CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Cantem as canções que não escrevi

Quando quiserem arrancar meu coração
Fique a vontade
Nada importa mesmo depois do adeus
Nem mesmo os pensamentos são precisos
Então, arranque-o e jogue fora
Bem longe do chão onde pisei os meus pés.

Cantem as canções que não escrevi
As melodias que nem mesmo imaginei pudesse existir
Não quero sentir o silêncio que sinto agora
Apenas os sorrisos vão me alegrar
Caso alguém ainda consiga sorrir
Quando arrancarem meu coração.

Coração, por que tremes de medo?
Você mesmo é que pediu por tudo isso
Quando deixou-se ser ludibriado de forma tão singela
Pensou que dominaria qualquer desejo
E não sabia que não controlas as emoções.

Fechem os olhos e apenas imaginem
A viagem mais distante que puderes
Além do horizonte existe uma viva lembrança
De tempos imemoriais que não foram apagados
Saudades que nem é preciso tentar esquecer
Porque está impregnado na pobre alma mortal.

Às nuvens indicam um bom sinal
Pode ser que esteja agora na entrada do Paraíso
E vou descansar dos dias maus
Que atormentavam minha alma poética
Com pensamentos intermináveis
Sem mesmo dar-me alguma explicação.

Não adianta ter medo, meu pobre coração,
Você já foi desterrado para sempre
Arrancado de sua morada silenciosa
Onde acreditava estar seguro para sempre
Quando na verdade,
Era apenas mais um inquilino indesejável.

Poema: Odair José, Poeta Cacerense

www.odairpoetacacerense.blogspot.com

Submited by

quinta-feira, maio 12, 2022 - 22:54

Poesia :

No votes yet

Odairjsilva

imagem de Odairjsilva
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 1 dia 13 horas
Membro desde: 04/07/2009
Conteúdos:
Pontos: 8045

Comentários

imagem de Odairjsilva

Visitem os

imagem de Odairjsilva

Visitem os

imagem de Odairjsilva

Visitem os

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Odairjsilva

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Fantasia Perdido entre tantos lugares ou uma noite no Café Nice 3 26 07/02/2022 - 02:00 Português
Poesia/Pensamentos Não deixe de falar o que sente 3 56 06/30/2022 - 21:57 Português
Poesia/Amor Sentir nos lábios 3 22 06/30/2022 - 21:54 Português
Poesia/Pensamentos Faz de conta 3 33 06/29/2022 - 19:59 Português
Poesia/Intervenção O regresso a inevitável casa 3 63 06/28/2022 - 20:10 Português
Poesia/Meditação Sem esperança não há vida 3 38 06/27/2022 - 20:18 Português
Poesia/Meditação Escravos do medo 3 103 06/27/2022 - 13:05 Português
Poesia/Meditação Mude a perspectiva da sua vida 3 138 06/24/2022 - 23:00 Português
Poesia/Paixão A mais pura paixão 3 78 06/24/2022 - 01:53 Português
Prosas/Pensamentos A solidão que me faz bem 3 43 06/23/2022 - 22:58 Português
Poesia/Desilusão Aquele sonho 3 82 06/23/2022 - 19:35 Português
Poesia/Alegria Vai no cais pra ver 3 100 06/22/2022 - 21:01 Português
Poesia/Amor Silenciosa saudade 3 60 06/21/2022 - 21:32 Português
Poesia/Desilusão Rasgar a alma 3 60 06/20/2022 - 23:42 Português
Poesia/Paixão Em suas mãos 3 82 06/20/2022 - 12:02 Português
Poesia/Intervenção O caminhar da humanidade 3 146 06/18/2022 - 13:40 Português
Videos/Outros Uma Noite Memorável - Lançamento de livros do Poeta Cacerense 0 45 06/15/2022 - 20:05 Português
Poesia/Alegria Uma Noite Memorável - Lançamento de livros do Poeta Cacerense 0 98 06/15/2022 - 19:58 Português
Poesia/Desilusão Vivo cada dia 3 128 06/13/2022 - 11:59 Português
Poesia/Meditação Nunca se desvanece 3 121 06/10/2022 - 21:42 Português
Poesia/Fantasia Helena de Tróia 3 227 06/09/2022 - 20:18 Português
Videos/Poesia Cáceres em Versos e Reversos - Análise do poema 0 46 06/08/2022 - 22:31 Português
Poesia/Dedicado Cáceres em Versos e Reversos - Análise do poema 0 87 06/08/2022 - 22:27 Português
Poesia/Tristeza Outra noite 3 70 06/08/2022 - 19:27 Português
Poesia/Amor A silhueta dos amantes 3 82 06/08/2022 - 02:44 Português