CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Insanidade

Não sei quanto tempo disponho
e fracamente nada disso me preocupa.
O não viver a cada dia e um ocultar de emoções a cada hora
é que se torna uma verdade que não se sustenta.

Qual o verdadeiro preço a pagar?
O meu orgulho?- Nunca me deu o queria!
Os meus sonhos? - Nunca passaram de ar colorido.
A minha alma? - Essa nunca foi minha para dar.

Qual o poço ou subterrâneo que me permite o esquecimento
Qual montanha a escalar para que tenha fim o sofrimento?
Não sei quanto tempo mais disponho e que vida terei afinal
Apenas me pergunto qual o preço do deleite, qual a causa do meu mal?

Sinto-me um quadro sem cor, que facilmente se tinge de vermelho
Rubor e sobressalto, como se fosse infante,
Desejos proibidos, beijos roubados, pressionados, brincadeiras, sorrisos
Qual o preço a pagar por um instante?

A minha vida presa por um fio e de tal forma suspensa
é uma enorme lista do que gostaria de fazer,
maior é aquela do que poderia ter, entretanto, feito.
São escolhas...de certo nunca pensadas no meu prazer.

O caos e o vazio se confundem, ambos me disputam
mas nenhum me traz a paz que necessito,
nem sacia a fome que trago e que sinto!

Eu vou contigo! Grito devolvido pelo eco
enquanto me atiro nesse negro abismo,
sem para-quedas, sem corda de segurança.
Dá-me só o que preciso!

Se não me devolves a alma
pelo menos, cuida dela.

 

Publicado no Blog Broken Wings e no Blog da PEAPAZ

Submited by

terça-feira, março 15, 2011 - 15:22

Ministério da Poesia :

No votes yet

Ema Moura

imagem de Ema Moura
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 43 semanas 2 dias
Membro desde: 03/15/2011
Conteúdos:
Pontos: 317

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Ema Moura

Tópico Título Respostasícone de ordenação Views Last Post Língua
Ministério da Poesia/Amor A minha origem e o meu fim! 0 284 03/15/2011 - 01:52 Português
Ministério da Poesia/Amor Se não escrevo 0 231 03/15/2011 - 11:13 Português
Ministério da Poesia/Amor E o impossível acontece 0 387 03/15/2011 - 11:20 Português
Ministério da Poesia/Paixão Desejo Febril 0 422 03/15/2011 - 11:30 Português
Ministério da Poesia/Intervenção Fome doentia 0 387 03/15/2011 - 11:33 Português
Ministério da Poesia/Amor Confesso 0 322 03/15/2011 - 11:36 Português
Ministério da Poesia/Amor Tenho-te! 0 260 03/15/2011 - 11:44 Português
Ministério da Poesia/Amor Na tua boca... 0 287 03/15/2011 - 11:47 Português
Ministério da Poesia/Erótico Jamais partir 0 285 03/15/2011 - 11:53 Português
Ministério da Poesia/Amor Na terra do impossível 0 293 03/15/2011 - 11:58 Português
Ministério da Poesia/Amor A verdade incómoda 0 259 03/15/2011 - 12:02 Português
Ministério da Poesia/Paixão Perco-me 0 394 03/15/2011 - 12:06 Português
Ministério da Poesia/Paixão Agarra-me! 0 378 03/15/2011 - 12:08 Português
Ministério da Poesia/Intervenção Queria ser livre 0 321 03/15/2011 - 12:12 Português
Ministério da Poesia/Dedicado Essência 0 341 03/15/2011 - 12:15 Português
Ministério da Poesia/Erótico Promete 0 349 03/15/2011 - 12:19 Português
Ministério da Poesia/Meditação Reflexos da Alma 0 365 03/15/2011 - 12:22 Português
Ministério da Poesia/Desilusão Mastigo-te! 0 423 03/15/2011 - 12:26 Português
Ministério da Poesia/Desilusão Livre 0 397 03/15/2011 - 12:28 Português
Ministério da Poesia/Meditação Exalar 0 416 03/15/2011 - 12:34 Português
Ministério da Poesia/Desilusão Claramente 0 497 03/15/2011 - 15:16 Português
Ministério da Poesia/Amor Porque mereço... 0 372 03/15/2011 - 15:19 Português
Ministério da Poesia/Meditação Insanidade 0 280 03/15/2011 - 15:22 Português
Ministério da Poesia/Intervenção Em queda livre 0 442 03/15/2011 - 15:50 Português
Ministério da Poesia/Meditação Meu vício 0 338 03/15/2011 - 15:53 Português