CONCURSOS:

Edite o seu Livro! A corpos editora edita todos os géneros literários. Clique aqui.
Quer editar o seu livro de Poesia?  Clique aqui.
Procuram-se modelos para as nossas capas! Clique aqui.
Procuram-se atores e atrizes! Clique aqui.

 

RUÍNAS À BEIRA MAR …

Os meus olhos são ruínas à beira mar,

nómadas eternidades dispersas
pelos palcos do meu pensar.

Tilintes que plantam flores nas mãos
que a idade apalpa e vê.

O meu olhar é um velho barco
encalhado no horizonte,

uma bússola,
um casco parco,
um leme de lascas,

poesia.

Quanto vejo é o choro de uma fonte,
um lugar a monte algures,
nenhures por aí.

Uma sede, uma queda,
um silêncio de ver-me verbalizando quem sou.
Uns pós nos firmamentos dos faróis do tempo,
um areal sem peugadas.

Vejo-me em ventos rasos de culpa
por onde a imensidão caminha,

cego-me de lágrimas.
Afogo-me em madrugadas perpétuas

por onde a alma espreita,
onde a sombra é nua.

Já não vivo em mim nem na lua.
Arrasto o meu rasto nesta encruzilhada

que se desencruza imperfeita,
feita de perda e pedra.

Corrupio de carne e osso que a terra agasalhará.

Olho-me por aí.

Procuro-me por onde me esqueci,
abandono-me distante,

prendo-me lá.

Encontro-me.

Aponto-me ao infinito sem perder o norte,
digo-me sem perder o limite.

Autentifico-me de mim,
vivido por mim por lá fora de mim.

Sentido até ao fim do meu dentro
nesta multidão de mins.

.
.
.
.

Submited by

segunda-feira, novembro 5, 2012 - 14:35

Poesia :

Your rating: None (4 votes)

Henrique

imagem de Henrique
Offline
Título: Membro
Última vez online: há 5 anos 6 semanas
Membro desde: 03/07/2008
Conteúdos:
Pontos: 34817

Add comment

Se logue para poder enviar comentários

other contents of Henrique

Tópico Título Respostas Views Last Postícone de ordenação Língua
Videos/Outros Já viram o Pedro abrunhosa sem óculos? Pois ora aqui o têm. 1 37.041 06/11/2019 - 09:39 Português
Poesia/Tristeza TEUS OLHOS SÃO NADA 1 1.629 03/06/2018 - 21:51 Português
Poesia/Pensamentos ONDE O INFINITO SEJA O PRINCÍPIO 4 2.242 02/28/2018 - 17:42 Português
Poesia/Pensamentos APALPOS INTERMITENTES 0 2.151 02/10/2015 - 22:50 Português
Poesia/Aforismo AQUILO QUE O JUÍZO É 0 1.999 02/03/2015 - 20:08 Português
Poesia/Pensamentos ISENTO DE AMAR 0 4.019 02/02/2015 - 21:08 Português
Poesia/Amor LUME MAIS DO QUE ACESO 0 2.705 02/01/2015 - 22:51 Português
Poesia/Pensamentos PELO TEMPO 0 1.694 01/31/2015 - 21:34 Português
Poesia/Pensamentos DA POESIA 0 5.444 01/30/2015 - 23:06 Português
Poesia/Pensamentos DO AMOR 0 1.842 01/30/2015 - 21:48 Português
Poesia/Pensamentos DO SENTIMENTO 0 2.284 01/29/2015 - 22:55 Português
Poesia/Pensamentos DO PENSAMENTO 0 2.375 01/29/2015 - 19:53 Português
Poesia/Pensamentos DO SONHO 0 1.643 01/29/2015 - 01:04 Português
Poesia/Pensamentos DO SILÊNCIO 0 2.860 01/29/2015 - 00:36 Português
Poesia/Pensamentos DA CALMA 0 2.194 01/28/2015 - 21:27 Português
Poesia/Pensamentos REPASTO DE ESQUECIMENTO 0 1.877 01/27/2015 - 22:48 Português
Poesia/Pensamentos MORRER QUE POR DENTRO DA PELE VIVE 0 1.768 01/27/2015 - 16:59 Português
Poesia/Aforismo NENHUMA MULTIDÃO O SERÁ 0 1.776 01/26/2015 - 20:44 Português
Poesia/Pensamentos SILENCIOSA SOMBRA DE SOLIDÃO 0 2.933 01/25/2015 - 22:36 Português
Poesia/Pensamentos MIGALHAS DE SAUDADE 0 1.566 01/22/2015 - 22:32 Português
Poesia/Pensamentos ONDE O AMOR SEMEIA E COLHE A SOLIDÃO 0 1.473 01/21/2015 - 18:00 Português
Poesia/Pensamentos PALAVRAS À LUPA 0 2.396 01/20/2015 - 19:38 Português
Poesia/Pensamentos MADRESSILVA 0 1.434 01/19/2015 - 21:07 Português
Poesia/Pensamentos NA SOLIDÃO 0 1.767 01/17/2015 - 23:32 Português
Poesia/Pensamentos LÁPIS DE SER 0 1.673 01/16/2015 - 20:47 Português