CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

NEM TUDO O QUE É DOCE É BOM

Nem tudo o que é doce é bom

 

 

Depois de uma manhã de céu azul e solarenga,

A tarde veste – se de cinzento, e a chuva cai como oferenda,

A tarde já envelhece e eis a chuva que chega,

O Sol a pouco e pouco também já se tapou, tinha frio,

E de cinzento também se cobriu,

O eterno tempo é quem manda, ele quer que assim seja.

 

 

E eu que estou cá em baixo, levo com a chuva que não é fria,

Cai lentamente, de mansinho, é melhor do que bravia,

Embora muita gente, não goste dela,

A chuva, embora às vezes feia, fará uma cara bonita,

Dá o verde aos campos que são lindos e a terra acredita,

Que por vezes a chuva faça muitas caras feias, também é bela.

 

 

A chuva penetra na terra que é fêmea e assim dará os seus frutos,

Pois embora, às vezes sejam demais os seus queridos contributos,

Para todos comermos e vivermos e mesmo mal dela dizendo,

Todos abençoarão o céu pela chuva que vai caindo,

E por vezes o vento a acompanhe também bramindo,

Por causa da chuva todos nós os seus frutos vamos comendo.

 

 

Por vezes até falamos mal da chuva quando é demais,

Mas ela, vai caindo, quando quer e às vezes provoca muitos ais,

E nada podemos fazer para evitar que a chuva caia,

Das altaneiras nuvens que se formam nos altos céus,

Talvez seja mandada ou não por vontade de Deus,

E quando toca na terra, ela se deleita, penetra e desmaia.

 

 

A chuva vem, tarde ou tarde ou cedo, ela sempre cai,

Ela sabe quando deve molhar e assim ela vem e vai,

Não quando nos apetece, ou quando nós queremos,

Mas sim, quando as ordens da Natureza ela tem de cumprir,

Destas ordens certamente ninguém pode fugir,

E enquanto vivermos, assim sempre obedeceremos.

 

Tavira, 10 de Outubro de 2010 – Estêvão

 

Submited by

sexta-feira, abril 5, 2013 - 10:04

Poesia :

No votes yet

José Custódio Estêvão

imagem de José Custódio Estêvão
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 8 semanas 2 dias
Membro desde: 03/14/2012
Conteúdos:
Pontos: 7721

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of José Custódio Estêvão

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Geral AS ONDS DO MAR 0 129 07/25/2018 - 09:53 Português
Prosas/Pensamentos 34- O HOMEM 6 437 03/21/2018 - 16:04 Português
Poesia/Amor VERMELHO 0 533 09/04/2017 - 10:13 Português
Poesia/Amor UMA ORQUÍDEA PARA TI 0 570 07/17/2017 - 10:50 Português
Poesia/Meditação AS PEDRAS DOS RIOS 0 529 06/07/2017 - 09:54 Português
Prosas/Pensamentos PENSAMENTOS 34 0 717 05/24/2017 - 11:09 Português
Poesia/Amor AMO-TE COMO ÉS 0 970 05/24/2017 - 10:59 Português
Poesia/Meditação SABER SER FRELIZ 0 319 05/09/2017 - 16:51 Português
Poesia/Amizade TU 0 328 04/21/2017 - 11:52 Português
Poesia/Meditação PARA DE TE QUEIXAR 2 500 03/26/2017 - 20:34 Português
Poesia/Meditação PARA QUÊ MATAR? 5 504 03/24/2017 - 12:31 Português
Poesia/Meditação CHEGAR, VER E VENCER 0 277 03/13/2017 - 15:57 Português
Poesia/Amor BEIJOS TEUS 0 560 02/22/2017 - 11:12 Português
Poesia/Amor OLHANDO O MAR 0 423 02/08/2017 - 11:26 Português
Poesia/Amor SAUDADE 0 430 02/01/2017 - 11:29 Português
Poesia/Geral FRIO 0 362 01/26/2017 - 11:27 Português
Poesia/Geral FRIO 0 404 01/26/2017 - 11:23 Português
Poesia/Fantasia AS ONDAS DO MAR 0 495 01/11/2017 - 10:49 Português
Poesia/Meditação AMANHECEU OUTRA VEZ 0 488 01/04/2017 - 12:22 Português
Poesia/Alegria RIR 0 1.008 12/21/2016 - 10:58 Português
Poesia/Amor O BARCO DOS NOSSOS SONHOS 1 1.001 12/15/2016 - 14:05 Português
Prosas/Pensamentos PENSAMENTOS 0 615 12/07/2016 - 12:16 Português
Poesia/Amor RECORDANDO 0 389 12/07/2016 - 12:01 Português
Prosas/Pensamentos PENSAMENTOS 0 334 11/30/2016 - 12:39 Português
Poesia/Fantasia TEMPO DE SOL 0 414 11/30/2016 - 12:26 Português