CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

OS MEUS OLHOS NÃO ME CONHECEM

Os meus olhos não me conhecem

 

 

Quero olhar os meus olhos mas não consigo olhar,

Eles não se podem ver, para dentro não se podem virar,

Apenas olham para fora, para ver e para crer,

Mas nem sempre assim fazem, às vezes julgam sem ver,

Para ver abrem as janelas mas fechadas também vêem,

Quando a minha mente descansa, na escuridão que têm,

Sonham que estão a ver, mas não passa de uma ilusão,

Parecendo que às vezes é verdade a mentira da visão.

 

 

Olham a luz, olham a terra, olham o céu e o mar,

Sentem a alegria, a tristeza e pelas duas podem chorar,

Mas continuam sem ver para dentro sem ver a sua própria cor,

Mas rejubilam ou sofrem pelas coisas de amor,

Quando o coração lhes transmite este nobre sentimento,

Mas apenas os outros vêem, o que eles têm lá dentro,

Se são lágrimas ou não que correm pelo meu semblante,

E eles só vêm as lágrimas quando elas caem para diante.

 

 

Queria tanto olhar os meus olhos, mas eles não olham para mim,

Queria tanto vê – los a sorrir no meu princípio e no meu fim,

Mas durante a minha vida de certeza nunca o vou conseguir,

Queria tanto ver quando choram ou quando estão a sorrir,

Para ver se têm rosto como o rosto que os detém,

Mas também ficam contentes, por ver o sorriso de alguém,

Que contagiam os meus na sua alegria ou na sua tristeza,

Mas continuam sem olhar para eles, disto eu tenho a certeza.

 

Nasci, fui menino, já sou velho, não sei o tempo que vou viver,

E os meus olhos estão comigo e nunca me vão conhecer,

Só sei como sou e quem sou pelas imagens que tenho de mim,

O que é que eu posso fazer se eu fui concebido assim?

Mas pelos meus olhos nunca conhecerei o meu próprio rosto,

E eu que gostava tanto de olhar para mim a meu gosto,

No meu querer não vale a pena insistir em querer o impossível,

Eu não posso inverter, mudando o impossível em possível.

 

 

 

 

 

Tavira, 8 de Fevereiro de 2010 – Estêvão

Submited by

sexta-feira, fevereiro 8, 2013 - 11:10

Poesia :

No votes yet

José Custódio Estêvão

imagem de José Custódio Estêvão
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 8 semanas 2 dias
Membro desde: 03/14/2012
Conteúdos:
Pontos: 7721

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of José Custódio Estêvão

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Geral AS ONDS DO MAR 0 129 07/25/2018 - 09:53 Português
Prosas/Pensamentos 34- O HOMEM 6 437 03/21/2018 - 16:04 Português
Poesia/Amor VERMELHO 0 533 09/04/2017 - 10:13 Português
Poesia/Amor UMA ORQUÍDEA PARA TI 0 571 07/17/2017 - 10:50 Português
Poesia/Meditação AS PEDRAS DOS RIOS 0 529 06/07/2017 - 09:54 Português
Prosas/Pensamentos PENSAMENTOS 34 0 717 05/24/2017 - 11:09 Português
Poesia/Amor AMO-TE COMO ÉS 0 970 05/24/2017 - 10:59 Português
Poesia/Meditação SABER SER FRELIZ 0 319 05/09/2017 - 16:51 Português
Poesia/Amizade TU 0 328 04/21/2017 - 11:52 Português
Poesia/Meditação PARA DE TE QUEIXAR 2 500 03/26/2017 - 20:34 Português
Poesia/Meditação PARA QUÊ MATAR? 5 504 03/24/2017 - 12:31 Português
Poesia/Meditação CHEGAR, VER E VENCER 0 277 03/13/2017 - 15:57 Português
Poesia/Amor BEIJOS TEUS 0 560 02/22/2017 - 11:12 Português
Poesia/Amor OLHANDO O MAR 0 423 02/08/2017 - 11:26 Português
Poesia/Amor SAUDADE 0 430 02/01/2017 - 11:29 Português
Poesia/Geral FRIO 0 362 01/26/2017 - 11:27 Português
Poesia/Geral FRIO 0 404 01/26/2017 - 11:23 Português
Poesia/Fantasia AS ONDAS DO MAR 0 495 01/11/2017 - 10:49 Português
Poesia/Meditação AMANHECEU OUTRA VEZ 0 488 01/04/2017 - 12:22 Português
Poesia/Alegria RIR 0 1.008 12/21/2016 - 10:58 Português
Poesia/Amor O BARCO DOS NOSSOS SONHOS 1 1.001 12/15/2016 - 14:05 Português
Prosas/Pensamentos PENSAMENTOS 0 615 12/07/2016 - 12:16 Português
Poesia/Amor RECORDANDO 0 389 12/07/2016 - 12:01 Português
Prosas/Pensamentos PENSAMENTOS 0 334 11/30/2016 - 12:39 Português
Poesia/Fantasia TEMPO DE SOL 0 414 11/30/2016 - 12:26 Português