CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

AS PEDRAS DOS RIOS

 

PEDRAS DOS RIOS

 

 

Pedras esculpidas pelas águas dos rios,

Ficam à vista quando estão vazios,

Deixam de correr em direcção ao mar,

Porque a chuva não cai e o Sol os fez secar.

 

As pedras brilham ao Sol escaldante,

Já não sentem a maré cheia ou a vazante,

A água já não esculpe as suas arestas,

E ficam ao frio e ao calor, já desertas.

 

Calamidade, os rios já não correm para o mar,

E as pedras já não são verdes estão a secar,

A eternidade vai tomar conta delas,

E os peixes já não se alimentam nelas.

 

Alguém secou a fonte que alimenta os rios,

Onde nas suas águas navegavam navios,

Ficaram as pedras nuas a chorar,

Porque os rios já não correm para o mar.

 

As árvores secaram e o ventos as derrubou,

Já não bebem a água dos rios, ela secou,

E as pedras continuam ali, jazidas,

A água dos rios já não volta, não há vidas.

 

Pedras que eram verdes e agora são brancas,

E o vento vai soprando nelas até às tantas,

E elas já não falam, têm a boca fechada,

E o vento sopra nas pedras e não dizem nada.

 

Os rios secaram e a água já deixou de correr,

E até o mar ficou chorando, por este acontecer,

As pedras desunidas já batem umas nas outras,

Deixaram os rios e as mentes ficaram loucas.

 

 

22 de Abril de 2012-Estêvão

Submited by

quarta-feira, junho 7, 2017 - 09:54

Poesia :

No votes yet

José Custódio Estêvão

imagem de José Custódio Estêvão
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 8 semanas 15 horas
Membro desde: 03/14/2012
Conteúdos:
Pontos: 7749

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of José Custódio Estêvão

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Fantasia DANÇA DOS SONHOS 0 272 12/18/2015 - 10:46 Português
Poesia/Meditação OS PASSOS QUE EU DOU 0 364 12/09/2015 - 11:59 Português
Poesia/Meditação QUERO SER EU PRÓPRIO 0 575 12/02/2015 - 17:15 Português
Críticas/Outros O MEU EU E O OUTRO 0 2.535 11/25/2015 - 11:38 Português
Poesia/Amor FALTA DE AMOR 0 582 11/18/2015 - 12:36 Português
Poesia/Meditação DE PASSO APÓS PASSO 0 383 11/11/2015 - 11:28 Português
Poesia/Amor SENTE-SE E NÃO SE VÊ. 0 373 11/09/2015 - 12:17 Português
Poesia/Meditação PRINCÍPIO E FIM 0 749 10/22/2015 - 10:17 Português
Poesia/Meditação VIVENDO 0 935 10/14/2015 - 10:47 Português
Poesia/Meditação O SEGURO E APRUDÊNCIA 0 427 10/07/2015 - 10:59 Português
Poesia/Amor O AMOR É CEGO 0 579 09/30/2015 - 10:04 Português
Poesia/Amor AI O SABONETE 0 890 09/24/2015 - 09:50 Português
Poesia/Meditação LÁGRIMAS 0 447 09/16/2015 - 17:21 Português
Poesia/Meditação A RODA DO TEMPO 0 660 09/09/2015 - 15:59 Português
Poesia/Amor OS TEUS ABRAÇOS 0 486 09/02/2015 - 10:46 Português
Poesia/Meditação A REFORMA 0 552 08/19/2015 - 09:59 Português
Poesia/Meditação A MINHA CAMA 0 694 08/12/2015 - 09:53 Português
Poesia/Intervenção SONETO À CRISE 0 475 08/05/2015 - 09:52 Português
Poesia/Meditação SER SONHADOR SEM SER 0 941 07/29/2015 - 09:52 Português
Poesia/Meditação A CONSCIÊNCIA 0 939 07/22/2015 - 10:28 Português
Poesia/Amor DO LONGE SE FAZ PERTO 0 705 07/15/2015 - 09:48 Português
Poesia/Meditação A FELICIDADE TAMBÉM SE MULTIPLICA 0 1.391 07/08/2015 - 09:41 Português
Poesia/Meditação SOU E SEREI 0 401 07/01/2015 - 10:28 Português
Poesia/Fantasia ERA UMA VEZ 0 366 06/25/2015 - 09:28 Português
Poesia/Meditação AI SE EU SOUBESSE 0 801 06/17/2015 - 11:01 Português