CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Quando ouvi

Sou aquele que viu a aflição
Que andou em trevas e não na luz
Eu sentia minha carne envelhecendo
E os meus ossos sendo todos quebrados
Parecia que tinha um muro cercando-me
E só existia trabalho.
Estava assentado em lugares tenebrosos
Com os cadáveres dos mortos sob meus pés
As correntes apertavam meus punhos
E ninguém ouvia os meus gritos.
Havia pedras pontiagudas no caminho
Que sangrava os meus pés
Até um urso tentou devorar-me
Quando não vi a emboscada
Eu era um alvo fácil
Para as flechas da desolação.
Era motivo de zombaria
Com as canções de escárnio sobre mim
Havia amargura no meu coração
Como se tivesse bebido uma taça de fel.
Não tinha paz na minha'alma
E não sabia fazer o bem.
Quando parecia ter perecido a minha força
E dissipado minha esperança
Foi quando ouvi a suave voz,
E disso me recordarei no meu coração:
- Vinde a mim todos os cansados e oprimidos
E Eu vos aliviarei...
As misericórdias do Senhor
São as causas de não ter sido consumido
Porque a sua misericórdia não têm fim!

Poema: Odair José, Poeta Cacerense

www.odairpoetacacerense.blogspot.com

Submited by

sábado, setembro 18, 2021 - 19:30

Poesia :

No votes yet

Odairjsilva

imagem de Odairjsilva
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 2 dias 9 horas
Membro desde: 04/07/2009
Conteúdos:
Pontos: 6350

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Odairjsilva

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Intervenção O que o medo diz para você 0 36 10/22/2021 - 16:45 Português
Poesia/Meditação Não eram bruxas, eram apenas mulheres 0 82 10/21/2021 - 22:28 Português
Poesia/Paixão Verdades secretas 0 42 10/21/2021 - 21:38 Português
Poesia/Meditação Conversão 0 48 10/21/2021 - 16:04 Português
Poesia/Pensamentos Doces flores que sorriem no caminho 0 104 10/20/2021 - 16:18 Português
Poesia/Pensamentos Há um lobo dentro de mim 0 117 10/19/2021 - 20:26 Português
Poesia/Tristeza Afinal eu não sou tão culpada assim 0 100 10/18/2021 - 19:32 Português
Poesia/Amor Na minh'alma só existe você 0 72 10/18/2021 - 19:29 Português
Poesia/Desilusão Tive sonhos de louco 0 65 10/16/2021 - 14:16 Português
Poesia/Meditação Espelho, espelho meu 0 61 10/15/2021 - 18:43 Português
Poesia/Tristeza Tenta esconder de todo jeito 0 138 10/14/2021 - 19:33 Português
Poesia/Amor Há um caminho a seguir 0 133 10/13/2021 - 19:16 Português
Poesia/Paixão Nunca foi nenhum segredo 0 84 10/12/2021 - 12:45 Português
Poesia/Amor No profundo coração 0 72 10/11/2021 - 13:20 Português
Poesia/Desilusão Nada pode ser mais terrível 0 271 10/09/2021 - 13:29 Português
Poesia/Intervenção Filactérios 0 135 10/06/2021 - 23:19 Português
Poesia/Alegria Cáceres, 243 anos de História 0 114 10/06/2021 - 13:51 Português
Poesia/Tristeza Eu sei que isso pode ser triste 0 134 10/05/2021 - 20:39 Português
Poesia/Dedicado Cáceres, eternamente 0 158 10/04/2021 - 21:13 Português
Poesia/Dedicado Cáceres, Cáceres, Cáceres 0 117 10/03/2021 - 18:33 Português
Poesia/Dedicado Cáceres dos meus amores 0 160 10/01/2021 - 19:27 Português
Poesia/Amor Você olha pela janela 0 106 09/30/2021 - 14:31 Português
Poesia/Fantasia Ando em ruas de paralelepípedos 0 143 09/29/2021 - 20:28 Português
Poesia/Tristeza Caminhos diferentes 0 119 09/28/2021 - 19:34 Português
Poesia/Intervenção O preconceito na Sociedade Brasileira 0 250 09/27/2021 - 19:34 Português