CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

AMENÉSIA

Debaixo do mar
há um canto de duas esquinas,
um pranto num manto de quietude
por onde me procuro intranquilo.

Desassossego,
eco lírico entre sereias que já não cantam.

Desencantam
a vastidão negra na distância,
escrita numa unha que me marca a cara.

Por cima do mar
há o ar infinito que brinca na minha mão.

O nome das letras
cai nas areias dos meus olhos.

Movediças
palavras pregadas numa tábua
de narrativas curtas me trazem à tona.

O sol à toa é um ruído titânico,
um colosso roído na minha pequenez.

Satânico céu sem osso desesperante.

A solidão
é uma ilha de vento,
uma saudade de quatro frentes
encalhadas num rio vazado.

Silêncio
é uma catástrofe de vozes caladas.

Iradas lágrimas
que não choro são dilúvio de arestas,
funestas reticências no solo fatigante
da valeta da alma.

O corpo é um morro,
carne onde não morro.

O tempo é um espaço
arrepiado na pele da existência.

O pensamento
é uma falésia que povoa
o xadrez da essência que em mim voa.

Amnésia…

Submited by

quarta-feira, maio 5, 2010 - 01:23

Poesia :

No votes yet

Henrique

imagem de Henrique
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 5 anos 5 semanas
Membro desde: 03/07/2008
Conteúdos:
Pontos: 34817

Comentários

imagem de marialds

Re: AMENÉSIA

No dilemade uma inquietude sempre é bom esquecer tudo.
Adorei, inigmática poesia sobre o ser a reação de sua mente.
Parabens!!!

imagem de nunomarques

Re: AMENÉSIA

Henrique, perdi-me nos teus versos, na sua beleza e profundidade, por momentos a realidade desapareceu, “amnésicamente” do meu pensamento.

...
Por cima do mar
há o ar infinito que brinca na minha mão.
...
O sol à toa é um ruído titânico,
um colosso roído na minha pequenez.
...
A solidão
é uma ilha de vento,
uma saudade de quatro frentes
encalhadas num rio vazado.

Silêncio
é uma catástrofe de vozes caladas.
...
O pensamento
é uma falésia que povoa
o xadrez da essência que em mim voa.

Amnésia…

Favoritíssimo
Abraço
Nuno

imagem de Nanda

Re: AMENÉSIA

Henrique,
Há toda uma cadência vibrante de profundidade que prende até ao fim e aumenta de intensidade.
Beijo
Nanda

imagem de Librisscriptaest

Re: AMENÉSIA

"O corpo é um morro,
carne onde não morro.

O tempo é um espaço
arrepiado na pele da existência.

O pensamento
é uma falésia que povoa
o xadrez da essência que em mim voa."

Belos versos Henriques, o teu poema esta todo ele profundo e inteligente atirando o leitor para uma reflexão profunda entre o corpo e a alma...
Sim o corpo é um morro quando se condiciona à carne...
Amen(her)esia, abençoada sejas entre nós todos
Beijinho em ti!
Inês

imagem de vitor

Re: AMENÉSIA

A solidão
é uma ilha de vento,
uma saudade de quatro frentes
encalhadas num rio vazado.

Silêncio
é uma catástrofe de vozes caladas.

O poema é belíssimo e o significado de solidão e silêncio não está ao alcance de muitos poetas...
só dos melhores, claro.
Mais um grande poema Henrique.

Abraço.
Vitor.

imagem de analyra

Re: AMENÉSIA

Olha eu aqui matando a saudade de Henrique.
Espero que não tenhas me esquecido...
Adorei este ame-nésia...
Beijos.

imagem de SuzeteBrainer

Re: AMENÉSIA

Henrique,
Magnífico!
De uma beleza e intensidade infinita nas ondas do Mar das tuas palavras ...
Abraço.
Suzete.

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Henrique

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Videos/Outros Já viram o Pedro abrunhosa sem óculos? Pois ora aqui o têm. 1 36.995 06/11/2019 - 09:39 Português
Poesia/Tristeza TEUS OLHOS SÃO NADA 1 1.607 03/06/2018 - 21:51 Português
Poesia/Pensamentos ONDE O INFINITO SEJA O PRINCÍPIO 4 2.218 02/28/2018 - 17:42 Português
Poesia/Pensamentos APALPOS INTERMITENTES 0 2.139 02/10/2015 - 22:50 Português
Poesia/Aforismo AQUILO QUE O JUÍZO É 0 1.985 02/03/2015 - 20:08 Português
Poesia/Pensamentos ISENTO DE AMAR 0 4.008 02/02/2015 - 21:08 Português
Poesia/Amor LUME MAIS DO QUE ACESO 0 2.684 02/01/2015 - 22:51 Português
Poesia/Pensamentos PELO TEMPO 0 1.682 01/31/2015 - 21:34 Português
Poesia/Pensamentos DA POESIA 0 5.422 01/30/2015 - 23:06 Português
Poesia/Pensamentos DO AMOR 0 1.828 01/30/2015 - 21:48 Português
Poesia/Pensamentos DO SENTIMENTO 0 2.249 01/29/2015 - 22:55 Português
Poesia/Pensamentos DO PENSAMENTO 0 2.362 01/29/2015 - 19:53 Português
Poesia/Pensamentos DO SONHO 0 1.628 01/29/2015 - 01:04 Português
Poesia/Pensamentos DO SILÊNCIO 0 2.820 01/29/2015 - 00:36 Português
Poesia/Pensamentos DA CALMA 0 2.160 01/28/2015 - 21:27 Português
Poesia/Pensamentos REPASTO DE ESQUECIMENTO 0 1.870 01/27/2015 - 22:48 Português
Poesia/Pensamentos MORRER QUE POR DENTRO DA PELE VIVE 0 1.743 01/27/2015 - 16:59 Português
Poesia/Aforismo NENHUMA MULTIDÃO O SERÁ 0 1.749 01/26/2015 - 20:44 Português
Poesia/Pensamentos SILENCIOSA SOMBRA DE SOLIDÃO 0 2.917 01/25/2015 - 22:36 Português
Poesia/Pensamentos MIGALHAS DE SAUDADE 0 1.558 01/22/2015 - 22:32 Português
Poesia/Pensamentos ONDE O AMOR SEMEIA E COLHE A SOLIDÃO 0 1.463 01/21/2015 - 18:00 Português
Poesia/Pensamentos PALAVRAS À LUPA 0 2.388 01/20/2015 - 19:38 Português
Poesia/Pensamentos MADRESSILVA 0 1.425 01/19/2015 - 21:07 Português
Poesia/Pensamentos NA SOLIDÃO 0 1.752 01/17/2015 - 23:32 Português
Poesia/Pensamentos LÁPIS DE SER 0 1.659 01/16/2015 - 20:47 Português