CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

OLHAR DESAPARAFUSADO

Corpo,
sermões de ser
o que não parece,
prece de sangue fresco
chaga a solidão das mãos.

Invólucros de Bem encerram bocas vis.

Emoção,
conversas de meia-lua,
nua aragem de ventos desinibidos
abrem as portas rangentes da noite ao Mal.

Elogios desfilam cadáveres excêntricos.

Alma,
abundância fácil,
aquários de palavras angélicas,
arraiais de mentira infamam peles
em arrepios de ira contundida na mente.

Luz,
criaturas
de asas soltas,
néscias voltas diurnas
castram vermes com presas,
fobias acesas velam o sol posto
numa gargalhada espancada por si própria.

Sombra,
chapéu noctívago,
bago de lágrimas desanuviadas,
infidelidades viajadas ao fim do passado.

Amor,
caminhos pedestres,
moinho esbarrado em relógios agrestes.

Beijos,
chuva insípida,
esbanjos em bandeja de gelo vampírico.

Vida,
farda de rigor rasgado a frio,
fardos de utopia torturada sem azo,
energias gritadas ao acaso da paisagem.

Morte,
sonhos híbridos,
sentidos de sepulturas empinadas,
fadas viúvas choram flores de sono intenso.

Poesia,
santuário de musas,
bofetadas de elegâncias confusas,
sentimentos de olhar desaparafusado.

Submited by

segunda-feira, junho 14, 2010 - 01:06

Poesia :

No votes yet

Henrique

imagem de Henrique
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 5 anos 6 dias
Membro desde: 03/07/2008
Conteúdos:
Pontos: 34817

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Henrique

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Videos/Outros Já viram o Pedro abrunhosa sem óculos? Pois ora aqui o têm. 1 36.786 06/11/2019 - 08:39 Português
Poesia/Tristeza TEUS OLHOS SÃO NADA 1 1.541 03/06/2018 - 20:51 Português
Poesia/Pensamentos ONDE O INFINITO SEJA O PRINCÍPIO 4 2.155 02/28/2018 - 16:42 Português
Poesia/Pensamentos APALPOS INTERMITENTES 0 2.076 02/10/2015 - 21:50 Português
Poesia/Aforismo AQUILO QUE O JUÍZO É 0 1.938 02/03/2015 - 19:08 Português
Poesia/Pensamentos ISENTO DE AMAR 0 3.940 02/02/2015 - 20:08 Português
Poesia/Amor LUME MAIS DO QUE ACESO 0 2.619 02/01/2015 - 21:51 Português
Poesia/Pensamentos PELO TEMPO 0 1.651 01/31/2015 - 20:34 Português
Poesia/Pensamentos DA POESIA 0 5.279 01/30/2015 - 22:06 Português
Poesia/Pensamentos DO AMOR 0 1.800 01/30/2015 - 20:48 Português
Poesia/Pensamentos DO SENTIMENTO 0 2.148 01/29/2015 - 21:55 Português
Poesia/Pensamentos DO PENSAMENTO 0 2.313 01/29/2015 - 18:53 Português
Poesia/Pensamentos DO SONHO 0 1.595 01/29/2015 - 00:04 Português
Poesia/Pensamentos DO SILÊNCIO 0 2.752 01/28/2015 - 23:36 Português
Poesia/Pensamentos DA CALMA 0 2.014 01/28/2015 - 20:27 Português
Poesia/Pensamentos REPASTO DE ESQUECIMENTO 0 1.833 01/27/2015 - 21:48 Português
Poesia/Pensamentos MORRER QUE POR DENTRO DA PELE VIVE 0 1.653 01/27/2015 - 15:59 Português
Poesia/Aforismo NENHUMA MULTIDÃO O SERÁ 0 1.636 01/26/2015 - 19:44 Português
Poesia/Pensamentos SILENCIOSA SOMBRA DE SOLIDÃO 0 2.833 01/25/2015 - 21:36 Português
Poesia/Pensamentos MIGALHAS DE SAUDADE 0 1.524 01/22/2015 - 21:32 Português
Poesia/Pensamentos ONDE O AMOR SEMEIA E COLHE A SOLIDÃO 0 1.412 01/21/2015 - 17:00 Português
Poesia/Pensamentos PALAVRAS À LUPA 0 2.353 01/20/2015 - 18:38 Português
Poesia/Pensamentos MADRESSILVA 0 1.399 01/19/2015 - 20:07 Português
Poesia/Pensamentos NA SOLIDÃO 0 1.719 01/17/2015 - 22:32 Português
Poesia/Pensamentos LÁPIS DE SER 0 1.600 01/16/2015 - 19:47 Português