CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

IMPOSSÍVEL

O impossível

 

Podemos parar o relógio, mas não podemos parar o tempo,

Nem a poderosa força invisível e invicta do vento,

Somos peças numeradas por nós, que o tempo não conta,

Põe e dispõe à sua vontade e nunca sabemos o que nos apronta.

 

Eu não sou o tempo que uso, sou pertença eterna do tempo,

Nunca o poderei travar, ele é o todo poderoso, nunca o venço,

Ele me vai mandando para trás a vida que vou usando,

Mas não me deu de graça, tenho que a pagar trabalhando.

 

Se ficar parado à espera que ele passe, eu nada sou,

Se eu usar a minha vida assim, para mim tudo acabou,

Apenas existo, não conto para nada, chamam-me parasita,

Vou respirando porque não dá trabalho, por mim ninguém grita.

 

Viver apenas para respirar, não, assim nunca quero viver,

Prefiro que o tempo não conte comigo, é melhor morrer,

Se eu estou aqui, é para lutar pela vida, quero ser alguém,

Quero honrar o tempo que estive no ventre da minha mãe.

 

Assim que nasci, comecei logo com o belo instinto da vida,

Procurei logo nos seios da minha mãe a minha bebida,

O seu leite, que me fez crescer, ter amor e ambição,

E o tempo foi fazendo o resto, fez bater o meu coração.

 

Não posso esbanjar o tempo, a minha vida lhe pertence,

E ele me vai consumindo, até que deixe de ser gente,

E eu também aproveito a parte que ele me destinou,

Para que no tempo nunca deixe de ser quem sou.

 

 

 

Tavira, 16 de Janeiro de 2011-Estêvão

Submited by

terça-feira, agosto 5, 2014 - 15:14

Poesia :

Your rating: None (1 vote)

José Custódio Estêvão

imagem de José Custódio Estêvão
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 2 semanas 2 dias
Membro desde: 03/14/2012
Conteúdos:
Pontos: 7749

Comentários

imagem de Joel

boa poesia

impossível esbanjar o tempo

Como luz a passear entre os dedos
O tempo não vive mas dura pra sempre
Não sei se a realidade mora nos sonhos
Ou se é areia da praia que sinto escorrer, escorrer…
P’lo ser que não sei se fantasia ou se sou eu
o sono do meu próprio tempo

imagem de José Custódio Estêvão

poema

Bela resposta, dá para acrescentar. Obrigado

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of José Custódio Estêvão

Tópico Títuloícone de ordenação Respostas Views Last Post Língua
Poesia/Meditação UM SONHO 0 838 12/21/2012 - 11:39 Português
Poesia/Geral À ESPERA DE UMA VIAGEM 0 833 08/26/2012 - 15:07 Português
Poesia/Pensamentos A JUVENTUDE PASSA 2 588 06/16/2012 - 10:49 Português
Poesia/Meditação A VOZ DO DINHEIRO 0 722 04/29/2015 - 16:14 Português
Poesia/Amor AO AMOR NÃO INTERESSA O TEMPO 0 451 02/17/2013 - 13:20 Português
Poesia/Meditação AS MINHAS PERNAS 0 648 11/29/2013 - 12:46 Português
Poesia/Meditação BRINCAR COM O FOGO 0 566 02/07/2013 - 11:38 Português
Poesia/Meditação GANHAR UM AMIGO 0 531 05/12/2013 - 11:19 Português
Prosas/Pensamentos 34- O HOMEM 6 1.751 03/21/2018 - 16:04 Português
Poesia/Meditação À LAREIRA DA FÉ 0 829 07/20/2013 - 12:28 Português
Poesia/Meditação A LUA 0 545 10/27/2012 - 00:43 Português
Poesia/Meditação A SAUDADE DÓI 0 549 06/15/2013 - 09:49 Português
Poesia/Meditação A SAUDADE DÓI 0 421 06/15/2013 - 09:50 Português
Poesia/Meditação A TERRA QUE EU PISO 0 6.401 09/10/2014 - 10:35 Português
Poesia/Meditação A ALMA TAMBÉM SANGRA 0 882 02/04/2013 - 10:57 Português
Poesia/Amor A BELA ADORMECIDA 0 1.759 04/22/2012 - 11:38 Português
Poesia/Meditação A CAÇA E O CAÇADOR 0 1.359 12/30/2015 - 10:58 Português
Poesia/Geral A CHUVA 0 420 01/24/2013 - 11:44 Português
Poesia/Meditação A CHUVA NÃO PÁRA DE CAIR 0 434 02/09/2013 - 12:50 Português
Poesia/Meditação A CONSCIÊNCIA 0 1.026 07/22/2015 - 10:28 Português
Poesia/Meditação A COR DA ALMA 0 751 10/02/2012 - 10:03 Português
Poesia/Alegria A COR DO CÉU 4 429 06/25/2012 - 13:49 Português
Poesia/Meditação A COR DO TEMPO 0 499 01/16/2013 - 11:59 Português
Poesia/Amor A COR DOS TEUS OLHOS 0 735 12/02/2012 - 18:55 Português
Poesia/Intervenção A DESGRAÇA DE UMA NAÇÃO 0 589 03/09/2016 - 12:28 Português