alex acorda com a almofada vizinha despida de corpo. Puxa-a para si como se puxasse Clara e deita-se na almofada como se deitasse sobre ela.

Não adormece. Não adormece porque está mergulhado no cheiro de Clara, uma fragrância que inebria e desperta. Desperto, preenche a cama de desejos, imagens dela, recordações de si. O calor aumenta e afasta os lençóis.

Clara estivera a ouvir música e a escrever. Isola-se num espaço reduzido, mas aconchegante. A inspiração é caprichosa, precisa de um certo ambiente. Clara transforma o espaço, altera a atmosfera e deixa-se levar, por vezes, por horas que rouba aos dois. O relógio de uma escritora tem horas roubadas, horas emprestadas, horas recolhidas, horas interrompidas, horas lembradas ou esquecidas.

Alex sabe que a criatividade em ebulição não se pode travar. Assim, como o desejo de um homem numa cama repleta de horas vividas a dois. É o seu sorriso que segue o perfume dela pela casa.

Clara adormeceu no sofá, no colo folhas de papel e palavras com haste. Dorme profundamente e não sente que Alex a carrega como se a fosse quebrar. Ela sorri, sente-se flutuar. O céu tem o cheiro amado. Um cheiro que inebria e que desperta.

Clara sente na ponta dos dedos a vontade. Morde os lábios enquanto esta se torna impaciente. Abre o corpo como um lago. Ele mergulha.

Os olhares aquecidos despiram as roupas, invadiram o silêncio com ondas de exclamações. Por vezes, entre eles, os preliminares são pupilas dilatadas. Quando assim é, por norma, o êxtase vibra com a dança das serpentes. Corpos que ondulam entrelaçados fundem-se em convulsão.

O orgasmo é melódico. As notas suadas desprendem-se e ambos adormecem.

A manhã invade o quarto e beija os amantes. O lençol encobre o movimento das almas ao despertar. Primeiro, sentem o seu invólucro, tomam posse de si. Depois, sentem o corpo do outro no movimento suave das extremidades. Parecem searas ao vento. Uma brisa entre os braços que se amam. Laços que não se desprendem, apenas brincam na leve corrente.

Os estômagos pedem alimento matinal. Eles fingem não ouvir. Olham-se nos olhos, absorvem o cheiro, rasgam o sorriso.

_ Queres o pequeno-almoço? – Pergunta entumecido pela fragrância dela.

_ Sim, por favor! Outra vez!

O lençol afasta-se. Não aguenta o calor.

Publicado no Blog Broken Wings e no PEAPAZ

Submited by

Martes, Marzo 15, 2011 - 16:13

Prosas :

Sin votos aún

Ema Moura

Imagen de Ema Moura
Desconectado
Título: Membro
Last seen: Hace 42 semanas 3 días
Integró: 03/15/2011
Posts:
Points: 317

Add comment

Inicie sesión para enviar comentarios

other contents of Ema Moura

Tema Título Respuestas Lecturas Último envíoordenar por icono Idioma
Ministério da Poesia/Amor Nada mais (nona carta) 0 545 09/22/2014 - 18:54 Portuguese
Prosas/Contos «Pele...» 0 506 09/22/2014 - 18:52 Portuguese
Prosas/Erótico Proposta 0 603 09/22/2014 - 18:50 Portuguese
Poesia/Pensamientos Confissões de um conquistador 0 614 09/22/2014 - 18:47 Portuguese
Poesia/Pensamientos Pintura introspectiva 0 780 09/20/2014 - 11:19 Portuguese
Poesia/Pensamientos Silencia o teu amor 0 550 09/20/2014 - 11:17 Portuguese
Prosas/Pensamientos Monólogo da memória 0 510 09/20/2014 - 11:15 Portuguese
Poesia/Pasión Obsessão 0 632 09/20/2014 - 11:10 Portuguese
Poesia/Erótico Tortura, anseio... 1 739 01/27/2013 - 22:47 Portuguese
Prosas/Contos Inspira, relaxa e divaga... Suspira! 2 662 01/27/2013 - 17:40 Portuguese
Prosas/Erótico Outra vez! 2 1.204 01/27/2013 - 17:36 Portuguese
Poesia/Pasión Quero-te outra vez... 0 517 01/27/2013 - 17:08 Portuguese
Poesia/Amor Ouve-me 1 649 01/27/2013 - 16:50 Portuguese
Poesia/Erótico Amarro-te! 3 958 01/27/2013 - 16:45 Portuguese
Poesia/Meditación Ofélia 0 631 01/12/2013 - 23:34 Portuguese
Prosas/Contos Brilho 0 717 01/12/2013 - 23:20 Portuguese
Prosas/Contos Esculpidos na pedra 0 510 01/12/2013 - 23:15 Portuguese
Poesia/Amor Espero 0 690 01/12/2013 - 23:10 Portuguese
Prosas/Romance Hoje, o céu é meu... 0 933 08/11/2011 - 14:09 Portuguese
Poesia/Meditación Saudade poética 2 814 07/09/2011 - 02:59 Portuguese
Prosas/Erótico O desejo é muito mais que um brilho no olhar... 0 896 07/07/2011 - 23:17 Portuguese
Prosas/Erótico Tortura 0 742 07/07/2011 - 23:13 Portuguese
Prosas/Pensamientos Hoje 0 857 07/07/2011 - 23:06 Portuguese
Prosas/Erótico «Surpresa. Hoje é dia de pagamento!» 0 859 07/07/2011 - 22:59 Portuguese
Prosas/Erótico Saltos inquietos 0 842 07/07/2011 - 22:56 Portuguese