CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Fantasmas de um tempo passado

O que vejo perturba minha mente
Já um tanto confusa
Com o que não sei entender;
O que não vejo perturba-me bem mais
E tira-me o sono
A paz que um dia tanto desejei
E só tive quando ainda era criança.

Porque o mundo tem que ser assim
Assustador o tempo todo?
Porque ouço o choro das crianças
E as vejo correr pelas ruas?
Ninguém nota uma vida desgraçada
Nem mesmo nas vitrines dos shoppings
A maioria segue suas vidas medíocres
Como se nada estivesse acontecendo.

Fecho os olhos e vejo os fantasmas
Fantasmas de um tempo passado
Casas sendo derrubadas
Pobres sendo jogados para longe
Porque os ricos precisam de espaço.

Tudo é tão sombrio por aqui
E nem mesmo as borboletas as vejo mais
Porque não existe nenhum jardim
Depois que foram destruídos pelas bombas
Dejetos a céu aberto
Na cidade que se diz a Princesinha.

Um jovem senta solitário no banco da praça
E nota o tempo passar silenciosamente
Como os transeuntes apressados na calçada
E nada parece não fazer sentido nenhum.

Fantasmas podem ser vistos no alto da torre da Igreja
No Anjo da Ventura
Nas câmeras indiscretas
Nas fachadas das casas comerciais
Fantasmas de tempo passado
De quando o mundo parecia ser um lugar legal
Onde existia espaço para todos
Que quisessem sonhar.

Poema: Odair José, Poeta Cacerense

www.odairpoetacacerense.blogspot.com

Submited by

segunda-feira, maio 9, 2022 - 13:26

Poesia :

No votes yet

Odairjsilva

imagem de Odairjsilva
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 21 horas 52 minutos
Membro desde: 04/07/2009
Conteúdos:
Pontos: 8376

Comentários

imagem de Odairjsilva

Visitem os

imagem de Odairjsilva

Visitem os

imagem de Odairjsilva

Visitem os

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Odairjsilva

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Intervenção Soterrados 0 121 02/03/2022 - 12:04 Português
Poesia/Desilusão Como um tiro certeiro 0 407 02/02/2022 - 19:50 Português
Poesia/Intervenção Quando o silêncio é necessário 0 296 02/01/2022 - 13:22 Português
Poesia/Amor O amor aparece do nada 0 190 01/31/2022 - 14:38 Português
Poesia/Amor Sonhos furiosos 0 214 01/27/2022 - 12:05 Português
Poesia/Amor Sob o encanto desse sublime olhar 0 292 01/26/2022 - 12:57 Português
Poesia/Meditação As marcas da vida 0 286 01/25/2022 - 20:04 Português
Poesia/Pensamentos Podemos não nos encontrar no tempo 0 259 01/25/2022 - 12:48 Português
Poesia/Amor A palavra é uma asa do silêncio 0 516 01/24/2022 - 16:25 Português
Poesia/Intervenção Gafanhotos 0 176 01/24/2022 - 12:38 Português
Poesia/Pensamentos Segredos ocultos profundamente 0 447 01/23/2022 - 13:19 Português
Poesia/Amor Sensibilidade 0 137 01/22/2022 - 12:14 Português
Poesia/Intervenção Alma selvagem 0 172 01/21/2022 - 14:29 Português
Poesia/Desilusão E o culpado sou eu 0 362 01/21/2022 - 13:01 Português
Poesia/Amor Sombras que sofrem 0 144 01/20/2022 - 12:31 Português
Poesia/Pensamentos O pensador 0 295 01/19/2022 - 12:19 Português
Poesia/Meditação Se o medo é real em mim 0 202 01/18/2022 - 10:04 Português
Poesia/Desilusão Não seja cega 0 160 01/17/2022 - 17:18 Português
Poesia/Meditação Aprendi que Deus gosta dos aflitos 0 473 01/16/2022 - 20:37 Português
Poesia/Fantasia Sob o olhar da coruja 0 547 01/15/2022 - 19:20 Português
Poesia/Amor Se eu não puder te esquecer 0 120 01/15/2022 - 12:51 Português
Poesia/Pensamentos A longa viagem de Stone Halls 0 364 01/14/2022 - 12:37 Português
Poesia/Pensamentos Dias de um futuro esquecido 0 366 01/13/2022 - 12:23 Português
Poesia/Amor Quando tudo parecia real 0 182 01/12/2022 - 17:46 Português
Poesia/Pensamentos O pensamento humano 0 297 01/11/2022 - 17:42 Português