CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

REMAR CONTRA A MARÉ

Sinto um buraco na alma.

Na cabeça
um martelar acústico
de insatisfação,
nada me leve ao extremo.

Estou cansada
de remar contra a maré,
dou-me à dor
numa espiral de lágrimas
ressequidas.

Na garganta,
estrangulados ficam
os soluços
por ninguém notados.

Receio ficar doida,
me passar para as margens
de além desconhecido por mim.

Que faço?

Quase não reconheço quem sou.

Na cabeça
sinto o bater de um pêndulo
do relógio enferrujado
por barulhentos
pensamentos dolorosos.

Sinto-me naufraga
num mar sem água
tal miragem no deserto.

Afundo lentamente
nesta morte em vida.

Submited by

domingo, setembro 5, 2010 - 01:02

Poesia :

No votes yet

mariamateus

imagem de mariamateus
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 2 semanas 4 dias
Membro desde: 02/24/2009
Conteúdos:
Pontos: 2987

Comentários

imagem de nunomarques

Re: REMAR CONTRA A MARÉ

Belo e sentido poema, porem muito triste, numa cadencia que embala o leitor nas tuas lágrimas

Receio ficar doida,
me passar para as margens
de além desconhecido por mim.

Beijo

imagem de Henrique

Re: REMAR CONTRA A MARÉ

Na garganta,
estrangulados ficam
os soluços
por ninguém notados.

O pior dos gritos é aquele por soltar!!!

Tantas vezes só a poesia nos solta o grito!!!

Triste mas um bom poema!!!

Beijo

:-)

imagem de Clarisse

Re: REMAR CONTRA A MARÉ

Quem nunca se sentiu assim?! A vontade de parar o barco, deitarmo-nos ao mar e deixarmo-nos afogar. Um poema forte e repleto de tristeza. Apesar disso, gostei muito de ler.
Beijo,
Clarisse

imagem de marialds

Re: REMAR CONTRA A MARÉ

Momentos da vida identificaveis a todos os vivos na morte.
Linda poesia, ótima descrição da vida cotidiana.

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of mariamateus

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Poesia/Amor MORRO ENTRE PALAVRAS QUE NADA TE DIZEM 1 1.226 02/26/2018 - 13:29 Português
Poesia/Dedicado RECORDAR-TE É UMA CONSTANTE 2 1.707 07/01/2013 - 21:10 Português
Poesia/Tristeza OLHO-ME 1 1.623 04/01/2013 - 09:37 Português
Poesia/Desilusão RODOPIAM COMO PEÕES 0 1.832 03/30/2013 - 20:55 Português
Poesia/Tristeza LÁGRIMAS 1 1.268 03/25/2013 - 18:15 Português
Poesia/Tristeza EM SAUDADE ME DERRAMO PELO TEMPO 1 1.289 03/16/2013 - 22:59 Português
Poesia/Desilusão QUEBRADA 1 1.652 03/08/2013 - 21:35 Português
Poesia/Tristeza PERDIDA 0 954 03/08/2013 - 02:12 Português
Poesia/Tristeza NOITE ADENTRO 4 1.938 03/05/2013 - 22:05 Português
Poesia/Tristeza NADA ME CONFORTA 1 1.499 03/05/2013 - 22:02 Português
Poesia/Tristeza LUAR QUE ABRAÇA MEUS OMBROS 0 1.194 03/02/2013 - 01:09 Português
Poesia/Tristeza CONTADAS DORES … 0 1.026 02/11/2013 - 13:26 Português
Poesia/Amor TEU BEIJO EM MIM 0 1.519 02/07/2013 - 15:34 Português
Poesia/Tristeza SAUDADES QUE ME CERRAM OS OLHOS 2 1.822 01/14/2013 - 22:11 Português
Poesia/Amor OLHOS PARADOS 0 1.893 12/09/2012 - 18:03 Português
Poesia/Paixão LUA MINHA 1 1.637 12/09/2012 - 00:35 Português
Poesia/Amor OLHA-ME NOS OLHOS 0 1.333 12/07/2012 - 16:59 Português
Poesia/Amor MAIS DO QUE O SOL ESCONDE A NOITE 0 1.919 12/06/2012 - 20:35 Português
Poesia/Meditação SILENCIOSA NOITE 2 1.543 12/06/2012 - 19:30 Português
Poesia/Tristeza ENTRE AS PAREDES DO MEU QUARTO 0 1.562 12/04/2012 - 19:11 Português
Poesia/Meditação AO SABOR DO TEMPO 0 2.031 11/29/2012 - 20:41 Português
Poesia/Amor BEIJO RECHEADO DE DESEJO 1 1.359 11/26/2012 - 19:50 Português
Poesia/Tristeza DESSE MAR DE SAUDADE 1 2.074 09/30/2012 - 22:33 Português
Poesia/Meditação ESSA QUE DORME AO COLO DA NOITE 1 2.050 09/25/2012 - 02:47 Português
Poesia/Meditação FRÁGEIS DEDOS 1 1.684 09/18/2012 - 22:32 Português