CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Para onde vou

Para onde vou
Nesses caminhos malabaristas
Em que mal sei quem sou
Quando passo por avenidas liricistas

E respiro o ar dessas ruas melódicas
Que ocultam o meu reflexo
Em palavras fanáticas
A qual docemente me expresso

Diante de edificios versáticos
Brilhantes de forma profunda
Abrangindo pensamentos intactos
De modo que me confunda

Com montras rimáticas
Inaltecidas em meus lábios
Rimadas numa lingua lunática
Me tornando um sábio

Mas quase sempre perdido
Onde não sei para onde vou
Sabes tu dizer o caminho?
Talvez só Deus me pode dizer onde estou

Submited by

quinta-feira, agosto 19, 2010 - 13:20

Poesia :

No votes yet

HaiderChaby

imagem de HaiderChaby
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 7 anos 36 semanas
Membro desde: 05/08/2009
Conteúdos:
Pontos: 1406

Comentários

imagem de danyfilipa

Re: Para onde vou

caminhar sem saber o destino,
mas sem perder o rumo e o sentido do caminho... ;-)

seja qual for o teu caminho,
em cada canto dele há a poesia...por isso partilha-a sempre conosco :-)

bjo

imagem de Mefistus

Re: Para onde vou

Haidder;
Num poema de aparente fácil construção, constroi a procura do teu Eu interior, nos meandros de uma "lingua lunática" e no entato essa incessante procura,essa descodificação do que procuras "Para onde vou...", remets no encerramento do poema para DEUS. Causa perfeita e Universal de ti mesmo.
Num léxico cada vez mais desenvolvido, num todo bem construido, ressalvo a forte sensação visual, de malabarista, suspenso num fino fio de arame, balouçando e desafiando o Caos emergente que cai a teus pés.
Realço e sublinho igualmente

Diante de edificios versáticos
Brilhantes de forma profunda
Abrangindo pensamentos intactos
De modo que me confunda

Como disse parecia de fácil construção e entendimento, não parecia?
Contudo, é um poema meditativo, de sonoridade tranquila, e sobre o caos e o Devir.

Muito Bom.

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of HaiderChaby

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Dedicado Também sou humano 1 2.032 02/27/2018 - 11:31 Português
Poesia/Meditação Valeu apena 1 2.175 02/27/2018 - 11:30 Português
Poesia/Fantasia Talvez 0 2.027 12/21/2010 - 20:42 Português
Poesia/Desilusão Retrato falante 0 1.617 12/21/2010 - 20:39 Português
Poesia/Tristeza Prisioneiro livre 0 1.826 12/21/2010 - 20:35 Português
Poesia/Soneto Palavras ou frases 0 1.116 12/21/2010 - 20:31 Português
Poesia/Desilusão Novamente tu 2 2.219 12/21/2010 - 20:26 Português
Musica/Hip Hop calendarios entre flores e dramas 0 6.975 12/21/2010 - 06:07 Português
Poesia/Amor Nome 0 1.385 12/21/2010 - 05:13 Português
Poesia/Meditação Momentos 2 2.271 12/21/2010 - 03:40 Português
Poesia/Erótico Nada me vale 0 1.739 12/20/2010 - 23:02 Português
Poesia/Pensamentos Hoje parece aqueles dias 0 1.771 12/20/2010 - 22:48 Português
Poesia/Amor É mais fácil 0 1.578 12/20/2010 - 22:28 Português
Fotos/ - 2424 0 3.329 11/24/2010 - 00:48 Português
Fotos/ - 1554 0 2.381 11/24/2010 - 00:39 Português
Fotos/ - 1179 0 3.401 11/24/2010 - 00:38 Português
Poesia/Tristeza Olhando pra atraz 0 1.730 11/18/2010 - 16:37 Português
Poesia/Tristeza Cruzei os braços 0 2.385 11/18/2010 - 16:35 Português
Poesia/Meditação Prazer e tesão 0 1.647 11/18/2010 - 16:02 Português
Poesia/Tristeza Sem vida 0 2.148 11/17/2010 - 23:40 Português
Poesia/Tristeza teria sido mais facil 0 1.803 11/17/2010 - 23:39 Português
Poesia/Dedicado era eu e eras tu 0 1.985 11/17/2010 - 23:39 Português
Poesia/Tristeza Hoje 2 2.019 09/17/2010 - 23:39 Português
Poesia/Geral Arte de escrever 2 1.571 09/17/2010 - 23:14 Português
Poesia/Dedicado Palavras para quê 2 873 09/17/2010 - 22:55 Português