CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Quando o silêncio romper a aurora da vida

Vagarosamente desfila no eterno vai e vem de nostalgia
Desejando somente ser vista
Com os olhos misteriosos de quem sonha
Viver uma vida isenta de desafios
Em um mundo corrompido pelo tempo.

No silêncio de uma tarde marota
Uma garota apenas divaga em seus pensamentos
Lembrando de palavras que foi sussurrada em seus ouvidos
Como promessas de amor eterno
Quando ela acreditava nessas coisas banais da vida
Sem saber que tudo são promessas
Balelas e discursos vazios de pessoas sem escrúpulos.

Há uma perseguição intensa
Uma fuga mortal de indivíduos que tentam escapar
Do destino certo e violento
Em uma terra totalmente sem lei.

Falácias de mentes perturbadas com o tempo
Momentos sombrios em uma tarde sinistra
Da solidão vista até além do horizonte
Onde via vultos como se fossem espantalhos feitos de panos
Espantarem os pássaros da desconfiança.

O que é a mente humana em tempos sombrios como estes?
Um medo corrói a alma de transeuntes inocentes
Presos em seus mundos na correria do dia a dia
Que nem notam os olhares nas penumbras de ruas movimentadas
Sem saberem que tudo chegara ao fim um dia
E, então, só haverá lugar para as lágrimas
De quem não soube perceber essas coisas.

Parece um canto de tristeza essa melodia
Que desesperadamente tento transmitir aos ouvidos
De qualquer ser que queira ouvir
Apesar de saber que ninguém dá a mínima para tudo isso
E assim mesmo a vida continua a passar
Em passos largos num frenesi diabólico.

Vejo toda essa perturbação e parece ser o fim
Parece não haver saída e nem solução para tanta solidão
De pessoas envoltas em seus próprios pensamentos
Uma adolescente grita raivosamente com seus pais
E em um canto da sala um gato dorme tranquilamente
Como se nada no mundo o incomodasse.

Sob uma frondosa árvore no campo
Escondendo do sol abrasador e do calor escaldante
Um senhor descansa da sua labuta diária
Sabendo que tudo chegará ao fim um dia
Quando o silêncio romper a aurora da vida
E ele ser chamado ao que considera ser o descanso eterno
Mesmo não sabendo nada sobre isso.

Mais uma vez posso refletir sobre o destino dos homens
O determinismo das coisas
O círculo eterno de uma vida que passa a existir nesta manhã
Quando uma velha senhora é sepultada em um cemitério qualquer
E ouve-se o choro de uma criança que acabou de chegar a este mundo
Em um eterno vai e vem infinito
Que me faz descansar minha pena de escrever
Coisas que parecem sem sentido algum.

Feche seus olhos e deixe-se ser levado para outra dimensão
Esqueça tudo que te ensinaram um dia
Mente vazia de uma existência
E veja onde você está agora.

Poema: Odair José, Poeta Cacerense

www.odairpoetacacerense.blogspot.com

Submited by

sexta-feira, junho 18, 2021 - 20:19

Poesia :

Your rating: None (1 vote)

Odairjsilva

imagem de Odairjsilva
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 23 horas 12 minutos
Membro desde: 04/07/2009
Conteúdos:
Pontos: 7711

Comentários

imagem de Odairjsilva

Uma fagulha!

Pensamentos!!!

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Odairjsilva

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Desilusão A maior de todas as mentiras 3 30 05/19/2022 - 18:55 Português
Poesia/Pensamentos De mãos dadas com a Morte 3 85 05/18/2022 - 18:53 Português
Poesia/Pensamentos Do pensamento 3 77 05/17/2022 - 18:36 Português
Poesia/Desilusão O teu olhar 3 51 05/16/2022 - 23:29 Português
Poesia/Intervenção Destruam essa arte 3 47 05/16/2022 - 18:38 Português
Poesia/Desilusão Silenciosa sombra de solidão 3 50 05/16/2022 - 12:38 Português
Poesia/Amor Saber entender, crescer e viver 3 79 05/13/2022 - 19:25 Português
Poesia/Meditação Cantem as canções que não escrevi 3 60 05/12/2022 - 22:56 Português
Poesia/Tristeza Alma em suplício 3 52 05/11/2022 - 23:12 Português
Poesia/Meditação Feliz com sua presença 3 78 05/11/2022 - 18:42 Português
Poesia/Desilusão Insensatez 3 69 05/10/2022 - 18:37 Português
Poesia/Pensamentos Eu navegarei 3 62 05/09/2022 - 23:13 Português
Poesia/Pensamentos Fantasmas de um tempo passado 3 108 05/09/2022 - 13:28 Português
Poesia/Dedicado Mãe, o maior amor que pode existir 3 79 05/08/2022 - 20:33 Português
Poesia/Dedicado Mãe - Eu canto a ti o amor! 3 71 05/06/2022 - 23:57 Português
Poesia/Meditação Dias melhores virão 3 128 05/06/2022 - 19:01 Português
Poesia/Meditação A impossibilidade física da morte na mente de alguém que está vivo 3 76 05/05/2022 - 19:11 Português
Poesia/Meditação O peso do mundo 3 66 05/04/2022 - 23:02 Português
Poesia/Meditação E se não estiver tudo bem? 3 80 05/04/2022 - 18:45 Português
Poesia/Amor Inimaginável 3 83 05/03/2022 - 18:34 Português
Poesia/Tristeza Querida solidão 3 83 05/02/2022 - 18:29 Português
Poesia/Intervenção Não lastimo o próximo perigo 3 124 05/02/2022 - 12:41 Português
Poesia/Pensamentos Palavras apenas não servem 3 68 04/30/2022 - 21:59 Português
Poesia/Fantasia Enquanto dormia 3 89 04/29/2022 - 23:56 Português
Poesia/Meditação Resta um poeta morto! 3 105 04/28/2022 - 20:45 Português