CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

FILHOS DE NINGUÉM

Filhos de ninguém

 

 

Filhos de ninguém não nascem sozinhos,

E não são eles que escolhem os seus caminhos,

São lançados à rua sem conhecer o bem e o mal,

São crianças apenas concebidas por um acto sexual,

A fome é a sua companheira e a rua o seu destino,

E crescem sem saber o que é viver sendo menino.

 

Vivem com o seu instinto da vida sobrevivendo,

E a pouco na rua vão crescendo e aprendendo,

A viver sem mestre, sendo eles os seus próprios pais,

E vão comendo as migalhas do chão como os pardais,

Saltitando aqui e ali e são conhecidos como galdérios,

São gente como outra gente apelidados de impropérios.

 

São filhos nascidos do chão frio onde não há amor,

Filhos de ninguém que ninguém lhes dá valor,

Expurgados da sociedade com lágrimas cruéis,

 São feridas expostas ao mundo, incuráveis,

Com alma dorida, olhos tristes vazios de ambição,

Vivendo traídos por uma vida de maldição.

 

Ai meninos, meninos que não sabem ser meninos,

Lançados ao mundo cruel muito pequeninos,

Resistem os mais fortes às agressões da vida,

E outros apenas vão vivendo de esperança perdida,

Sem medo do chão que pisam, pisados pela sorte,

E acabam vencidos com dentadas da própria morte.

 

Filhos de ninguém, sem amor, sem direito à educação,

Vivem comendo o nada nascidos da vida de traição,

Nas grandes urbes cheias de gente que não sabe olhar,

Os seus olhos tristes e com mãos que só sabem roubar,

Espalhando o medo da sua alma por toda a parte,

São os conhecimentos nascidos da sua própria arte.

 

Ai meninos, meninos destes cada vez há mais,

Nascidos da evolução de um mundo, são bocas demais,

Jogados à rua, por serem lixo de um mundo desumano,

Crescendo livremente como ratos em qualquer cano,

Sem conhecer o que é ter uma família e uma boa cama,

São apenas o produto de uma sociedade desumana.

 

 

 

Tavira, 4 de Junho de 2011-Estêvão

Submited by

segunda-feira, novembro 18, 2013 - 16:17

Poesia :

Your rating: None (1 vote)

José Custódio Estêvão

imagem de José Custódio Estêvão
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 21 semanas 1 dia
Membro desde: 03/14/2012
Conteúdos:
Pontos: 7732

Comentários

imagem de Joel

belo

muito bom

imagem de José Custódio Estêvão

POEMA

Obrigado pelo seu comentário.
Um abraço,
Estêvão

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of José Custódio Estêvão

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Geral AS ONDS DO MAR 2 1.165 02/24/2019 - 17:15 Português
Poesia/Fantasia O MEU NOME 0 619 12/14/2018 - 11:36 Português
Poesia/Meditação O TEMPO LEVA TUDO 0 625 09/28/2018 - 15:56 Português
Prosas/Pensamentos 34- O HOMEM 6 1.071 03/21/2018 - 16:04 Português
Poesia/Amor VERMELHO 0 1.155 09/04/2017 - 10:13 Português
Poesia/Amor UMA ORQUÍDEA PARA TI 0 1.157 07/17/2017 - 10:50 Português
Poesia/Meditação AS PEDRAS DOS RIOS 0 1.119 06/07/2017 - 09:54 Português
Prosas/Pensamentos PENSAMENTOS 34 0 1.187 05/24/2017 - 11:09 Português
Poesia/Amor AMO-TE COMO ÉS 0 1.261 05/24/2017 - 10:59 Português
Poesia/Meditação SABER SER FRELIZ 0 685 05/09/2017 - 16:51 Português
Poesia/Amizade TU 0 815 04/21/2017 - 11:52 Português
Poesia/Meditação PARA DE TE QUEIXAR 2 905 03/26/2017 - 20:34 Português
Poesia/Meditação PARA QUÊ MATAR? 5 1.022 03/24/2017 - 12:31 Português
Poesia/Meditação CHEGAR, VER E VENCER 0 1.276 03/13/2017 - 15:57 Português
Poesia/Amor BEIJOS TEUS 0 994 02/22/2017 - 11:12 Português
Poesia/Amor OLHANDO O MAR 0 746 02/08/2017 - 11:26 Português
Poesia/Amor SAUDADE 0 891 02/01/2017 - 11:29 Português
Poesia/Geral FRIO 0 778 01/26/2017 - 11:27 Português
Poesia/Geral FRIO 0 812 01/26/2017 - 11:23 Português
Poesia/Fantasia AS ONDAS DO MAR 0 832 01/11/2017 - 10:49 Português
Poesia/Meditação AMANHECEU OUTRA VEZ 0 882 01/04/2017 - 12:22 Português
Poesia/Alegria RIR 0 1.780 12/21/2016 - 10:58 Português
Poesia/Amor O BARCO DOS NOSSOS SONHOS 1 1.577 12/15/2016 - 14:05 Português
Prosas/Pensamentos PENSAMENTOS 0 920 12/07/2016 - 12:16 Português
Poesia/Amor RECORDANDO 0 968 12/07/2016 - 12:01 Português