CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

O Reflexo que Assombra

O Reflexo que Assombra

A verdade é a catacumba da vontade
Atirada em terra úmida parte a parte
Dá cabo à melancolia enferrujada
Propondo novas lâminas para minha morada

Antiga, inadequada e sem brônquios
Respirar é espanto até para meus demônios
Acostumados com a condição amorfa/bipolar
Dos mesmos erros que tento, em vão, suturar,

À realidade que separa sem atalho
Minha alteridade do espectro falho
Aqui, no vale dos medos silenciados
O Silício é a voz dos desesperados

Então afirmo com exatidão irregular
Toda vontade transformada de forma singular
Em transtorno para a morte, tida como rompimento
Com o espelho, que é sempre meu maior julgamento.

Submited by

sexta-feira, agosto 21, 2009 - 07:48

Poesia :

No votes yet

malentacchi

imagem de malentacchi
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 10 anos 4 semanas
Membro desde: 06/22/2009
Conteúdos:
Pontos: 704

Comentários

imagem de jopeman

Re: O Reflexo que Assombra

Um poema fortissimo...que assombra
Gostei
Abraço

imagem de GilBerthoLopes

Re: O Reflexo que Assombra

"melancolia enferrujada"; "Respirar é espanto"; "erros que tento, em vão,suturar" "medos silenciados"
Tudo isso é muito sintomático, e, muito forte também.
Que leitura se faz do poeta? Alma acorrentada? O que há de verossimilhança? Sua poesia me intriga. Um abraço.

imagem de analyra

Re: O Reflexo que Assombra

Gostei demais. Também passeio por esse espectro.
Grande abraço.

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of malentacchi

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Tristeza Lamúrias 0 1.198 03/21/2011 - 04:53 Português
Poesia/Tristeza O Torniquete Atenuado 0 1.333 02/28/2011 - 02:25 Português
Poesia/Tristeza Solve et Coagula 0 855 02/28/2011 - 02:22 Português
Poesia/Tristeza Incompreensível (Como Tantos Outros) 2 1.094 01/26/2011 - 01:13 Português
Poesia/Soneto O Aviltamento do Verso 0 997 01/26/2011 - 01:03 Português
Poesia/Tristeza Quando os Espectros Machucam A Carne 0 1.124 01/26/2011 - 01:00 Português
Poesia/Tristeza Primaveras Mortas 0 1.065 01/19/2011 - 02:22 Português
Poesia/Tristeza Escrita Inferior 0 1.206 01/02/2011 - 20:59 Português
Poesia/Tristeza Mais Uma Injúria Afásica Para Os Pronomes Em Primeira Pessoa 0 941 01/02/2011 - 20:56 Português
Poesia/Tristeza Dificuldades Com o Verso Amaldiçoado 0 999 12/26/2010 - 20:57 Português
Poesia/Tristeza Exi[s]t-ência 0 816 12/26/2010 - 20:55 Português
Poesia/Tristeza Entre A Sociopatia E A Filosofia Dos Não Valores 0 1.626 12/22/2010 - 04:13 Português
Poesia/Tristeza Uma Alegoria Para As Almas Desgraçadas 0 1.581 12/22/2010 - 04:05 Português
Poesia/Tristeza Conclave Para Um Diálogo Entres Sombras 0 1.617 12/22/2010 - 04:00 Português
Poesia/Tristeza Sobre a Perversidade e seus Hematoversos 0 1.479 12/21/2010 - 05:52 Português
Poesia/Tristeza A Filosofia dos Túmulos 0 1.485 12/21/2010 - 05:50 Português
Poesia/Tristeza Da Ínfima Procura 0 1.614 12/21/2010 - 05:49 Português
Poesia/Tristeza A Exumação de Todas As Minhas Mortes 0 804 12/21/2010 - 05:48 Português
Poesia/Tristeza Exurgent mortius at ad me venient (o morto se levante e venha a mim) 0 1.207 12/17/2010 - 05:23 Português
Poesia/Tristeza Um Punhado de Versos Fúnebres Para Josef K. 0 1.353 12/17/2010 - 05:21 Português
Poesia/Tristeza A Proeminência da Falha 0 951 12/17/2010 - 05:19 Português
Poesia/Tristeza Ode à Tânatos 0 1.021 12/17/2010 - 05:16 Português
Videos/Perfil 855 0 1.212 11/24/2010 - 23:04 Português
Videos/Perfil 482 0 1.326 11/24/2010 - 22:58 Português
Videos/Perfil 481 0 1.658 11/24/2010 - 22:58 Português