CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

DESPEDIDA LENTA

Na
garganta
o travo amargo.

Na
alma
um morrer
a pouco e pouco.

Despedida lenta
que me corrói
os poros do corpo.

Tristes olhos.

Olhar seco em saudade.

Dor tão viva
quanto o repenicar
dos sinos em momentos
de agonia.

Grito de tão longe.

Desse longe
que a coruja pia
a sepultura
que
habitarei
um dia.

                                                                                                              Desço
                                                                                                                          
lentamente
                                                                                                                                                 os
                                                                                                                                                       degraus
                                                                                                                                                                       da
                                                                                                                                                                             vida.

 

Submited by

quarta-feira, maio 11, 2011 - 23:43

Poesia :

Your rating: None (1 vote)

mariamateus

imagem de mariamateus
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 4 semanas 18 horas
Membro desde: 02/24/2009
Conteúdos:
Pontos: 2987

Comentários

imagem de MarneDulinski

DESPEDIDA LENTA

Triste e fúnebre poema, só posso dizer adeus!

Meus parabéns,

Marne

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of mariamateus

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Tristeza NADA, É O QUE ME CONFORTA ESTA SOLIDÃO 0 864 08/01/2011 - 17:05 Português
Poesia/Amor MIL MARÉS NUM MAR A DOIS 1 822 07/30/2011 - 14:19 Português
Poesia/Pensamentos TALVEZ 3 813 07/30/2011 - 13:53 Português
Poesia/Amor VERDE ESPERANÇA 0 975 07/28/2011 - 15:01 Português
Poesia/Dedicado MÃE 0 615 07/14/2011 - 14:07 Português
Poesia/Pensamentos LABAREDAS GÉLIDAS 0 577 07/14/2011 - 13:51 Português
Poesia/Meditação O AMOR É DOR E PARTILHA 0 1.335 07/14/2011 - 13:42 Português
Poesia/Pensamentos ORA ANGÉLICO ORA PERVERSO 0 702 07/14/2011 - 13:41 Português
Poesia/Tristeza SEM FIM À VISTA 0 591 07/14/2011 - 13:39 Português
Poesia/Tristeza A LÁGRIMAS E FOGO 0 887 07/14/2011 - 13:38 Português
Poesia/Pensamentos ONDE ESTOU? 0 1.533 07/14/2011 - 13:36 Português
Poesia/Pensamentos SOZINHA NO MEIO DA MULTIDÃO 1 1.003 07/09/2011 - 02:35 Português
Poesia/Tristeza VAZIO QUE OCUPA AS HORAS LENTAS 2 1.624 07/06/2011 - 20:15 Português
Poesia/Alegria A VIDA FAZ-ME BEM! 3 536 07/06/2011 - 20:10 Português
Poesia/Aniversários PARABÉNS NUNO RICARDO!!! 1 1.155 07/06/2011 - 01:12 Português
Poesia/Pensamentos QUANDO MEU ROSTO FOR OUTONO 0 789 06/29/2011 - 15:38 Português
Poesia/Tristeza NOITE 0 518 06/29/2011 - 15:23 Português
Poesia/Intervenção VAI-TE! 0 709 06/29/2011 - 15:12 Português
Poesia/Meditação FUI O ISCO PERFEITO 2 1.047 06/28/2011 - 19:55 Português
Poesia/Tristeza DILACERADA PELA PERDA 1 695 06/28/2011 - 19:50 Português
Poesia/Tristeza FLORIDA NO CARVÃO QUE PINCELA A VIDA 0 510 06/26/2011 - 20:08 Português
Poesia/Tristeza DEPOIS DE AMANHÃ TANTOS AMANHÃS 0 576 06/26/2011 - 19:49 Português
Poesia/Tristeza PRISIONEIRA DE MIM 0 809 06/26/2011 - 19:39 Português
Poesia/Pensamentos INSÓNIA 1 671 06/25/2011 - 17:35 Português
Poesia/Amor ENTREGAR-ME AO MELHOR QUE TIVE AO TER-TE 1 776 06/25/2011 - 17:31 Português