CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Deus! Cuida de mim!

No profundo da minha dor eu clamei
Queria ouvir uma voz que me ouvisse
Que olhasse para mim
Alguém que estendesse suas mãos
E me ajudasse.
Eu me sentia sozinho
Parecia que tudo estava contra mim
Pessoas me olhavam com ódio
Olhares de rancor queriam ver o meu fim
E meus passos vacilaram.
Na minha angústia eu clamei:
- Deus, cuida de mim!
No mais profundo do abismo
Na escuridão tenebrosa da solidão
Onde eu não encontrava mais esperança
Eis que as mãos suaves do Senhor
Foram estendidas para mim.

Acusaram-me com mentiras
E disseram que eu não ia conseguir.
Os meus pecados lançavam em meu rosto
E uma dor terrível se apoderou de mim
Eu só queria ouvir uma voz de amor
De compaixão.
Na minha angústia eu clamei:
- Deus, cuida de mim!
Eu sei o quanto sou falho diante de ti
Mas, não permita que meus inimigos zombem de mim
Eles querem ver o meu fim
A minha queda
Não permita, oh Senhor!
Deveras sou teu servo e busco a tua face
Com lágrimas de arrependimento.
Se não fora a tua bondade
Certamente eles teriam prevalecido contra o teu servo.
Na minha angústia eu clamei:
- Deus, cuida de mim!
E o Senhor
Com suas mãos de puro amor estendida sobre mim
Ajuda-me a caminhar.

Poema: Odair José, o Poeta Cacerense

http://odairpoetacacerense.blogspot.com

Submited by

sexta-feira, setembro 11, 2015 - 00:13

Poesia :

No votes yet

Odairjsilva

imagem de Odairjsilva
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 14 horas 8 minutos
Membro desde: 04/07/2009
Conteúdos:
Pontos: 8061

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Odairjsilva

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Alegria Não sinta medo de viver 3 262 03/28/2022 - 13:53 Português
Poesia/Fantasia Compêndio narrativo de um peregrino em uma vila de antigamente 3 177 03/27/2022 - 22:12 Português
Poesia/Amor Suspiros Poéticos e Saudades 3 186 03/26/2022 - 13:37 Português
Poesia/Meditação O lobo do homem 3 175 03/26/2022 - 00:32 Português
Poesia/Intervenção Não há justificativas 3 174 03/25/2022 - 19:12 Português
Poesia/Amor Na ilusão da eternidade 3 124 03/24/2022 - 18:40 Português
Poesia/Amor Eles contam histórias 3 211 03/23/2022 - 20:21 Português
Poesia/Paixão O amor na noite do tempo 3 158 03/23/2022 - 03:05 Português
Poesia/Paixão O nome desse sentimento é paixão 3 130 03/22/2022 - 18:59 Português
Poesia/Intervenção Nada pode impedir o seu caminhar 3 160 03/21/2022 - 13:12 Português
Poesia/Pensamentos Tudo isso que penso agora 3 151 03/20/2022 - 19:02 Português
Poesia/Desilusão Não posso viver sem minha vida 3 211 03/19/2022 - 14:28 Português
Poesia/Intervenção O caos primordial 3 138 03/18/2022 - 16:37 Português
Poesia/Desilusão Implacável 3 130 03/17/2022 - 18:39 Português
Poesia/Amor A fagulha do amor alado 3 282 03/16/2022 - 18:47 Português
Poesia/Amor Sintonia 3 227 03/15/2022 - 18:45 Português
Poesia/Pensamentos Apenas o som da chuva 3 185 03/14/2022 - 19:27 Português
Poesia/Meditação O silêncio dos inocentes 3 191 03/11/2022 - 19:59 Português
Poesia/Pensamentos A verdade que nunca foi dita 3 273 03/10/2022 - 18:39 Português
Poesia/Amor Lutar contra o coração é difícil 3 139 03/09/2022 - 19:29 Português
Poesia/Meditação Uma porta se abriu 3 126 03/08/2022 - 20:31 Português
Poesia/Amor Não passava de uma aventura 3 232 03/07/2022 - 23:44 Português
Poesia/Desilusão Não se pode mandar no coração 3 190 03/07/2022 - 12:19 Português
Poesia/Amor Por onde anda aquela saudade 3 166 03/06/2022 - 12:18 Português
Poesia/Pensamentos Um pensador cacerense disse... 3 214 03/05/2022 - 11:57 Português