CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

“Entre duas aspas”

Ficarei a ser, sendo o que entendem que digo,
E de mim, enfim é o que consigo dizer entre
Aspas, digo-não entendo tanto quanto quero-
Porque haveria de querer eu, seria sério sendo,

Isso não sou, por aí não vou, passarei por
Mímico, sendo o que não sou, – entendem
O que digo, pois eu duvido mesmo a sério
Da minha certeza toda e aposto na duvida,

É um vício o ser quem não sou, a razão
É simples e natural como todas as coisas,
É o que consigo dizer não dizendo, “dividando”
O seno pelo humano interno intenso, sendo

Ficarei a ser o que entenderem que sou,
Gradiente de cinza, incompreensível voo
De moscardo sem voo, necessidade de nada
Ser, destino imaginário ou o que possa ter

Entre aspas “à míngua desse dom”, seco, indivino.
Perdoai-me, pois não me entendo nem m’dispo
Quando por vezes me “desdigo”, “dividando”
Seno Coseno hipérbole, eloquência de Fibonacci

“Pro bono”, contradigo-me sendo o que não sou,
Dando o que não tenho, ocultando por onde vou
Paradigma este sentir sem ser voar sem asas ter
Lembrar pra esquecer passar sem mudar pés

Nem mãos do lugar suposto que ocupo na sala
Menos-oval do mundo, enfim, é o que consigo
Dizer “entre duas aspas”, entre duas águas
Sinto que entendem não de facto, o que digo …

Jorge Santos 08/2018
http://namastibetpoems.blogspot.com

Submited by

quinta-feira, outubro 4, 2018 - 10:12

Poesia :

Your rating: None (1 vote)

Joel

imagem de Joel
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 14 horas 51 minutos
Membro desde: 12/20/2009
Conteúdos:
Pontos: 39366

Comentários

imagem de Joel

.

.

imagem de Joel

.

.

imagem de Joel

.

.

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Joel

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Ministério da Poesia/Geral Acto supremo 10 191 03/28/2018 - 18:06 Português
Ministério da Poesia/Geral Servo Sol… 10 77 03/28/2018 - 17:18 Português
Ministério da Poesia/Geral Chove 10 63 03/28/2018 - 17:16 Português
Ministério da Poesia/Geral Não é preciso pedir… 10 266 03/28/2018 - 17:11 Português
Ministério da Poesia/Geral (Meu reino é um prado morto) 10 369 03/28/2018 - 17:07 Português
Ministério da Poesia/Geral Livre, Astronauta e leve 10 132 03/28/2018 - 17:04 Português
Ministério da Poesia/Geral Morar em volta de meus passos 10 163 03/28/2018 - 16:58 Português
Ministério da Poesia/Geral Sem ser me são, não sendo… 10 82 03/28/2018 - 16:56 Português
Ministério da Poesia/Geral Malmequeres 10 346 03/28/2018 - 16:52 Português
Ministério da Poesia/Geral Cicatrizes hão-de encher-me de poderes … 10 87 03/28/2018 - 16:50 Português
Ministério da Poesia/Geral A lucidez na loucura ou Os cabelos de Berenice 10 113 03/28/2018 - 16:40 Português
Ministério da Poesia/Geral Quando calha… 10 159 03/28/2018 - 16:25 Português
Ministério da Poesia/Geral Por’ti posso ser tudo… 10 74 03/28/2018 - 16:22 Português
Ministério da Poesia/Geral Nada em mim mora… 10 73 03/28/2018 - 15:36 Português
Ministério da Poesia/Geral o Outro 10 50 03/28/2018 - 15:33 Português
Ministério da Poesia/Geral Lembrar me veio… 10 79 03/28/2018 - 15:28 Português
Ministério da Poesia/Geral A onze graus da esperança toda 10 78 03/28/2018 - 15:26 Português
Ministério da Poesia/Geral Eu erro o ar que meto… 10 101 03/28/2018 - 15:22 Português
Ministério da Poesia/Geral Hostil o tempo. 10 157 03/27/2018 - 19:44 Português
Ministério da Poesia/Geral Previsível 10 169 03/27/2018 - 19:09 Português
Ministério da Poesia/Geral Donde venho 10 87 03/27/2018 - 17:59 Português
Ministério da Poesia/Geral Bizarro 10 68 03/27/2018 - 16:24 Português
Ministério da Poesia/Geral Diário dos imperfeitos 10 70 03/27/2018 - 16:20 Português
Ministério da Poesia/Geral Louros de poeta… 10 105 03/27/2018 - 11:42 Português
Ministério da Poesia/Geral Meto os chinelos na beira da cama… 10 154 03/27/2018 - 11:24 Português