CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

A Lenda da Prostituta Rose Morena

Chegou a primavera e o rio Paraguai estava vazio
Foi quando ela chegou na Princesinha do Rio Paraguai
Usava uma blusa cinza com capuz
Short curto a revelar as pernas sensuais.
Não usava joias, nem anéis
Apenas deixava os cabelos soltos.
Nem ligou muito para o olhar de desaprovação
Do homem com a bíblia nas mãos;
Nem para o desdém da mulher de vestido longo.
Na lanchonete pediu um risole e um suco natural
O garçom pediu-lhe o número do Whatsapp
Para arrumar-lhe clientes, caso precisasse.
Na sua timidez parecia ser de pedra seu coração.
Os dias passaram e ela dançava
No Khurral, Ponto G e Curú
E todos a olhavam com olhares de desejo.
A vida era uma festa
Isso é o que pensavam dela.
Estava sempre feliz
Seu sorriso encantador
Seduzia mais que seu belo corpo
Esculpido pelo Criador.
Ninguém sabia
Mas, às vezes ela chorava pelas madrugadas
Até o dia em que ficou doente.
Em seu coração havia uma saudade
Saudades de um amor
Que há muito se fora.
Usava um vestido preto colado ao corpo
E escondeu às lágrimas.
Na praia do Daveron,
Final de tarde, nadou sozinha.
Parecia querer lavar a alma
E ninguém notou suas lágrimas.
A primavera se foi
E ela também.
Alguns dizem que ela foi para o inferno
Mas, que não foi aceita por lá.
Sua alma tão bondosa
Merecia o paraíso.
E ela vaga silenciosamente pelo espaço
Às vezes, o vento que sopra,
Às margens do rio Paraguai
Traz o seu perfume delicioso.
Houve um tempo em que eu era puro
Ela via que eu era mau
E, mesmo assim, ela me amou.

Poema: Odair José, Poeta Cacerense

www.odairpoetacacerense.blogspot.com

Submited by

quinta-feira, junho 27, 2019 - 22:40

Poesia :

No votes yet

Odairjsilva

imagem de Odairjsilva
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 1 dia 11 horas
Membro desde: 04/07/2009
Conteúdos:
Pontos: 3728

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Odairjsilva

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Meditação Anjos e demônios 0 11 08/18/2019 - 17:47 Português
Poesia/Desilusão Este amor vai ser o meu fim 0 10 08/16/2019 - 01:15 Português
Poesia/Paixão Minha forma de amar 0 21 08/15/2019 - 23:09 Português
Poesia/Meditação Os tentáculos do sistema 0 10 08/15/2019 - 22:48 Português
Poesia/Amor A bailar em minha mente 0 32 08/13/2019 - 02:39 Português
Poesia/Meditação Onde estão às poesias dos que são mortos? 0 21 08/10/2019 - 20:10 Português
Poesia/Pensamentos Tudo 0 37 08/07/2019 - 20:08 Português
Poesia/Amor O amor que procurei a vida toda 0 23 08/06/2019 - 21:40 Português
Poesia/Paixão Vejo seu sorriso e fico a contemplar-te 0 32 08/05/2019 - 23:02 Português
Poesia/Meditação Medo primitivo 0 23 08/02/2019 - 19:59 Português
Poesia/Amor O Sorriso e a Lágrima 0 20 08/01/2019 - 23:19 Português
Poesia/Fantasia Jardim exótico 0 30 07/31/2019 - 20:50 Português
Poesia/Pensamentos O flanelinha e a puta (parte 2) - A puta 0 51 07/30/2019 - 20:28 Português
Poesia/Pensamentos O flanelinha e a puta (parte 1) - o flanelinha 0 39 07/30/2019 - 00:02 Português
Poesia/Desilusão Pensei ter ouvido você sorrir 0 43 07/28/2019 - 15:49 Português
Poesia/Amor Esperança de amor 0 42 07/26/2019 - 19:16 Português
Poesia/Desilusão A vida criou o nosso amor 0 48 07/25/2019 - 20:29 Português
Poesia/Paixão Crônica de um amor louco 0 58 07/24/2019 - 20:38 Português
Poesia/Pensamentos Catarse 0 65 07/23/2019 - 01:37 Português
Poesia/Meditação Alucinação (Poema sobre drogas) 0 54 07/22/2019 - 21:53 Português
Poesia/Desilusão Quando a estrada e o caminho são demais para mim 0 39 07/20/2019 - 00:09 Português
Poesia/Meditação A tirania do urgente 2 67 07/19/2019 - 21:06 Português
Poesia/Amor A Esperança e o Destino Final 0 49 07/17/2019 - 17:13 Português
Poesia/Desilusão Encanto estranho em não estar sozinho 0 61 07/14/2019 - 14:45 Português
Poesia/Paixão Meu grande amor 0 82 07/10/2019 - 01:51 Português