CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

NEM O INFINITO É TÃO LONGO

Nada me dirá melhor
o que é o amor do que o teu olhar
aquando te olho tão bela neste sentir
envaidecido de paz.

Nem mesmo a lua-cheia
a cantar o seu luar dominante
sobre a grandiosidade do mar,
se compara à verdade do teu olhar
aquando nossas mãos se entrelaçam
em laços de ternura.

Nada melhor
que os meus olhos
te poderá poetizar quanto te amo
quando a saudade acaba no nosso abraço
derretido de entrega total.

Nem mesmo
os murmúrios do vento
te poderão abalroar o corpo
tal como os meus poemas acariciam
a tua alma deleitada musa em mim.

Nenhuma melodia
será tão afinada quanto o meu “amo-te”
nas flores que te ofereço em destino de mel.

Nem as canções
das alvas primaveris
conseguirão fazer bailar o fogo
como a volúpia das palavras de paixão
ditas pelo perfume do meu corpo por ti possuído.

Não há
qualquer cor no universo
que aprimore de forma tão sensata
este amor como o teu sorriso o descreve
na praia do meu desejo abrasado pelo teu calor.

Nem o próprio sol
alcançará o teu brilho
como aquando me escutas
calando os quatro horizontes
curvados a teus pés de mulher esplendorosa.

Nenhum silêncio
se iguala ao desmaio dos nossos beijos
ultrapassando a velocidade do som e da luz.

Nem o infinito
é tão longo quanto esta sensação
de amor que saboreio nos teus lábios.

Submited by

sexta-feira, julho 2, 2010 - 00:02

Poesia :

No votes yet

Henrique

imagem de Henrique
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 4 anos 51 semanas
Membro desde: 03/07/2008
Conteúdos:
Pontos: 34817

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Henrique

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Videos/Outros Já viram o Pedro abrunhosa sem óculos? Pois ora aqui o têm. 1 36.754 06/11/2019 - 08:39 Português
Poesia/Tristeza TEUS OLHOS SÃO NADA 1 1.527 03/06/2018 - 20:51 Português
Poesia/Pensamentos ONDE O INFINITO SEJA O PRINCÍPIO 4 2.146 02/28/2018 - 16:42 Português
Poesia/Pensamentos APALPOS INTERMITENTES 0 2.069 02/10/2015 - 21:50 Português
Poesia/Aforismo AQUILO QUE O JUÍZO É 0 1.927 02/03/2015 - 19:08 Português
Poesia/Pensamentos ISENTO DE AMAR 0 3.927 02/02/2015 - 20:08 Português
Poesia/Amor LUME MAIS DO QUE ACESO 0 2.603 02/01/2015 - 21:51 Português
Poesia/Pensamentos PELO TEMPO 0 1.644 01/31/2015 - 20:34 Português
Poesia/Pensamentos DA POESIA 0 5.256 01/30/2015 - 22:06 Português
Poesia/Pensamentos DO AMOR 0 1.790 01/30/2015 - 20:48 Português
Poesia/Pensamentos DO SENTIMENTO 0 2.131 01/29/2015 - 21:55 Português
Poesia/Pensamentos DO PENSAMENTO 0 2.306 01/29/2015 - 18:53 Português
Poesia/Pensamentos DO SONHO 0 1.586 01/29/2015 - 00:04 Português
Poesia/Pensamentos DO SILÊNCIO 0 2.727 01/28/2015 - 23:36 Português
Poesia/Pensamentos DA CALMA 0 1.994 01/28/2015 - 20:27 Português
Poesia/Pensamentos REPASTO DE ESQUECIMENTO 0 1.822 01/27/2015 - 21:48 Português
Poesia/Pensamentos MORRER QUE POR DENTRO DA PELE VIVE 0 1.640 01/27/2015 - 15:59 Português
Poesia/Aforismo NENHUMA MULTIDÃO O SERÁ 0 1.621 01/26/2015 - 19:44 Português
Poesia/Pensamentos SILENCIOSA SOMBRA DE SOLIDÃO 0 2.801 01/25/2015 - 21:36 Português
Poesia/Pensamentos MIGALHAS DE SAUDADE 0 1.519 01/22/2015 - 21:32 Português
Poesia/Pensamentos ONDE O AMOR SEMEIA E COLHE A SOLIDÃO 0 1.401 01/21/2015 - 17:00 Português
Poesia/Pensamentos PALAVRAS À LUPA 0 2.342 01/20/2015 - 18:38 Português
Poesia/Pensamentos MADRESSILVA 0 1.390 01/19/2015 - 20:07 Português
Poesia/Pensamentos NA SOLIDÃO 0 1.706 01/17/2015 - 22:32 Português
Poesia/Pensamentos LÁPIS DE SER 0 1.585 01/16/2015 - 19:47 Português