CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Nada mais (nona carta)

Profundos versos do qual sou fonte de inspiração
A minha vaidade é agora uma taça cheia
Sim, devo alertar-te que é o orgulho que me instiga.
Tal como foste no Passado, sou eu hoje a areia…

Nada deves construir com o que escorre por entre os dedos
Os teus castelos são frágeis, ainda que de rara beleza
A hora da maré logo apagará as marcas da tua existência
Não o afirmo por despeito ou  carregado de tristeza.

Não deveria ter perguntado se vinhas comigo
Foi o mesmo que pedir à pólvora para beijar o fogo
As palavras também inflamam e os teus olhos…
Os teus olhos têm o brilho do amor e do desgosto.

Os teus olhos têm a força de cem velas
Confesso que senti fascínio, tal foi o espanto!
Uma palavra minha e o Natal chegaria mais cedo…
Estranho poder o meu, assombroso encanto.

Não obstante nada mudou! Nada existe!
Nada guardei  de teu. Nada foi meu.
O ciclo lunar manteve-se ininterrupto
O meu caminho raramente se cruzou com o teu…

Para que não haja engano, repito:
Não houve história
Tudo limpei da memória!

Esquecida e enterrada ficaste tu
que sei como eras,
por que nome respondias …
Nada mais!

Poema publicado no blog Broken Wings e na Rede Social PEAPAZ

Submited by

segunda-feira, setembro 22, 2014 - 18:54

Ministério da Poesia :

Your rating: None Average: 5 (1 vote)

Ema Moura

imagem de Ema Moura
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 52 semanas 5 horas
Membro desde: 03/15/2011
Conteúdos:
Pontos: 317

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Ema Moura

Tópico Títuloícone de ordenação Respostas Views Last Post Língua
Críticas/Outros "O mundo já não é das palavras" 2 858 04/13/2011 - 12:19 Português
Poesia/Desilusão À deriva 2 609 05/05/2011 - 18:08 Português
Ministério da Poesia/Amor A minha origem e o meu fim! 0 298 03/15/2011 - 01:52 Português
Ministério da Poesia/Amor A Razão... 0 350 03/29/2011 - 15:03 Português
Ministério da Poesia/Amor A verdade incómoda 0 268 03/15/2011 - 12:02 Português
Prosas/Romance Acorda Clara... Por favor! 0 429 04/22/2011 - 13:22 Português
Ministério da Poesia/Paixão Agarra-me! 0 394 03/15/2011 - 12:08 Português
Prosas/Erótico Amar é levar o pequeno-almoço à cama 0 1.506 03/15/2011 - 16:13 Português
Poesia/Erótico Amarro-te! 3 1.019 01/27/2013 - 16:45 Português
Prosas/Erótico As noites da Pantera 0 645 04/15/2011 - 11:46 Português
Ministério da Poesia/Paixão Assim se baila El Tango! 0 428 03/26/2011 - 18:54 Português
Prosas/Contos Brilho 0 759 01/12/2013 - 23:20 Português
Ministério da Poesia/Desilusão Claramente 0 506 03/15/2011 - 15:16 Português
Ministério da Poesia/Amor Confesso 0 329 03/15/2011 - 11:36 Português
Poesia/Pensamentos Confissões de um conquistador 0 651 09/22/2014 - 18:47 Português
Prosas/Contos Cupido 0 653 03/15/2011 - 16:23 Português
Ministério da Poesia/Desilusão Deixa-me ir! 0 320 03/19/2011 - 22:53 Português
Ministério da Poesia/Paixão Delírio solitário 0 330 03/28/2011 - 16:13 Português
Ministério da Poesia/Paixão Desejo Febril 0 435 03/15/2011 - 11:30 Português
Ministério da Poesia/Paixão Desejo felino 0 311 03/25/2011 - 16:01 Português
Prosas/Romance Doce arrepio 7 940 04/04/2011 - 16:13 Português
Ministério da Poesia/Amor E o impossível acontece 0 396 03/15/2011 - 11:20 Português
Ministério da Poesia/Intervenção Em queda livre 0 458 03/15/2011 - 15:50 Português
Prosas/Contos Esculpidos na pedra 0 557 01/12/2013 - 23:15 Português
Poesia/Amor Espero 0 738 01/12/2013 - 23:10 Português