CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

E ASSIM VOU PENSANDO

 

                                              E assim vou pensando                                                   

 

 

Com tudo isto, apenas sei, que, quanto mais sei mais dúvidas tenho,

Quanto maior são as minhas necessidades, mais aguçado é o meu engenho,

Quanto mais subo mais alto eu quero chegar,

Mas a minha ambição também me pode matar,

Quanto mais curiosidade eu tenho, mais curiosidade eu ganho,

Quanto mais sucesso eu tenho, maior é o meu tamanho,

Quanto mais dinheiro eu tenho mais dinheiro eu quero ter,

Não pedi para nascer mas, também, nunca pedirei para morrer.

Por mim, tenho força de vontade para ser eterno,

Mas tenho medo das torturas do inferno,

Mas, como eterno eu nunca serei,

Com toda a força de vontade eu viverei.

Até que todas as minhas forças sucumbam sem ter vontade,

Mas tenho de obedecer ao tempo da minha idade,

Não por vontade minha, por ordem da Natureza,

A quem eu não consigo desobedecer, é ela que manda e daqui me despeja.

Mas, enquanto as suas ordem não chegarem até mim,

Eu viverei o tempo que ela me destinou, com os meus sonhos e andarei por aqui,

Com amor pela vida para mim e para oferecer,

Sem nada em troca querer,

O amor que eu tenho ninguém mo pode tirar,

Enquanto eu viver e puder pensar,

E quando deixar de ter o meu próprio pensamento,

Pedirei com todas as minhas forças à Natureza que acabe com o meu tormento,

Mas se ela não me ouvir, eu tenho de viver como sou,

Mas sem pensamento, não sou eu, o meu eu acabou,

Nestas condições já nada sou, apenas vivo sem saber,

À espera que o tempo me faça o favor de mandar morrer.

A minha sabedoria teve um princípio e também há-de chegar a um limite

Como tudo o que tem vida, aparece, desaparece, é finito,

Nisto tudo eu não queria pensar como estou só neste momento,

Eu tenho que dar asas ao meu pensamento,

Para a manutenção do meu cérebro e que nunca fique bloqueado,

Por isso eu quero sempre pensar e nunca ficar parado,

Vivendo com alegria sempre que puder,

De braço dado com os meus filhos, os meus netos e a minha mulher,

Porque sem eles a minha vida não faria sentido,

Assim, eu vou vivendo com o dever cumprido.

 

 

Tavira, 8 de Outubro de 2011-Estêvão

 

 

Submited by

quarta-feira, janeiro 8, 2014 - 11:43

Poesia :

No votes yet

José Custódio Estêvão

imagem de José Custódio Estêvão
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 3 semanas 4 dias
Membro desde: 03/14/2012
Conteúdos:
Pontos: 7732

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of José Custódio Estêvão

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Amor VOLÚPIAS 1 423 04/16/2012 - 19:57 Português
Poesia/Geral SÓ QUERO O QUE É MEU 2 534 04/16/2012 - 19:55 Português
Poesia/Geral FESTA NA ALDEIA 2 425 04/16/2012 - 19:50 Português
Poesia/Geral VITÓRIA 1 320 04/16/2012 - 19:48 Português
Poesia/Amor FLOR AMARELA 1 526 04/16/2012 - 19:46 Português
Poesia/Geral O MEU CORAÇÃO 1 751 04/16/2012 - 19:43 Português
Poesia/Erótico INTERNETI 0 1.060 03/24/2012 - 11:49 Português