CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Da Apatia Enfática

A minha felicidade é ossiculada
Pelos símbolos de Odin em ruínas,
Do ruído dos sacrifícios nestas esquinas,
Sou, pois, a disformidade articulada,

Da descrença nestas páginas adormecidas,
Pela pele carrego as marcas entristecidas
Do externado Negativismo Existencial,
Onde a apatia é apenas uma canção diferencial,

Sob a folhagem esférica da vida,
É sempre pela ausência a minha ida
Aos íntimos cortes, sem ferida, da Minha História
Desnuda, deslocadamente interpretativa e sem Glória

Alguma. Um signo falho escrito com o plasma ausente
Da alma, do abraço falho, da calma intermitente,
Eu sempre corro contra o Passado, todavia,
Suas lâminas ainda machucam o pouco de carne que havia

Neste......................................receptáculo.
- Por fim, deus está morto. Que comece o espetáculo.

Submited by

segunda-feira, março 8, 2010 - 04:34

Poesia :

No votes yet

malentacchi

imagem de malentacchi
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 10 anos 12 semanas
Membro desde: 06/22/2009
Conteúdos:
Pontos: 704

Comentários

imagem de Henrique

Re: Da Apatia Enfática

Neste......................................receptáculo.
- Por fim, deus está morto. Que comece o espectáculo.

Também não vou muito com o divino, mas este poema está com esperança zero.

Sob a folhagem esférica da vida é preciso deslizar a tentar vangloriar a carne que nos resta!!!

:-)

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of malentacchi

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Tristeza Lamúrias 0 1.219 03/21/2011 - 04:53 Português
Poesia/Tristeza O Torniquete Atenuado 0 1.342 02/28/2011 - 02:25 Português
Poesia/Tristeza Solve et Coagula 0 876 02/28/2011 - 02:22 Português
Poesia/Tristeza Incompreensível (Como Tantos Outros) 2 1.112 01/26/2011 - 01:13 Português
Poesia/Soneto O Aviltamento do Verso 0 1.013 01/26/2011 - 01:03 Português
Poesia/Tristeza Quando os Espectros Machucam A Carne 0 1.149 01/26/2011 - 01:00 Português
Poesia/Tristeza Primaveras Mortas 0 1.086 01/19/2011 - 02:22 Português
Poesia/Tristeza Escrita Inferior 0 1.227 01/02/2011 - 20:59 Português
Poesia/Tristeza Mais Uma Injúria Afásica Para Os Pronomes Em Primeira Pessoa 0 973 01/02/2011 - 20:56 Português
Poesia/Tristeza Dificuldades Com o Verso Amaldiçoado 0 1.018 12/26/2010 - 20:57 Português
Poesia/Tristeza Exi[s]t-ência 0 838 12/26/2010 - 20:55 Português
Poesia/Tristeza Entre A Sociopatia E A Filosofia Dos Não Valores 0 1.644 12/22/2010 - 04:13 Português
Poesia/Tristeza Uma Alegoria Para As Almas Desgraçadas 0 1.597 12/22/2010 - 04:05 Português
Poesia/Tristeza Conclave Para Um Diálogo Entres Sombras 0 1.638 12/22/2010 - 04:00 Português
Poesia/Tristeza Sobre a Perversidade e seus Hematoversos 0 1.503 12/21/2010 - 05:52 Português
Poesia/Tristeza A Filosofia dos Túmulos 0 1.507 12/21/2010 - 05:50 Português
Poesia/Tristeza Da Ínfima Procura 0 1.635 12/21/2010 - 05:49 Português
Poesia/Tristeza A Exumação de Todas As Minhas Mortes 0 820 12/21/2010 - 05:48 Português
Poesia/Tristeza Exurgent mortius at ad me venient (o morto se levante e venha a mim) 0 1.233 12/17/2010 - 05:23 Português
Poesia/Tristeza Um Punhado de Versos Fúnebres Para Josef K. 0 1.371 12/17/2010 - 05:21 Português
Poesia/Tristeza A Proeminência da Falha 0 966 12/17/2010 - 05:19 Português
Poesia/Tristeza Ode à Tânatos 0 1.057 12/17/2010 - 05:16 Português
Videos/Perfil 855 0 1.249 11/24/2010 - 23:04 Português
Videos/Perfil 482 0 1.375 11/24/2010 - 22:58 Português
Videos/Perfil 481 0 1.713 11/24/2010 - 22:58 Português