CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

A verdade incómoda

Ontem desenhei-te com as mãos,

de olhos fechados, memória em alerta

Os meus dedos flutuaram no ar explorando os teus traços

e os meus lábios humedeceram a cada descoberta

 

És feito de ar e de ar que provém dos sonhos

e por tal, não existes!

Ainda que pense em ti sem qualquer fundamento

Ainda que utopicamente respires dentro de mim

 

Ontem, eras uma ideia fixa, um devaneio

Vi-te de olhos fechados, memória desperta

O meu corpo sucumbiu e o meu espírito deslizou no infinito

Ainda que não existindo, encontrei-te!

 

Ao ver-te, recordei como são feitos de ar todos os meus sonhos,

fluidos que persistentemente respiro

Ilusões que cultivo apenas para meu consumo,

Meio pelo qual mudo a forma e evaporo.

 

Ontem, fecharia os olhos a todas as tuas faltas,

selando-as com o lacre contido nos meus beijos

Na memória evitaria a sobrecarga e esquecendo

as tuas impurezas, receberia os teus desejos.

 

Mas eu vivo em torno do ar, alimentando o meu vício,

sem traficar sonhos, nem qualquer ilusão

A verdade torna-se incómoda e os traços desenhados

são linhas poucos seguras, perdem a coesão.

 

Ontem, pintei-te com os dedos,

a memória revelou os seus segredos

Hoje, o ar está impuro e contaminado sufoca

A verdade incómoda: o Amanhã já não importa!

 

Publicado no Blog Broken Wings e no Blog da PEAPAZ

Submited by

terça-feira, março 15, 2011 - 11:02

Ministério da Poesia :

No votes yet

Ema Moura

imagem de Ema Moura
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 37 semanas 1 dia
Membro desde: 03/15/2011
Conteúdos:
Pontos: 317

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Ema Moura

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Ministério da Poesia/Desilusão Suspensa no infinito 0 316 03/27/2011 - 00:35 Português
Ministério da Poesia/Paixão Assim se baila El Tango! 0 390 03/26/2011 - 17:54 Português
Ministério da Poesia/Paixão Desejo felino 0 303 03/25/2011 - 15:01 Português
Ministério da Poesia/Paixão Procura, encontra e tem! 0 264 03/23/2011 - 23:30 Português
Prosas/Cartas Podemos conversar? 0 962 03/22/2011 - 14:43 Português
Prosas/Pensamentos Podar é preciso! 0 657 03/20/2011 - 16:33 Português
Ministério da Poesia/Desilusão Deixa-me ir! 0 300 03/19/2011 - 21:53 Português
Prosas/Contos Uma Vontade 0 628 03/18/2011 - 13:57 Português
Prosas/Contos Rosa-dos-ventos 0 625 03/15/2011 - 15:30 Português
Prosas/Contos Cupido 0 645 03/15/2011 - 15:23 Português
Prosas/Erótico Amar é levar o pequeno-almoço à cama 0 1.496 03/15/2011 - 15:13 Português
Ministério da Poesia/Meditação Meu vício 0 334 03/15/2011 - 14:53 Português
Ministério da Poesia/Intervenção Em queda livre 0 435 03/15/2011 - 14:50 Português
Ministério da Poesia/Meditação Insanidade 0 269 03/15/2011 - 14:22 Português
Ministério da Poesia/Amor Porque mereço... 0 367 03/15/2011 - 14:19 Português
Ministério da Poesia/Desilusão Claramente 0 489 03/15/2011 - 14:16 Português
Ministério da Poesia/Meditação Exalar 0 409 03/15/2011 - 11:34 Português
Ministério da Poesia/Desilusão Livre 0 392 03/15/2011 - 11:28 Português
Ministério da Poesia/Desilusão Mastigo-te! 0 420 03/15/2011 - 11:26 Português
Ministério da Poesia/Meditação Reflexos da Alma 0 353 03/15/2011 - 11:22 Português
Ministério da Poesia/Erótico Promete 0 344 03/15/2011 - 11:19 Português
Ministério da Poesia/Dedicado Essência 0 338 03/15/2011 - 11:15 Português
Ministério da Poesia/Intervenção Queria ser livre 0 318 03/15/2011 - 11:12 Português
Ministério da Poesia/Paixão Agarra-me! 0 371 03/15/2011 - 11:08 Português
Ministério da Poesia/Paixão Perco-me 0 390 03/15/2011 - 11:06 Português