CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

MAR DE BOLSO

Sinto na pele a cólera dos vulcões
Forças que modificam a minha face
Dos sismos devastadores da alma
Até á incalculável força do olhar
Por campos abertos na autonomia de amar
E esse olhar dá voltas e voltas ao infinito
Dando frescura eterna ao meu intimo
Com sopros de ar puro ao meu profundo
Ditar o terror dos cumes montanhosos
No reino do meu vento de areia congelada
E estouro a ameaça da erupção da vida
No enigma do meu querer mais e mais e mais…
Tenho a idade do meu tempo deste tempo
Um errado calendário de pedra feita pó
Pó onde choro e faço o molde de lama seca
Do meu oásis invisível no deserto de solidão
Minhas lágrimas são um mar de bolso
Que me acompanha na pesquisa ao desconhecido
Não encontro o paraíso das nascentes quentes
Morada dos fantasmas que guardam tesouros
Nas areias de ouro das entranhas da terra
De onde me chega á pele a cólera dos vulcões
Prisioneiros na fonte da vida esquecida

Submited by

terça-feira, março 11, 2008 - 15:02

Poesia :

No votes yet

Henrique

imagem de Henrique
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 4 anos 21 semanas
Membro desde: 03/07/2008
Conteúdos:
Pontos: 34817

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Henrique

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Videos/Outros Já viram o Pedro abrunhosa sem óculos? Pois ora aqui o têm. 1 36.023 06/11/2019 - 09:39 Português
Poesia/Tristeza TEUS OLHOS SÃO NADA 1 1.230 03/06/2018 - 21:51 Português
Poesia/Pensamentos ONDE O INFINITO SEJA O PRINCÍPIO 4 1.858 02/28/2018 - 17:42 Português
Poesia/Pensamentos APALPOS INTERMITENTES 0 1.856 02/10/2015 - 22:50 Português
Poesia/Aforismo AQUILO QUE O JUÍZO É 0 1.635 02/03/2015 - 20:08 Português
Poesia/Pensamentos ISENTO DE AMAR 0 1.373 02/02/2015 - 21:08 Português
Poesia/Amor LUME MAIS DO QUE ACESO 0 1.456 02/01/2015 - 22:51 Português
Poesia/Pensamentos PELO TEMPO 0 1.439 01/31/2015 - 21:34 Português
Poesia/Pensamentos DA POESIA 0 1.984 01/30/2015 - 23:06 Português
Poesia/Pensamentos DO AMOR 0 1.541 01/30/2015 - 21:48 Português
Poesia/Pensamentos DO SENTIMENTO 0 1.849 01/29/2015 - 22:55 Português
Poesia/Pensamentos DO PENSAMENTO 0 1.149 01/29/2015 - 19:53 Português
Poesia/Pensamentos DO SONHO 0 1.313 01/29/2015 - 01:04 Português
Poesia/Pensamentos DO SILÊNCIO 0 1.285 01/29/2015 - 00:36 Português
Poesia/Pensamentos DA CALMA 0 1.391 01/28/2015 - 21:27 Português
Poesia/Pensamentos REPASTO DE ESQUECIMENTO 0 1.585 01/27/2015 - 22:48 Português
Poesia/Pensamentos MORRER QUE POR DENTRO DA PELE VIVE 0 1.305 01/27/2015 - 16:59 Português
Poesia/Aforismo NENHUMA MULTIDÃO O SERÁ 0 1.300 01/26/2015 - 20:44 Português
Poesia/Pensamentos SILENCIOSA SOMBRA DE SOLIDÃO 0 1.504 01/25/2015 - 22:36 Português
Poesia/Pensamentos MIGALHAS DE SAUDADE 0 1.198 01/22/2015 - 22:32 Português
Poesia/Pensamentos ONDE O AMOR SEMEIA E COLHE A SOLIDÃO 0 1.222 01/21/2015 - 18:00 Português
Poesia/Pensamentos PALAVRAS À LUPA 0 2.054 01/20/2015 - 19:38 Português
Poesia/Pensamentos MADRESSILVA 0 1.160 01/19/2015 - 21:07 Português
Poesia/Pensamentos NA SOLIDÃO 0 1.494 01/17/2015 - 23:32 Português
Poesia/Pensamentos LÁPIS DE SER 0 1.352 01/16/2015 - 20:47 Português