CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Retrato de uma triste infância

Escrito em 1894, pelo francês Jules Renard, Foguinho (Poil de Carotte), é em parte uma obra autobiográfica, com a qual o autor encontrou uma maneira de expressar o seu ressentimento em relação à mãe e sua descrença de que o lar familiar é um ninho de amor e proteção, podendo ser mesmo um lugar opressor, onde a pessoa se sente infeliz e rejeitada.
Foguinho, filho mais novo do Sr. e da Sra. Lepic, recebeu da mãe essa alcunha por ser ruivo e sardento. Em nenhum momento do livro, aliás, chega-se a mencionar seu nome verdadeiro. 
Além de colocar o apelido no filho, sua mãe o humilha, nega-lhe agrados e o rebaixa diante dos irmãos mais velhos, Ernestina e Félix, os quais se divertem assistindo às atitudes monstruosas desta para com o caçula que, aparentemente, suporta tudo resignado.
Enquanto vemos o desenrolar da vida de Foguinho, percebemos que ele, ainda que viva em um ambiente opressor, consegue encontrar formas de aproveitar a vida e esconde dentro de si uma grande revolta que não consegue externar. A cor do seu cabelo pode ser uma alusão à sua ira que, embora não externada, está sempre ali, acompanhando-o. Sua revolta é piorada pela solidão já que, além da mãe e dos irmãos o discriminarem, seu pai está frequentemente fora de casa e ignora os abusos.
O livro é escrito numa linguagem simples, sem floreios ou palavras desnecessárias. Não há reflexões nem são dadas pistas explicando o comportamento dos personagens nem o porquê da mãe ser tão cruel para com o filho quando se espera que uma mãe seja uma fonte de amor e compreensão. Apenas vão sendo mostrados os acontecimentos e como Foguinho reage a eles.
Outra característica marcante do romance é a de não retratar as crianças como seres puros e imaculados. Dessa forma, Foguinho é ardiloso, mente, maltrata animais e guarda rancor, sendo bastante humano nas suas necessidades, sentimentos e defeitos. Pode-se dizer que a escrita de Jules Renard recebeu uma forte influência da Escola Naturalista, por apresentar os fatos e personagens como quem apresenta um estudo de caso, sem fazer um retrato idealizado da família e da infância, sem julgar moralmente os personagens e descrevendo os maus-tratos sofridos por Foguinho com um realismo brutal, que nos toca e comove sem ser piegas.
No final, damo-nos conta da enormidade da dor de Foguinho quando este revela seus reais sentimentos, expressando-os com palavras cheias de mágoa e revolta, o que nos revela os danos emocionais decorrentes de anos de abusos físicos e psíquicos sofridos por uma criança que sente que não é amada em sua própria casa.

Submited by

sábado, julho 26, 2014 - 14:42

Críticas :

No votes yet

Atenéia

imagem de Atenéia
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 3 anos 10 semanas
Membro desde: 03/21/2011
Conteúdos:
Pontos: 2453

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Atenéia

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Desilusão Don't call me anymore 1 1.846 03/14/2018 - 13:22 inglês
Poesia/Geral Now, we are together 1 2.169 03/13/2018 - 21:29 inglês
Poesia/Fantasia Give me wings 1 1.790 03/13/2018 - 21:29 inglês
Poesia/Amor How can I show you 1 2.118 03/13/2018 - 16:48 inglês
Poesia/Tristeza You'll never be forgotten 2 2.289 03/10/2018 - 13:37 inglês
Poesia/Geral Não haverá mais segredos 1 1.100 02/09/2018 - 10:39 Português
Poesia/Tristeza We're never ready to say goodbye 0 2.251 03/12/2017 - 11:42 inglês
Poesia/Amor Sentimentos 0 1.240 01/19/2017 - 23:46 Português
Poesia/Geral Irmão 0 1.295 01/07/2017 - 21:42 Português
Poesia/Desilusão I'll never see you again 0 2.061 01/03/2017 - 15:02 inglês
Poesia/Desilusão O seu melhor 0 2.037 01/03/2017 - 14:58 Português
Poesia/Desilusão O último adeus 0 1.311 12/28/2016 - 16:36 Português
Poesia/Meditação Aonde pensamos 0 1.418 12/28/2016 - 16:32 Português
Poesia/Gótico A velha do saco de ossos 0 1.998 11/23/2016 - 16:45 Português
Poesia/Gótico Presenças espectrais 0 1.503 11/23/2016 - 16:36 Português
Poesia/Desilusão Don't come back to me 0 1.825 11/17/2016 - 16:11 inglês
Poesia/Geral Teu grito 0 1.636 11/17/2016 - 16:08 Português
Poesia/Gótico Peso morto 0 1.941 11/16/2016 - 23:36 Português
Poesia/Desilusão Learn to live alone 0 3.410 11/12/2016 - 11:23 inglês
Poesia/Meditação Torta 0 1.519 11/10/2016 - 16:23 Português
Poesia/Gótico O coração dilacerado 0 2.061 11/07/2016 - 15:48 Português
Poesia/Fantasia O presente 0 1.652 11/07/2016 - 15:45 Português
Poesia/Amor Ready to love 0 2.441 10/27/2016 - 21:42 inglês
Poesia/Amor Laços 0 1.942 10/27/2016 - 21:38 Português
Poesia/Fantasia Esta loucura 0 2.812 10/26/2016 - 16:18 Português