CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

PAI E MAE

PAI E MÃE

                                             Meu pai, minha mãe

Meus amores eternos

                                              Vossa alma já Deus tem

                                              Sem vós é sempre inverno

 

                                              Partisteis há longo tempo

                                              Nunca morrem as saudades

                                              Elas são como o vento

                                              Sempre existem de verdade

 

                                              Longos anos passaram

                                              Do tempo que nos conhecemos

                                              Saudades muitas ficaram

                                              Nunca morrem, sempre temos

 

                                              Herança de amor e carinho

                                              Os meus pais me deixaram

                                              E até um bom caminho

                                              Outras heranças não tiveram

 

                                              Fui mimado de pequenino

                                              Mais coisas não pude ter

                                              Apesar de pobrezinhos

                                              Nunca deixaram me querer

 

                                              Para todos o amor chegava

                                              Não era preciso comprar

                                              Esta riqueza abundava

                                              Nunca deixaram de amar

 

                                              O pão muitas vezes faltava

                                              Mas nunca o seu sorriso

                                              A fome é que castigava

                                              Comia-me, era castigo.

 

                                              A tristeza nos seus rostos

                                              Não dava para esconder

                                              De manhã ao sol-  posto

                                               Nada havia para comer
 

                                              Quando a pesca abundava

                                              Era um regalo ver

                                              A alegria é que mandava

                                              Não dava para conter

 

                                              Maldito era o Inverno

                                              Nem o podia sentir

                                              Para todos era o inferno

                                              Punha todos a pedir

 

                                              Quando a fome apertava

                                              Tudo se podia comer

                                              Galinhas e gatos se matava

                                              Para se evitar de morrer

 

                                              Memórias não esquecidas

                                              Elas serão p´ra sempre

                                              Lágrimas não contidas

                                              Mas a vida segue em frente

 

 

 

 2003 -Estêvão

 

 

 

Submited by

terça-feira, maio 22, 2012 - 12:00

Poesia :

No votes yet

José Custódio Estêvão

imagem de José Custódio Estêvão
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 17 semanas 3 dias
Membro desde: 03/14/2012
Conteúdos:
Pontos: 7749

Comentários

imagem de KeilaPatricia

LInda homenagem... Gostei

LInda homenagem...

Gostei bastante.

Abraço, ...)...(@

:)

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of José Custódio Estêvão

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Meditação Pensamento 0 340 12/20/2019 - 17:18 Português
Poesia/Meditação Pensamento 0 211 12/20/2019 - 17:13 Português
Poesia/Amor Três coisas 2 257 12/12/2019 - 18:00 Português
Poesia/Geral AS ONDS DO MAR 5 2.395 12/09/2019 - 13:23 Português
Poesia/Fantasia O MEU NOME 0 889 12/14/2018 - 11:36 Português
Poesia/Meditação O TEMPO LEVA TUDO 0 1.152 09/28/2018 - 15:56 Português
Prosas/Pensamentos 34- O HOMEM 6 1.683 03/21/2018 - 16:04 Português
Poesia/Amor VERMELHO 0 1.363 09/04/2017 - 10:13 Português
Poesia/Amor UMA ORQUÍDEA PARA TI 0 1.984 07/17/2017 - 10:50 Português
Poesia/Meditação AS PEDRAS DOS RIOS 0 2.320 06/07/2017 - 09:54 Português
Prosas/Pensamentos PENSAMENTOS 34 0 1.735 05/24/2017 - 11:09 Português
Poesia/Amor AMO-TE COMO ÉS 0 1.724 05/24/2017 - 10:59 Português
Poesia/Meditação SABER SER FRELIZ 0 963 05/09/2017 - 16:51 Português
Poesia/Amizade TU 0 1.157 04/21/2017 - 11:52 Português
Poesia/Meditação PARA DE TE QUEIXAR 2 1.136 03/26/2017 - 20:34 Português
Poesia/Meditação PARA QUÊ MATAR? 5 2.364 03/24/2017 - 12:31 Português
Poesia/Meditação CHEGAR, VER E VENCER 0 1.723 03/13/2017 - 15:57 Português
Poesia/Amor BEIJOS TEUS 0 1.389 02/22/2017 - 11:12 Português
Poesia/Amor OLHANDO O MAR 0 967 02/08/2017 - 11:26 Português
Poesia/Amor SAUDADE 0 1.548 02/01/2017 - 11:29 Português
Poesia/Geral FRIO 0 1.075 01/26/2017 - 11:27 Português
Poesia/Geral FRIO 0 1.193 01/26/2017 - 11:23 Português
Poesia/Fantasia AS ONDAS DO MAR 0 1.045 01/11/2017 - 10:49 Português
Poesia/Meditação AMANHECEU OUTRA VEZ 0 1.259 01/04/2017 - 12:22 Português
Poesia/Alegria RIR 0 2.157 12/21/2016 - 10:58 Português