CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

Quando Partiste

Ao ver-te, acalmou-se-me o pranto.
Tal como tantas vezes em vida o fizeste com a magia do teu afago.

Vestias a serenidade dos mortos.
E aos mortos,
pela sua serenidade,
chego a achá-los perfeitos.

Despidos de expressão,
desaparecidas as sobrancelhas cerradas da tempestade em fúria;
as lágrimas de uma primavera que parte;
o sorriso, essa breve brisa numa ribeira...
apagado enfim, o rasto de sonho indefinido...

O vazio tranquilo de uma linha simples e pura
que habita eterna o silêncio dos tempos
onde se apagam os sinais e a vida,
essa efémera luminescência de absoluto,
absorvida talvez,
na serenidade tranquila da perfeição intuída
que nos acompanha até ao fim.

E se depois do luto,
esse intimo suspiro desencantado,
ou choro infantil de criança perdida,
 te venero a memória,
encontro-te agora mais presente e mais poderosa(o) do que qualquer vivo.

Isto tudo porque,
ao olhar-te o corpo inerte e vazio,
nada mais vi do que um amontoado de carne despida de sentido.
Uma acabada mortalha onde não coube o teu ser,
que se aloja agora eterno, na memória que de ti se fez.
 

Submited by

quinta-feira, abril 7, 2011 - 18:47

Poesia :

No votes yet

miguelmancellos

imagem de miguelmancellos
Offline
Título: Moderador Música
Última vez online: há 2 anos 34 semanas
Membro desde: 07/29/2010
Conteúdos:
Pontos: 372

Comentários

imagem de RICARDORODEIA

Intenso. Profundo. Parido

Intenso. Profundo.

Parido no amor e na dor.

Tenho pena de não ter podido ir à tua apresentação.

Um abraço.

imagem de Dionísio Dinis

"O vazio tranquilo de uma

"O vazio tranquilo de uma linha simples e pura
que habita eterna o silêncio dos tempos
onde se apagam os sinais e a vida,
essa efémera luminescência de absoluto,
absorvida talvez,
na serenidade tranquila da perfeição intuída
que nos acompanha até ao fim."

 

Pela parte acima citada, de fino recorte, e pelo poema inteiro, os meus sinceros aplausos.

 

Abraço mui fraterno

imagem de SuzeteBrainer

A excelência do teu poema com

A excelência do teu poema com a força das palavras que nos comovem com a dor da perda,o luto. Mas,ficamos com uma certeza: a memória que guarda a essência daquele que parte.

Abraço!

imagem de jrs

Triste, doído, a morte nos é

Triste, doído, a morte nos é inevitavel e embora todos sabemos disso nunca estamos preparados para ela.

Abraços fraternos.

imagem de Susan

Poema intenso , cheio da

Poema intenso , cheio da tristeza da partida 

essa que fica cravada na alma e na carnedo poeta ...

Sem dúvida dev eras comovente ....

"Só tu sabes o tamanho da tua dor "

Um beijo 

Susan

imagem de MarneDulinski

Quando Partiste

Linda despedida fúnebre!

isto tudo porque,
ao olhar-te o corpo inerte e vazio,
nada mais vi do que um amontoado de carne despida de sentido.
Uma acabada mortalha onde não coube o ter ser,
que se aloja agora eterno, na memória que de ti se fez.

Meus sentimentos lutuosos!

MarneDulinski
 

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of miguelmancellos

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Aforismo A vida flui… O momento, eterniza-o a memória 0 315 11/18/2010 - 15:32 Português
Poesia/Geral O que sei eu? 0 363 11/18/2010 - 15:32 Português
Poesia/Geral Tu que passas 0 369 11/18/2010 - 15:31 Português
Poesia/Geral Saudades de um Universo primordial - Finalidade de mim? 1 314 08/16/2010 - 08:02 Português
Poesia/Geral Voarei 1 402 08/15/2010 - 17:20 Português
Poesia/Geral Noite e Dia 1 302 08/13/2010 - 21:38 Português
Poesia/Geral Ilusões 2 281 08/12/2010 - 23:53 Português
Poesia/Pensamentos Somos... 1 412 08/11/2010 - 06:21 Português
Poesia/Aforismo Á janela do tempo 0 286 08/10/2010 - 22:13 Português
Poesia/Pensamentos Um bocado de sabedoria 1 237 08/10/2010 - 00:58 Português
Poesia/Geral A dois... 1 279 08/10/2010 - 00:56 Português
Poesia/Geral Porquê? 1 176 08/08/2010 - 17:48 Português
Poesia/Aforismo Memória 1 316 08/07/2010 - 17:43 Português
Poesia/Geral Esta noite 1 306 08/07/2010 - 17:42 Português
Poesia/Geral Porque escrevo eu? 1 194 08/04/2010 - 23:12 Português
Poesia/Pensamentos Há magia no ar. 1 255 08/04/2010 - 23:11 Português
Poesia/Meditação A obra de arte 1 242 08/04/2010 - 22:29 Português
Poesia/Meditação Não te deixes impor, nem imponhas - Antes cria e deixa criar! 2 426 08/04/2010 - 00:44 Português
Poesia/Geral Sobre tudo e sobre nada. 1 289 08/03/2010 - 22:52 Português
Poesia/Alegria Hoje de manhã. 1 270 08/02/2010 - 02:27 Português
Poesia/Paixão Onde andarás tu? 2 265 08/02/2010 - 00:45 Português
Poesia/Geral Como dizer... 1 321 08/02/2010 - 00:42 Português
Poesia/Geral E se fosse eu, afinal, Deus? 1 223 07/30/2010 - 00:48 Português