CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

IMPOSSÍVEL

O impossível

 

Podemos parar o relógio, mas não podemos parar o tempo,

Nem a poderosa força invisível e invicta do vento,

Somos peças numeradas por nós, que o tempo não conta,

Põe e dispõe à sua vontade e nunca sabemos o que nos apronta.

 

Eu não sou o tempo que uso, sou pertença eterna do tempo,

Nunca o poderei travar, ele é o todo poderoso, nunca o venço,

Ele me vai mandando para trás a vida que vou usando,

Mas não me deu de graça, tenho que a pagar trabalhando.

 

Se ficar parado à espera que ele passe, eu nada sou,

Se eu usar a minha vida assim, para mim tudo acabou,

Apenas existo, não conto para nada, chamam-me parasita,

Vou respirando porque não dá trabalho, por mim ninguém grita.

 

Viver apenas para respirar, não, assim nunca quero viver,

Prefiro que o tempo não conte comigo, é melhor morrer,

Se eu estou aqui, é para lutar pela vida, quero ser alguém,

Quero honrar o tempo que estive no ventre da minha mãe.

 

Assim que nasci, comecei logo com o belo instinto da vida,

Procurei logo nos seios da minha mãe a minha bebida,

O seu leite, que me fez crescer, ter amor e ambição,

E o tempo foi fazendo o resto, fez bater o meu coração.

 

Não posso esbanjar o tempo, a minha vida lhe pertence,

E ele me vai consumindo, até que deixe de ser gente,

E eu também aproveito a parte que ele me destinou,

Para que no tempo nunca deixe de ser quem sou.

 

 

 

Tavira, 16 de Janeiro de 2011-Estêvão

Submited by

terça-feira, agosto 5, 2014 - 15:14

Poesia :

Your rating: None (1 vote)

José Custódio Estêvão

imagem de José Custódio Estêvão
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 2 semanas 2 dias
Membro desde: 03/14/2012
Conteúdos:
Pontos: 7749

Comentários

imagem de Joel

boa poesia

impossível esbanjar o tempo

Como luz a passear entre os dedos
O tempo não vive mas dura pra sempre
Não sei se a realidade mora nos sonhos
Ou se é areia da praia que sinto escorrer, escorrer…
P’lo ser que não sei se fantasia ou se sou eu
o sono do meu próprio tempo

imagem de José Custódio Estêvão

poema

Bela resposta, dá para acrescentar. Obrigado

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of José Custódio Estêvão

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Fantasia DA MINHA JANELA 0 651 02/05/2014 - 16:14 Português
Poesia/Meditação FLORES À VIDA! 0 630 01/29/2014 - 17:24 Português
Poesia/Meditação DAR 0 732 01/23/2014 - 11:30 Português
Poesia/Meditação AS QUEDAS QUE EU DEI 0 709 01/14/2014 - 11:35 Português
Poesia/Meditação E ASSIM VOU PENSANDO 0 853 01/08/2014 - 12:43 Português
Poesia/Meditação AS VOLTAS DA VIDA 0 1.494 01/03/2014 - 17:57 Português
Poesia/Meditação O MEU PAI SOL 0 1.738 12/31/2013 - 19:51 Português
Poesia/Fantasia PRIMAVERA TODO O ANO 0 819 12/28/2013 - 12:42 Português
Poesia/Amor O MEU POR-DO-SOL 0 764 12/24/2013 - 12:42 Português
Poesia/Meditação PORQUE SERÁ? 0 656 12/21/2013 - 13:02 Português
Poesia/Meditação O SABER E O AMOR 0 696 12/18/2013 - 20:12 Português
Poesia/Meditação VENHO DE TÃO LONGE 0 567 12/13/2013 - 19:31 Português
Poesia/Amor O ENCANTO DA LUA 0 738 12/13/2013 - 19:20 Português
Poesia/Meditação SEDE 0 828 12/10/2013 - 11:31 Português
Poesia/Amor VIVER AMANDO 0 742 12/06/2013 - 15:49 Português
Poesia/Amor PARABÉNS 0 726 12/04/2013 - 12:47 Português
Poesia/Meditação DEIXEM-ME PENSAR 0 748 12/01/2013 - 00:09 Português
Poesia/Meditação AS MINHAS PERNAS 0 648 11/29/2013 - 12:46 Português
Poesia/Meditação INSULTO 0 850 11/26/2013 - 12:31 Português
Poesia/Meditação O PRAZO DA VIDA 0 955 11/23/2013 - 14:35 Português
Poesia/Meditação SOLIDÃO 0 528 11/21/2013 - 17:41 Português
Poesia/Tristeza FILHOS DE NINGUÉM 2 1.222 11/18/2013 - 17:48 Português
Poesia/Desilusão INTERESSE 0 723 11/16/2013 - 17:48 Português
Poesia/Meditação CINZAS 1 1.044 11/15/2013 - 10:59 Português
Poesia/Meditação CINZAS 1 614 11/14/2013 - 17:10 Português