CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Palavras rendilhadas em mantas de retalhos

Sabia-te poderosa
de encantar como as sereias.
Sequiosa também de teias
tecidas, dolentemente, nas ameias
de um castelo qualquer
onde não avisto sequer uma rosa!

Sabia-te semeadora
de jardins de flores raras
medrando só em interiores
abertos a esplendores
que se intensificam
quando pronunciadas.

Sabia-te mediadora
de conflitos aguerridos
crescendo em raivas incontidas
ressaltando o rubro do rosto
transfigurando um doce corpo.

Amava-te
de um amor apenas meu.
Sabia-te admirada
e idolatrada por poetas…
Em poesia rendilhada
subia ao azul do céu…

Sabia.
Conhecia.
Vivia
momentos encantatórios.

Sei.
Conheço.
Vivo
momentos difamatórios
descascando lembranças
nossas,
guardadas no sótão de cada uma,
amigas!

Num repente estamos eufóricas
e as palavras rendilhadas
preenchem a manta de retalhos
que arrastamos nos marasmos
da insensaboria dos dias.

Ontem, amigas, em palavras,
refizemos vidas…

OF 17-12-11 (Poema alusido ao serão pós lançamento do Ousadias de Teresa Almeida)
 

Submited by

quinta-feira, dezembro 22, 2011 - 18:28

Poesia :

Your rating: None (2 votes)

Odete Ferreira

imagem de Odete Ferreira
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 14 semanas 1 dia
Membro desde: 01/11/2011
Conteúdos:
Pontos: 1918

Comentários

imagem de Teresa Almeida

Que belo rendilhado de amigos

Que belo rendilhado de amigos e de palavras!
Eu vi rosas, cravos e castelos.

Lembro-me. Vinhas a iluminar a noite num casaquinho vermelho, entre arcos de festa. Era véspera de Natal.

E foi de festa que a minha alma se vestiu.

Adorei este poema que evoca aquela noite, o serão e o café da manhã seguinte.

É como se continuássemos a viver aqueles momentos.

Sei que as distâncias nos limitam, mas haverá outras ocasiões Rui, tenho a certeza.

Beijinhos para todos.

Xi heart amiga Odete.

 

imagem de Odete Ferreira

P/Teresa Almeida (Palavras...)

Já disse tanto que não me quero repetir. Foi um poema em que as palavras que traduziram momentos se tornaram mesmo especiais...

Como és o alvo principal, fizeste bem em deixar aqui a tua marca poética!

Bjuzzzz, amiga smiley

imagem de RZorpa

Eu faço ideia, a junção de

Eu faço ideia, a junção de talento por metro quadrado, existente naquela sala. Eu faço ideia o rendilhar de emoção vertido por cada poro desse talento. Sei da oportunidade que perdi de respirar esse rendilhado momento, mas sei sobrar-me a oportunidade que se chama futuro e o presente palpável em palavras como estas que de ti vertem e eu tenho a sorte de não perder...

Um grande abraço às duas... smiley

Rui

imagem de Odete Ferreira

P/ RZorpa (Palavras rendilhadas...)

Bem, Rui, sabemos o que perdemos quando não podemos estar em eventos que nos confeririam especial prazer e encantamento. Aí, tens razão!

Este poema tem um significado particular; reencontrei uma amiga que já não via há mais de 30 anos! Logo este "rendilhado de palavras" quis traduzir a tal "junção" (como referes) de sentires que, para mim, foram mesmo especiais!

Obg por teres gostada desta "montra" de palavras smiley

Bjo

 

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Odete Ferreira

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Intervenção E a festa veste-se em cada madrugada 0 294 04/25/2016 - 02:29 Português
Prosas/Outros No sopé da montanha 0 289 12/30/2015 - 22:42 Português
Poesia/Meditação À míngua 0 413 12/30/2015 - 22:36 Português
Poesia/Fantasia Surrealidades 0 408 12/13/2015 - 19:07 Português
Poesia/Intervenção Não invoquem o meu nome em vão 0 520 11/25/2015 - 02:18 Português
Poesia/Fantasia Surreal XXVIII 2 375 09/05/2015 - 19:00 Português
Prosas/Outros Da alma 0 281 09/01/2015 - 19:58 Português
Poesia/Intervenção Da destemperança 0 549 08/26/2015 - 01:35 Português
Poesia/Meditação E no entre-Tanto faço caminho 0 358 07/02/2015 - 23:55 Português
Poesia/Meditação E continuamos pequeninos! 0 413 06/02/2015 - 20:15 Português
Poesia/Intervenção Nem te renego nem me nego 0 471 04/25/2015 - 02:08 Português
Poesia/Dedicado Laudatória 0 344 03/24/2015 - 19:03 Português
Poesia/Dedicado És...Mulher 0 634 03/08/2015 - 18:53 Português
Poesia/Amor Vida(s) 0 550 02/14/2015 - 18:07 Português
Poesia/Amor Moras nos meus sonhos 0 564 02/13/2015 - 16:30 Português
Poesia/Dedicado Olhares 0 769 01/22/2015 - 01:58 Português
Prosas/Outros Do exato momento da VIragem 0 618 12/30/2014 - 14:27 Português
Poesia/Geral Semeio-me de Natal 0 499 12/23/2014 - 00:14 Português
Poesia/Meditação Beleza horizontal 0 636 12/05/2014 - 20:07 Português
Poesia/Geral Tens o milagre na mão 0 525 11/17/2014 - 02:27 Português
Poesia/Dedicado E eu seguia-te 0 501 11/08/2014 - 17:06 Português
Poesia/Soneto Resgate 0 571 11/03/2014 - 01:47 Português
Poesia/Tristeza Vazios 0 664 10/21/2014 - 16:01 Português
Poesia/Geral Versos molhados 0 500 10/09/2014 - 00:52 Português
Poesia/Fantasia Da vida extraímos sinfonia 0 518 10/03/2014 - 00:57 Português