CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

O filho do vento

Ainda lembro como as palavras se perdem,
Como pesam os deveres das ramagens sempre
Que há uma nota que interrompe o silêncio
Que me interpreta contra o vento.

Foram sempre vulgares os desacordos entre nós…
Como se um abraço pudesse romper com o rumo
Que nos escolhem!
E pergunto se poderá o céu nos amar a ambos?

Preferia ter nascido muito antes de morrer,
Mas, no entanto, sempre soube que não teria
O que vestir se olhasse por outros olhos que
Não os meus…O que diria se me visse?

Desconfio que não será este mesmo suspiro
Que te faça gostar de mim, contudo, imagino,
Que se houver um vazio onde haviam demasiados
Charcos no meu peito talvez me consigas levar
Onde nunca as memórias o fizeram.

Nunca foi fácil a nossa vida, juntos, nem mesmo
Quando um sorriso roubaste ao acariciares a minha
Pele…que logo no instante seguinte azulou e tremeu.

Não espero que venhas a perceber, nesta ou noutra
Vida qualquer, a dor que enche cada dia das
Minhas lágrimas, mas digo-te isto para saibas que a
Maior parte das vezes…fui eu quem tu fizeste chorar!

Submited by

segunda-feira, fevereiro 15, 2010 - 20:30

Poesia :

No votes yet

jopeman

imagem de jopeman
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 9 anos 44 semanas
Membro desde: 01/04/2009
Conteúdos:
Pontos: 3172

Comentários

imagem de mariamateus

Re: O filho do vento

Querido, Amigo....

Como sabe tão bem mergulhar nos
teus poemas!

AMEI!

Beijo -luz da amiga!

mm

imagem de brunoteixeira

Re: O filho do vento

oi João,

..."Que há uma nota que interrompe o silêncio
Que me interpreta contra o vento"...
..."Que se houver um vazio onde haviam demasiados
Charcos no meu peito talvez me consigas levar
Onde nunca as memórias o fizeram"...

Saliento estes trechos do seu fabuloso texto, está simplesmente fenomenal.
A escolha de palavras e uma harmonia por inteiro faz-nos sentir o poema, sem dúvida fantástico.

Gostei muito

Abraço

imagem de mariamateus

Re: O filho do vento

Olá João....

Comovente, :lol: mil aplausos!!! :hammer: :hammer:

Destaco a estrofe muito bem conseguida!

Não espero que venhas a perceber, nesta ou noutra
Vida qualquer, a dor que enche cada dia das
Minhas lágrimas, mas digo-te isto para saibas que a
Maior parte das vezes…fui eu quem tu fizeste chorar!

Beijinho...

Gosto, de te ler!....

Tua amiga!

mm

imagem de Henrique

Re: O filho do vento

E pergunto se poderá o céu nos amar a ambos?

Talvez se encontre aqui no teu texto a resposta...

Contudo há um grande mistério de volta dele!!!

:-)

imagem de Manuelaabreu

Re: O filho do vento

Jopeman
gostei imenso do teu poema bonito e triste aonde está presente uma dor dificil de acabar envolto num título que sugere muitas interpretações.
bjo e bom carnaval :-)

imagem de angelalugo

Re: O filho do vento

Olá caro poeta

Adorei retornar e voltar a ler
a sua bela poesia,este poema
embora triste está maravilhosamente
belo...Parabéns!

Beijinhos no coração

imagem de Librisscriptaest

Re: O filho do vento

E o poeta com a sua arte transforma a dor em beleza e nós, meros espectadores comovidos, tornamos-nos parte desse imenso sentir e sofrer...
Lindo de tão triste João...
Beijinho tão grande em ti!
Inês

imagem de MarneDulinski

Re: O filho do vento

UM BELÍSSIMO POEMA, GOSTEI MUITO!

Minhas lágrimas, mas digo-te isto para saibas que a
Maior parte das vezes…fui eu quem tu fizeste chorar!

Meus parabéns,
Marne

imagem de LilaMarques

Re: O filho do vento

Meu querido João,

Mais uma vez, um poema em que deixas vazar a tua dor, um amar tão doído. Um poema que lindamente triste, nos encaminha a nós, leitores, às desilusões que nos assolam.
Tua escrita é de uma beleza singular!

Um grande beijo.

imagem de Nanda

Re: O filho do vento

Jopeman,
De tão belo o teu poema chega a ser comovente.
Beijinho
Nanda

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of jopeman

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Pensamentos Violentas Alegrias 5 899 10/20/2011 - 20:16 Português
Poesia/Pensamentos Gostei sobretudo das árvores que davam pássaros 5 915 10/20/2011 - 20:13 Português
Poesia/Amor sei que o amor é coisa de homens 1 983 10/20/2011 - 20:10 Português
Fotos/ - 1129 0 1.737 11/23/2010 - 23:37 Português
Fotos/ - 1127 0 2.220 11/23/2010 - 23:34 Português
Poesia/Pensamentos Sou Vadio 4 1.311 08/30/2010 - 08:57 Português
Poesia/Geral Destino Manifesto 2 1.464 08/22/2010 - 21:17 Português
Poesia/Aforismo Quietude (Desafio Poético) 4 1.000 08/02/2010 - 01:08 Português
Poesia/Dedicado Jopeman - O caminho (ao WAF) 2 1.035 07/06/2010 - 07:10 Português
Poesia/Amor A (quase) eterna leveza dos malmequeres 1 1.357 06/24/2010 - 04:05 Português
Poesia/Pensamentos A terra é só terra e eu penso nisso vezes demais 6 765 06/19/2010 - 21:44 Português
Poesia/Meditação Portas 7 1.081 06/12/2010 - 09:54 Português
Poesia/Meditação Que morram todos os sinais 1 1.031 06/12/2010 - 09:48 Português
Poesia/Meditação Viagem 3 1.193 06/12/2010 - 09:41 Português
Prosas/Contos Intuições 5 985 05/17/2010 - 21:01 Português
Poesia/Geral Só tu sabes! 6 993 05/17/2010 - 21:00 Português
Poesia/Alegria Corro 8 1.219 05/10/2010 - 14:06 Português
Poesia/Meditação As pedras não voam 11 1.125 05/02/2010 - 02:15 Português
Poesia/Geral Distâncias 9 1.089 04/07/2010 - 19:29 Português
Poesia/Geral Há aquelas coisas de que nunca penso se houver uma porta aberta 8 824 03/26/2010 - 08:42 Português
Poesia/Amor Amor de sol e lua (duo com Analyra) 7 1.181 03/23/2010 - 15:00 Português
Poesia/Geral Continuo sentado à varanda 7 1.167 03/17/2010 - 20:17 Português
Poesia/Desilusão O filho do vento 13 1.180 03/15/2010 - 14:56 Português
Poesia/Meditação O refúgio de D. Dinis 1 1.268 03/05/2010 - 12:08 Português
Poesia/Amor A dança dos amantes 1 1.167 03/05/2010 - 02:05 Português