CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Água

Na morna banheria
revejo uma vida inteira.
Desde o primeiro começo,
até o último tropeço.

A água morna
é bálsamo que me adorna;
lava minha dor
e afasta o conhecido terror.

Mas lhe falta uma Serena Sereia,
cujo canto tudo incendeia
qual paixão e meia.

Agora sei, é tempo doutro Mar,
de outro ir e vir
e de inútil prosseguir.

Tempo de olvidar o homem havido,
seu queixume indevido
e seu desejo indeferido.

Tempo de esquecer
a dura e fria verdade
do amor já não ser uma possibilidade

Submited by

terça-feira, janeiro 4, 2011 - 11:34

Poesia :

No votes yet

fabiovillela

imagem de fabiovillela
Offline
Título: Moderador Poesia
Última vez online: há 3 anos 34 semanas
Membro desde: 05/07/2009
Conteúdos:
Pontos: 6158

Comentários

imagem de rainbowsky

A água

Intenso.

A água que lava, a água que sufoca.

Tempo de esquecer
a dura e fria verdade
do amor já não ser uma possibilidade.

 

Fantástico apesar da tristeza.

 

rainbowsky

 

 

 

 

.

imagem de Susan

Um poema sentido ,triste mas

Um poema sentido ,triste mas belo .

Beijos

Susan

imagem de csantos

poema

ola boa tarde

gostei do seu poema

nostalgico

feliz 2011

um abraço

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of fabiovillela

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Tristeza A Canção de Alepo 0 2.145 10/01/2016 - 22:17 Português
Poesia/Meditação Nada 0 1.722 07/07/2016 - 16:34 Português
Poesia/Amor As Manhãs 0 1.482 07/02/2016 - 14:49 Português
Poesia/Geral A Ave de Arribação 0 1.468 06/20/2016 - 18:10 Português
Poesia/Amor BETH e a REVOLUÇÃO DE VERDADE 0 1.584 06/06/2016 - 19:30 Português
Prosas/Outros A Dialética 0 2.225 04/19/2016 - 21:44 Português
Poesia/Desilusão OS FINS 0 1.844 04/17/2016 - 12:28 Português
Poesia/Dedicado O Camareiro 0 2.800 03/16/2016 - 22:28 Português
Poesia/Amor O Fim 1 1.589 03/04/2016 - 22:54 Português
Poesia/Amor Rio, de 451 Janeiros 1 1.562 03/04/2016 - 22:19 Português
Prosas/Outros Rostos e Livros 0 1.650 02/18/2016 - 20:14 Português
Poesia/Amor A Nova Enseada 0 2.008 02/17/2016 - 15:52 Português
Poesia/Amor O Voo de Papillon 0 1.261 02/02/2016 - 18:43 Português
Poesia/Meditação O Avião 0 1.297 01/24/2016 - 16:25 Português
Poesia/Amor Amores e Realejos 0 2.219 01/23/2016 - 16:38 Português
Poesia/Dedicado Os Lusos Poetas 0 1.466 01/17/2016 - 21:16 Português
Poesia/Amor O Voo 0 1.488 01/08/2016 - 18:53 Português
Prosas/Outros Schopenhauer e o Pessimismo Filosófico 0 2.337 01/07/2016 - 20:31 Português
Poesia/Amor Revellion em Copacabana 0 1.690 12/31/2015 - 15:19 Português
Poesia/Geral Porque é Natal, sejamos Quixotes 0 1.548 12/23/2015 - 18:07 Português
Poesia/Geral A Cena 0 1.772 12/21/2015 - 13:55 Português
Prosas/Outros Jihadismo: contra os Muçulmanos e contra o Ocidente. 0 1.616 12/20/2015 - 19:17 Português
Poesia/Amor Os Vazios 0 2.718 12/18/2015 - 20:59 Português
Prosas/Outros O impeachment e a Impopularidade Carta aberta ao Senhor Deputado Ivan Valente – Psol. 0 1.030 12/15/2015 - 14:59 Português
Poesia/Amor A Hora 0 2.337 12/12/2015 - 16:54 Português