CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Pequenos ruídos de uma alma inquieta na manhã do tempo

Nem mesmo o silêncio de uma eternidade era capaz
Nada poderia dispersar aqueles olhos insensíveis
Que insistia em olhar para o vazio do infinito
Na manhã silenciosa de uma primavera qualquer.

Até os pássaros evitavam levantar voos rasantes
Não desejavam ser atingidos pelas flechas da desilusão
Ouvia-se o lamento de alguém que estava as escondidas
E pequenos ruídos de uma alma inquieta na manhã do tempo.

Disseram que ninguém poderia fazer nada para ajudar
Uma vez que cada pessoa escolhe o seu próprio destino
E quem era eu para dizer o contrário disso tudo
Quando o mundo a sua volta parecia estar em erupção.

Lanças de pratas cortavam os céus com violência
E as borboletas tentavam sobreviver a fúria das rosas
Em um jardim que tentava manter o perfume das flores
Sem saberem que tudo não passava de uma ilusão perdida.

Calou-se diante da magnitude dos sonhos desfeitos
E imaginou uma outra realidade que parecia distante
Sabia que a jornada seria longa e solitária
Mas desejava alcançar aquela tal liberdade prometida.

Cruzou os desertos escaldantes da solidão
Sentia a alma sedenta pelo refrigério do amor
Lutou contra os monstros imaginários de sua mente
E viu além do horizonte a luz que tanto desejava.

Poema: Odair José, Poeta Cacerense

www.odairpoetacacerense.blogspot.com

Submited by

terça-feira, março 23, 2021 - 21:07

Poesia :

No votes yet

Odairjsilva

imagem de Odairjsilva
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 14 horas 45 minutos
Membro desde: 04/07/2009
Conteúdos:
Pontos: 5546

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Odairjsilva

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Tristeza Nas caladas do silêncio 0 235 03/18/2021 - 19:36 Português
Poesia/Meditação O que queremos? 0 201 03/17/2021 - 19:56 Português
Poesia/Alegria O presente mais precioso 0 187 03/16/2021 - 20:22 Português
Poesia/Paixão Percepção 0 160 03/15/2021 - 19:36 Português
Poesia/Fantasia Os Profetas do Círculo Negro 0 134 03/13/2021 - 13:41 Português
Poesia/Pensamentos Sentimentos de outrora 0 148 03/12/2021 - 20:14 Português
Poesia/Amor A beleza pura do amor estava em seus olhos 1 263 03/11/2021 - 17:04 Português
Poesia/Meditação Este chão 0 243 03/10/2021 - 19:06 Português
Poesia/Pensamentos Alguém sussurrou em meus ouvidos 0 224 03/09/2021 - 22:50 Português
Poesia/Desilusão Um dia quem sabe 0 91 03/08/2021 - 21:41 Português
Poesia/Meditação Os gigantes gêmeos de Satanás versus o tríplice ministério de Jesus 0 223 03/06/2021 - 15:13 Português
Poesia/Intervenção Um mundo doente 0 420 03/05/2021 - 17:02 Português
Poesia/Desilusão Faça-me o favor! 0 351 03/04/2021 - 14:29 Português
Poesia/Amor Nunca poderei deixar de amar 0 226 03/03/2021 - 22:41 Português
Poesia/Desilusão Sozinho pelas nuvens da solidão 0 373 03/02/2021 - 19:35 Português
Videos/Poesia Às Margens do Rio Paraguai - Entrevista com o Poeta Cacerense 0 279 03/01/2021 - 20:12 Português
Poesia/Geral Às Margens do Rio Paraguai - Entrevista com o Poeta Cacerense 0 139 03/01/2021 - 20:08 Português
Poesia/Meditação O fim dos falsos profetas 0 193 03/01/2021 - 20:06 Português
Poesia/Fantasia A pequena árvore 0 489 02/26/2021 - 21:41 Português
Poesia/Intervenção As virgens imprudentes 0 171 02/25/2021 - 15:03 Português
Poesia/Amor Desejo imenso 0 342 02/24/2021 - 21:47 Português
Poesia/Tristeza Escrevo-te para contar como estou 0 196 02/23/2021 - 19:23 Português
Poesia/Desilusão As mil partes do meu coração 0 166 02/22/2021 - 20:38 Português
Poesia/Paixão Diário de uma paixão 0 167 02/20/2021 - 22:06 Português
Poesia/Desilusão Por que tudo se acaba com o vento? 0 203 02/19/2021 - 19:13 Português