CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

FORMIGAS

Há um poeta triste sentado na calçada
contemplando uma retilínea procissão
de compenetradas formigas.
Seguem juntas como amigas,

Nem todas tem a mesma função,
Mas fazem com garra e coração.
Presta muita atenção, camarada:
há uma lição de vida nesta jornada.

O poeta vê operárias, soldados e sentinelas,
que ignoram qualquer poeta e vão adiante.
O poeta observa e poetisa sobre elas,
mas, formiga é mais que o poeta, relevante.

J. Thamiel
Guarulhos, 29.10.18
09:53h

Submited by

segunda-feira, outubro 29, 2018 - 14:54

Poesia :

No votes yet

J. Thamiel

imagem de J. Thamiel
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 14 horas 18 minutos
Membro desde: 05/02/2016
Conteúdos:
Pontos: 3056

Comentários

imagem de J. Thamiel

Na verdade, poetas são pragas

Na verdade, poetas são pragas e fazem poesias que não servem para nada.
Mas, em um mundo em que tudo tem uma finalidade, tudo tem um preço...
tinha que existir alguma coisa que não servisse para nada.

imagem de Sérgio Teixeira

Só um verdadeiro poeta pode

Só um verdadeiro poeta pode ter essa visão das formigas, que normalmente são vistas como praga.

Creio que além das formigas, algumas pessoas ignoram os poetas, ou por não gostarem deles como pessoas, ou por não gostarem do que eles escrevem, mas, muitas pessoas ignoram os poetas pela mágoa de não terem a capacidade de escrever nem a coragem de se exporem às criticas que possuem os poetas.

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of J. Thamiel

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Geral O ILUMINISMO 0 594 08/04/2016 - 12:33 Português
Poesia/Geral "PINTO NO LIXO" 0 976 08/04/2016 - 15:27 Português
Poesia/Geral O EGO DO POETA 0 743 08/05/2016 - 12:38 Português
Poesia/Dedicado BUQUÊ SEM ROSA 0 369 08/05/2016 - 13:14 Português
Poesia/Geral PRA QUE MADRUGAR? 0 920 08/05/2016 - 18:50 Português
Poesia/Geral O FIM DA POESIA 0 337 08/06/2016 - 12:41 Português
Poesia/Geral OSSINHOS SOBRE A TOALHA 0 419 08/06/2016 - 13:32 Português
Poesia/Geral QUANDO O POETA FICA MUDO 0 589 08/08/2016 - 11:56 Português
Poesia/Geral INCONVENIÊNCIA 0 265 08/08/2016 - 23:33 Português
Poesia/Fantasia O GRILO E O PIRILAMPO 0 399 08/09/2016 - 12:53 Português
Poesia/Geral A LÍNGUA TORTA 0 2.040 08/10/2016 - 12:14 Português
Poesia/Geral AMOR SEM CIÚME 0 586 08/10/2016 - 15:12 Português
Poesia/Amor O SOL E A LUA 0 419 08/11/2016 - 12:39 Português
Poesia/Alegria ANJOS DA LUZ 0 3.654 08/12/2016 - 12:47 Português
Poesia/Geral SOFRIMENTO DE UM DEUS 0 365 08/13/2016 - 01:10 Português
Poesia/Geral SURGIMENTO DA POESIA 0 1.180 08/13/2016 - 17:06 Português
Poesia/Fantasia QUANDO DEUS COCHILA 0 619 08/15/2016 - 13:30 Português
Poesia/Dedicado O POETA É UM FINGIDO 1 537 08/16/2016 - 02:44 Português
Poesia/Amor AME A SUA FAMÍLIA 0 840 08/16/2016 - 12:10 Português
Prosas/Outros A ERA DE CRISTO JÁ ERA? 0 481 08/16/2016 - 16:52 Português
Poesia/Comédia A VIÚVA DO TENÓRIO 0 1.168 08/17/2016 - 04:33 Português
Poesia/Meditação HUMILDADE 0 262 08/17/2016 - 15:35 Português
Poesia/Dedicado FÁTIMA 0 406 08/18/2016 - 12:13 Português
Poesia/Geral QUEM DEU SIGNIFICADOS ÀS PALAVRAS? 0 291 08/19/2016 - 05:07 Português
Poesia/Meditação FRACAS ASAS FERIDAS 0 993 08/19/2016 - 12:48 Português