CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

AS PEDRAS DOS RIOS

 

PEDRAS DOS RIOS

 

 

Pedras esculpidas pelas águas dos rios,

Ficam à vista quando estão vazios,

Deixam de correr em direcção ao mar,

Porque a chuva não cai e o Sol os fez secar.

 

As pedras brilham ao Sol escaldante,

Já não sentem a maré cheia ou a vazante,

A água já não esculpe as suas arestas,

E ficam ao frio e ao calor, já desertas.

 

Calamidade, os rios já não correm para o mar,

E as pedras já não são verdes estão a secar,

A eternidade vai tomar conta delas,

E os peixes já não se alimentam nelas.

 

Alguém secou a fonte que alimenta os rios,

Onde nas suas águas navegavam navios,

Ficaram as pedras nuas a chorar,

Porque os rios já não correm para o mar.

 

As árvores secaram e o ventos as derrubou,

Já não bebem a água dos rios, ela secou,

E as pedras continuam ali, jazidas,

A água dos rios já não volta, não há vidas.

 

Pedras que eram verdes e agora são brancas,

E o vento vai soprando nelas até às tantas,

E elas já não falam, têm a boca fechada,

E o vento sopra nas pedras e não dizem nada.

 

Os rios secaram e a água já deixou de correr,

E até o mar ficou chorando, por este acontecer,

As pedras desunidas já batem umas nas outras,

Deixaram os rios e as mentes ficaram loucas.

 

 

22 de Abril de 2012-Estêvão

Submited by

quarta-feira, junho 7, 2017 - 08:54

Poesia :

No votes yet

José Custódio Estêvão

imagem de José Custódio Estêvão
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 3 semanas 16 horas
Membro desde: 03/14/2012
Conteúdos:
Pontos: 7749

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of José Custódio Estêvão

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Erótico LINDAS PERNAS 0 1.037 04/20/2016 - 08:40 Português
Prosas/Pensamentos REFLEXÃO 0 136 04/13/2016 - 10:42 Português
Poesia/Meditação O VENTO BATE À JANELA 0 909 04/13/2016 - 10:27 Português
Prosas/Pensamentos A VIDA 0 144 04/06/2016 - 09:12 Português
Poesia/Dedicado AR É VIDA 0 306 04/06/2016 - 08:56 Português
Poesia/Meditação NADA ME PERTENCE 2 630 03/31/2016 - 09:22 Português
Prosas/Pensamentos AURÉOLA 0 419 03/30/2016 - 09:59 Português
Prosas/Pensamentos UM TROVÃO 0 241 03/23/2016 - 10:09 Português
Poesia/Meditação SE NÃO SE PLANTAR 0 294 03/23/2016 - 09:55 Português
Poesia/Dedicado O GOSTO DE APRENDER E ENSINAR 2 988 03/18/2016 - 10:32 Português
Prosas/Pensamentos A TERRA 0 211 03/16/2016 - 10:51 Português
Prosas/Outros ATÉ O MAR 0 284 03/09/2016 - 11:33 Português
Poesia/Intervenção A DESGRAÇA DE UMA NAÇÃO 0 481 03/09/2016 - 11:28 Português
Poesia/Dedicado A MÚSICA 2 413 03/06/2016 - 12:06 Português
Poesia/Meditação ERRAR É HUMANO 2 304 03/06/2016 - 12:03 Português
Prosas/Pensamentos HUMANOS 0 266 03/02/2016 - 10:27 Português
Poesia/Dedicado QUEM RIU DE MIM 0 412 02/24/2016 - 10:23 Português
Poesia/Meditação NUVENS PRETAS 0 242 02/17/2016 - 10:23 Português
Poesia/Amizade DORA 0 392 02/10/2016 - 14:51 Português
Poesia/Meditação POR FORA E POR DENTRO 0 423 01/27/2016 - 11:48 Português
Poesia/Intervenção QUEM TEM UNHAS 0 268 01/20/2016 - 10:09 Português
Poesia/Amor É UM SOFRER SEM QUERER 0 374 01/13/2016 - 10:13 Português
Poesia/Meditação VENCEDORES E VENCIDOS 0 466 01/06/2016 - 14:59 Português
Poesia/Meditação A CAÇA E O CAÇADOR 0 1.111 12/30/2015 - 09:58 Português
Poesia/Meditação SORTE 0 804 12/23/2015 - 14:55 Português