CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

NASCEMOS PARA MORRER

Nascemos para morrer…

A luz que vemos ao fundo de um túnel, é a mesma, quando nascemos e quando chega a hora de morrer,
As mãos que nos amparam o nascimento, são aquelas que um dia iremos enterrar,
O ventre de onde nascemos, é aquele que um dia veremos, bem à nossa frente, a falecer,
A família que nos foi escolhida, ao nascimento, é a família que á nossa morte, nos vai acompanhar…

O barro que nos moldou, quando nascemos, é a terra que bate no caixão da nossa morte,
È quase como devolvermos a ela, o que um dia, ela nos deu, quando nascemos,
O sopro de vida, que em nós entrou, na nossa primeira expiração de sorte,
Parte, de nós, para o infinito, para um universo que desconhecemos.

As lágrimas que soltamos no nosso primeiro dia de fome e desconforto,
São as mesmas, mas mais intensas, que brotamos cara abaixo, quando pensamos que chegou a nossa hora,
E só nessa hora, a vida passa num remake, á frente dos nossos olhos, pelo nosso corpo quase morto,
E pensamos que tempo foi aquele, que perdemos com coisas fúteis, tempo esse, que nos faltava agora…

Quando nascemos, alguém em alguma parte do mundo, morre também, quase a dar-nos o seu lugar,
Para que um dia, quando morrermos, sermos nós, a fazer essa mesma troca de ocupação de vida,
É quase como um trocar o vasilhame, mas apenas o casulo é dispensável…A Alma, pedaço de de cada um de nós, apenas de corpo quer trocar,
Quer fazer a viagem de volta ao mesmo lugar, onde nasceu, para que em breve, num instante, regresse e dê animo à vida agora nascida…

Quando nascemos, já o fazemos a morrer,
Só ainda não sabemos, o que nos vai realmente acontecer,
Só ainda não sabemos, em que parte da vida, que nos deram, vamos parar eternamente, morrer nos braços de alguém, sem vida, sem calor,
Só ainda não sabemos, que só por nascermos, o relógio do tempo, já conta, e não é a nosso favor…

Nascemos a morrer...

Submited by

sexta-feira, maio 11, 2012 - 10:15

Poesia :

Your rating: None (8 votes)

joanadarc

imagem de joanadarc
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 2 semanas 6 dias
Membro desde: 07/18/2011
Conteúdos:
Pontos: 1571

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of joanadarc

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Pensamentos És perfeito 2 1.309 07/22/2011 - 09:27 Português
Videos/Música paixão 0 1.476 07/21/2011 - 17:46 Português
Musica/Poesia "Bem que se quis" 0 2.995 07/20/2011 - 22:13 Português
Poesia/Pensamentos Doce(nte) 4 885 07/19/2011 - 10:45 Português
Musica/Poesia Music 0 1.824 07/18/2011 - 22:05 Português
Fotos/Pessoais joana darc 0 3.112 07/18/2011 - 20:18 Português